quarta-feira, 5 de fevereiro de 2014

MAIS MÉDICOS SERIA O NOVO MENSALÃO?

Entre 2003 e 2005 um esquema de desvio de recursos públicos feito de forma sistemática por altos agentes do governo foi colocado em operação e desmascarado por um delator em rede nacional em 2005 causando o maior escândalo dos últimos anos, o chamado "Mensalão", que gerou a Ação Penal 470 que hoje cumpre mandados de prisão contra históricos líderes, verdadeiros ícones, do partido do governo. A eterna defesa dos condenados é que tudo não passava de "caixa 2".

Desde o início do Mais Médicos, este blog vem defendendo uma apuração rigorosa do dinheiro, verdadeira fortuna bilionária, que o governo vem gastando sem dó para a importação de mão de obra completamente desqualificada, que sequer médica é, pois sempre havia o cheiro de coisa estranha no ar. Era muita bondade, muita boa vontade, demais para ser verdade. Apenas a questão do marketing não explicaria o esforço colossal que este governo fez em botar de pé, custe o que custar, esse programa mequetrefe.

Quando descobrimos licitações estranhas envolvendo habitações desses estrangeiros, começamos a desconfiar que havia um cheiro de desvio de recursos e caixa 2 no ar, e isso foi em novembro de 2013: http://www.perito.med.br/2013/11/escandalo-mais-medicos-usado-para.html.

Agora vem a bomba da cubana Ramona, "profissional da saúde" cubana como define o próprio regime, que entrega o contrato que assinou com Cuba. Vejam o contrato em sua íntegra:



O contrato prova várias denúncias que fizemos sobre essa farsa chamada de "Programa Mais Médicos":

1) Eles não são médicos. Cuba chama-os genericamente de "profissionais de saúde". Mas os vende como "Médicos". Já falamos sobre isso aqui: http://www.perito.med.br/2014/01/mais-medicos-versao-cubano-brasileira.html

2) O contrato de trabalho é leonino e ilegal, restringe vários direitos assegurados a imigrantes e nacionais. As regras da OMS de direito ao imigrante trabalhador na saúde são ignoradas. Todas as convenções da ONU são ignoradas. A Constituição Federal é ignorada. http://www.perito.med.br/2013/11/problemas-trabalhistas-no-programa-mais.html

3) A OPAS não participa do contrato, ela é apenas uma Laranja nesse processo. Todo o contrato é feito por uma empresa S/A (sociedade anônima) chamada "Sociedade Mercantil Cubana Comercializadora de Serviços Médicos Cubanos S/A". Regime comunista possui sociedade anônima e sociedade mercantil? A OPAS é apenas uma lavadora de contrato escravagista: http://www.perito.med.br/2013/08/opas-mercadora-de-escravos-cubanos.html

Mas o mais grave vem agora: No contrato está previsto que a "profissional de saúde cubana" vai ganhar 1.000 dólares americanos (US$ 1.000) dos quais 600 dólares serão depositados em uma conta em Cuba e 400 dólares serão pagos ao profissional da saúde em território brasileiro, em reais convertidos pela taxa de câmbio do dia. Essa é a informação que os cubanos recebem de seu governo.

Só que o governo brasileiro, no suposto convênio com a OPAS (lavadora de comércio de humanos), diz que vai pagar 5.000 dólares (CINCO, não UM) por mês por profissional cubano.

De cada 5 mil dólares que saem dos cofres públicos via OPAS para abastecer a conta dos Castro em Cuba, apenas mil dólares é destinado a pagar os profissionais, sendo 600 deles retidos em conta local e apenas 400 de fato pagos aos trabalhadores.

Além da óbvia crítica à condição quase similar à escravidão que esses trabalhadores são submetidos, com 90% da renda expropriada pelos seus donos (ditador de Cuba e casta militar), fica uma questão de ordem tributária, eleitoral e administrativa: Sob qual rúbrica saem do país 4.000 dólares por mês por profissional cubano se apenas mil são destinados aos trabalhadores.

Qual a prestação de conta que esses 80% de dólares retidos tem ou terá, para onde irá esse dinheiro?

Ora senhores, se esses 5 mil dólares mensais fossem pagos de fato via OPAS, por mais infiltrada que seja essa organização, ela obedece à ONU e tem que seguir rígido controle fiscal, seria fácil rastrear por onde esse dinheiro andou.

Mas ao se pagar diretamente à Sociedade Mercantil de Cuba, com sede em Havana-CU, fica literalmente impossível saber por onde irá passar ou andar o dinheiro público brasileiro dado nesse programa.

E quando se tratam de governos amigos, um rico ajudando um pobre, e o rico deixa bilhões de dólares do NOSSO tesouro nacional nas mãos do pobre poucos meses antes de enfrentar uma eleição, seria difícil imaginar que o pobre daria todo o apoio possível para fazer o rico se reeleger?

E seria difícil, eventualmente, ocorrer doações eleitorais ilegais, sob a forma de caixa 2, com parte do dinheiro "ganho" do esforço do trabalho dos cubanos no Brasil?

Não tenham dúvidas que não é apenas sectarismo e recalque que movem as engrenagens do governo nessa luta para desqualificar e destruir o SUS e a medicina brasileira. Com a Sociedade Mercantil Cubana em ação, muita coisa passa a fazer lógica e sentido.

Quem diria que um dia um governo dito "progressista" iria impor a prática de comercialização de vidas humanas como mercadorias para apenas ter um ganho político eleitoral a manter um projeto pessoal e poder.

4 comentários:

tumpopolis disse...

Essa (muito) mais-valia, nem Marx conseguiu prever...o Capital perde pros Petralhas!

Heltron Xavier disse...

Curioso que o País conhecido pelo "Anti-americanismo" use Dólares americanos como moeda internacional padronizada também...

blog do seven disse...

Super Caixa dois!
Estão saqueando o país.

Lefevre Marback disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.