sexta-feira, 14 de fevereiro de 2014

"MAIS MÉDICOS" SE TORNA O CENTRO DA QUESTÃO

"Esse é um programa que coloca as pessoas no centro da questão. É um programa do meu coração e eu cuido dele todo o dia." - Dilma Houssef 14.02.2013


Comentário do Blogueiro:
Os Marqueteiros do PT que elegeram o Programa "Mais Médicos" como meio de viabilizar a reeleição da Presidente Dilma sangraram e sofreram um duro Golpe esta semana. Apesar do eficiente trabalho, eles não puderam prever que depois de meses de "vencidas" as discussões sobre a necessidade do aumento do número de médicos e a desnecessidade do exame de qualificação, a questão da "escravidão cubana" explodiria com tanta força. Estava fácil demais. Com dezenas de matérias sobre falta de médicos nos hospitais e erros de médicos brasileiros em série, a questão estava aparentemente resolvida.

Mas apenas aparentemente. A utilização do Brasil como Trampolim para os EUA e a exposição do espúrio contrato de trabalho da Cubana Ramona Matos com uma "Comercializadora de Serviços Cubanos S.A." chacoalharam as estruturas Políticas do Planalto. O Governo tentou calar, desconversar, fugir, mas não teve jeito. O Ministério Público do Trabalho piorou a situação quando entendeu que tudo estava bem justificado à exceção da falta de vínculo trabalhista Cubano e a analogia ao trabalho escravo. Com a candidatura de Padilha ao Governo de São Paulo apoiada no Programa e uma ação de inconstitucionalidade em curso no STF, mesmo que condenou os mensaleiros, o governo tem seus motivos para temer e tremer.

As estratégias para se justificar à sociedade como: "a OPAS tem acordo com dezenas de outros países",  "A oposição estava explorando politicamente a questão", "O agente cubano tem todos os direitos no seu país de origem" não conseguiram mais surtir efeito na opinião pública. O Programa Mais Médicos colocou a necessidade do nosso povo contra o desrespeito à constituição - que preza no seu primeiro capítulo por "Soberania e Respeito da Dignidade da Pessoa Humana". Atingido e desesperado o Governo Brasileiro cogitou até "aumentar" o valor da parte que o cubano recebe e rever o contrato com a OPAS. E é isso a sua próxima estratégia. Ontem o Ministro Brasileiro foi para Havana discutir. Mas será que Cuba aceita a Soberania Brasileira sobre seus trabalhadores? E se com uma Abertura nas Regras acontecerem Mais Fugas? 

É um momento histórico

Um comentário:

aldofranklin disse...

A presidente vai bater nessa tecla até a eleição pois sabe que se voltar atrás e reconhecer os desmandos, perde voto e pode por a perder a vitória no primeiro turno!