vakinha.com

vakinha.com
Caros Leitores, precisamos da sua ajuda para não fecharmos. O governo quer nos calar a todo o custo. Qualquer ajuda é bem vinda!

domingo, 14 de novembro de 2010

ATESTADO DE FISIOTERAPEUTA É PERFUMARIA PARA FINS LEGAIS


Pois é Chico. A situação é crítica e afeta a perícia médica uma vez que recorrentemente recebemos atestados de afastamento curtos e até sugestão de aposentadoria por paramédicos. Psicólogos, enfermeiros e, claro, os campeões, os fisioterapeutas. Como se não bastasse a situação questionável da emissão, ainda há a questão dos cidadãos nomearem os seus documentos de "Atestados Médicos" segundo os segurados que o recebem (ou compram). Ausência de políticas públicas direcionadas para estimular a presença e o acesso do profissional médico na rede pública criaram um terreno fértil para que aproveitadores enganem a parcela da população que precisa e não tem. Eles não querem nem saber afastam mesmo. Alguns pobres segurados repetem: "Eu trouxe este porque está faltando médico". Justificaria? Ainda esta semana tive três casos, como de costume, perguntei: "O Senhor trouxe Atestado Médico?", E como resposta recebi a mesma : "Sim eu trouxe". Apresentando a seguir atestado de Paramédico. Há uma certa inocência porque a maioria deles ouviu falar por terceiros de que se tratava de médico. Pior foi ter descoberto que eticamente não há o que fazer. Como eu sou cauteloso claro que quis saber sobre a legalidade da questão da incapacidade então procurei pessoalmente saber com colegas fisioterapeutas e descobri que sim. Eles têm apoio do seus conselhos para a emisão:

"RESOLUÇÃO CREFITO-3 Nº. 22, DE 18 DE AGOSTO DE 2006

Dispõe sobre a competência do Fisioterapeuta na elaboração e emissão de atestados, pareceres e laudos periciais laborais
Artigo 1º. – O Fisioterapeuta no âmbito da sua atuação é profissional competente para elaborar e emitir parecer, atestado ou laudo pericial indicando o grau de capacidade ou incapacidade funcional, com vistas a apontar competências ou incompetências laborais (transitórias ou definitivas), em razão das seguintes motivações: 1) demanda judicial; 2) readaptação no ambiente de trabalho; 3) afastamento do ambiente de trabalho para a eficácia do tratamento de fisioterapia; 4) em apoio à aposentadoria por invalidez (incompetência laboral definitiva); 5) para juntada em processos administrativos no setor público (em conformidade com a Lei 9.784/99) ou no setor privado e 6) onde mais se fizerem necessários os instrumentos referidos neste artigo, mediante consulta ao Plenário do CREFITO-3, ou conforme medida disciplinadora complementar.

Parágrafo Único: com relação ao item 6, previsto neste artigo, deverá o Fisioterapeuta peticionar junto ao CREFITO-3 na condição de consulente para que, após Acórdão (Decisório) do Plenário, o profissional possa proceder na produção de um dos instrumentos previstos nesta RESOLUÇÃO para outros fins nela não previstos (os procedimentos para se colocar na condição de consulente serão estabelecidos em regulamento interno).

Artigo 2º. Atestado trata-se de documento qualificado, afirmando a veracidade sobre as condições laborais, isto é, declarando, certificando o estado do grau de capacidade ou incapacidade funcional com vistas a apontar as competências ou incompetências laborais (transitórias ou definitivas) do cliente em acompanhamento terapêutico...."
O curioso é que não há qualquer responsabilidade penal sobre o atestado emitido por paramédico. É livre para escrever o que quiser e quando quiser. Já o médico, O Código Penal é claro:
"Art. 302 - Dar o médico, no exercício da sua profissão, atestado falso:
Pena - detenção, de um mês a um ano.
Parágrafo único - Se o crime é cometido com o fim de lucro, aplica-se também multa."
Já a CLT - Decreto lei 5452 também é claro sobre a competencia de atestados médicos, há mais de VINTE citações da palavra "médico" na lei, para afastamento por saúde entre elas:


"Art. 417 - A emissão da carteira será feita o pedido do menor, mediante a exibição dos seguintes documentos:
IV - atestado médico de capacidade física e mental


SEÇÃO V - DAS MEDIDAS PREVENTIVAS DE MEDICINA DO TRABALHO
Art. 168 - Será obrigatório exame médico, por conta do empregador, nas condições estabelecidas neste artigo e nas instruções complementares a serem expedidas pelo Ministério do Trabalho: (Redação dada pela Lei nº 7.855, de 24.10.1989)
I - a admissão; (Incluído pela Lei nº 7.855, de 24.10.1989)
II - na demissão;(Incluído pela Lei nº 7.855, de 24.10.1989)
III - periodicamente.(Incluído pela Lei nº 7.855, de 24.10.1989)


§ 1º - O Ministério do Trabalho baixará instruções relativas aos casos em que serão exigíveis exames: (Incluído pela Lei nº 7.855, de 24.10.1989)
a) por ocasião da demissão; (Incluída pela Lei nº 7.855, de 24.10.1989)
b) complementares.(Incluída pela Lei nº 7.855, de 24.10.1989)

§ 2º - Outros exames complementares poderão ser exigidos, a critério médico, para apuração da capacidade ou aptidão física e mental do empregado para a função que deva exercer. (Incluído pela Lei nº 7.855, de 24.10.1989)

§ 3º - O Ministério do Trabalho estabelecerá, de acordo com o risco da atividade e o tempo de exposição, a periodicidade dos exames médicos. (Incluído pela Lei nº 7.855, de 24.10.1989)

§ 4º - O empregador manterá, no estabelecimento, o material necessário à prestação de primeiros socorros médicos, de acordo com o risco da atividade. (Incluído pela Lei nº 7.855, de 24.10.1989)

§ 5º - O resultado dos exames médicos, inclusive o exame complementar, será comunicado ao trabalhador, observados os preceitos da ética médica."
ATESTADO DE FISIOTERAPEUTA É PERFUMARIA PARA FINS LEGAIS. Embora nos esclareça aspectos cinesio-funcionais serve para enfeitar uma vez que não há nenhuma obrigação e controle legal sobre a emissão do mesmo. Sequer é crime previsto no Código de Direito Penal a sua falsificação.


Ou seja é uma farsa este tal de atestado de fisioterapeuta para o trabalhador. Tentam empurrar à toda sociedade um documento sem qualquer valor legal, por enquanto. Portanto eu NÃO SOU OBRIGADO A ACEITAR ATESTADO DE FISIOTERAPEUTA e NENHUM MÉDICO DE EMPRESA TAMBÉM O É. O segurado quando volta para o trabalho precisa de um EXAME MÉDICO DE ADMISSÃO E NÃO EXAME DE FISIOTERAPEUTA. Passa da hora disso ser questionado judicialmente. A população carente é enganada e por varias vezes PAGA para por fisioterapia a fim de ADQUIRIR atestado para PERÍCIA MÉDICA e o seu DIREITO A BENEFÍCIO.

ATUALIZADO EM 20/12/2012:  A pedido do fisioterapeuta, apagamos o nome dele do atestado. Se tem vergonha do que escreveu, não deveria ter escrito. Este BLOG sustenta integralmente o nosso direito de manifestar nosso repúdio contra a paramedicina e denunciar essa prática nefasta. Diagnóstico de incapacidade por doença é ato médico. O resto é papo de quem quer emprego e fez a faculdade errada. (Por Francisco Cardoso).

36 comentários:

Francisco Cardoso disse...

Discordo que não exista crime ético. Como o conselho deles é o primeiro a acobertar práticas ilegais disfarçadas de autonomia profissional, já tive exito em denunciar esses "paramédicos" que pensam que são médicos por exercício ilegal da medicina. Tem 3respondendo processo (02 Ft e 01 Psic) na justiça. Engraçado que não vejo esse tipo de atitude partindo de nutricionista, fonoaudiólogo, terapeuta ocupacional... São sempre os Ft e os Psi..

Heltron Israel disse...

Chico,

Se está regulamentado no CREFITO como pode ser crime ético?
Se não é médico como denunciar no CRM?

Francisco Cardoso disse...

Temos que denunciar no CRM o exercício ilegal da medicina. Com o CRM aprovando tal denúncia, é encaminhada para apuração do MPE ou MPF, dependendo da esfera cabível. A Justiça tem ignorado esses pareceres de copnselhos paramédicos, como o da enfermagem que "autoriza" enfermeiro a prescrever...

leandrobrasil.fisio disse...

Boa noite...
Li e achei interessante e pertinente seu comentário sobre a falta de ética de alguns colegas fisioterapeutas, sou fisiotearapeuta e atuo como perito funcional (habilitado para quantificar capacidade funcional e esclarecer o nexo causal), mas alguns colegas realmente ultrapassam dos limites quando querem realizar procedimentos de exclusividade médica. Gostaria de lembrá-los que nao sao todos o fisioterapeutas que realizam estes procedimentos.

Agora os médicos tem que respeitar a liberade profissional das demais profissões da saude, não pode afirmar que um laudo cinético-funcinal elaborado por um fisioterapeuta não tem valor nenhum, hoje o profissional mais qualificado, porém não o unico, para elaborar laudos funcionais e estabelecer nexo causal de doenças relacionadas ao trabalho ou acidentes de trabalho é o fisioterapeuta.
Agora um fisioterapeuta JAMAIS poderá realizar diagnósticos como infelizmente existem colegas cometendo este absurdo.

Respeitando competencias e tendo ética não estaríamos comentando este tipo de fatos corríqueiros na sociedade.

Heltron Israel disse...

Os laudos cinesio funcionais dos fisioterapeutas Sao detalhados e importantes para avaliação de diversas patologias diagnosticadas e seqüelas. Bem mais detalhado. A questão aqui é a invasão de competências e o que estabelece a própria lei. Por isso eu disse que, por enquanto, não aceitamos e esta justificado a necessidade de avaliação medica no retorno do segurado. Há colegas seus que simplesmente tornam-se fabricas de emissão de atestados a fim unicamente de manter o segurado realizando seus serviços pagos. Gostei do seu comentário. Infelizmente o seu CREFITO iniciou o desrespeito divulgando notas que ofendem o CRM e inclusive o nosso Presidente. A palavra perfumaria é para ratificar que em saúde do trabalhador o que vale ainda é atestado de saúde ocupacional médico.

Francisco Cardoso disse...

Os Os laudos cinesio funcionais dos fisioterapeutas são importantes instrumentos de avaliação e toda RP na minha opinião tem que ter um Ft responsável. Essa sim é a função do Ft. Dar diagnóstico ortopédico e atestar incapacidade é de quem não sabe onde está.

Junior disse...

O fisioterapeuta tem toda liberdade, ética e profissional, de atestar o que bem entender sobre sua avaliação em um cliente, dentro dos limites de sua área de atuação, inclusive declarar se, o mesmo, possui condições de exercer suas atividades de vida sem que ocorra agravo de tais limitações. Aceitar ou não tal atestado cabe ao empregador. E caso nã seja aceito, o empregado tem todo o direito de levar o caso à justiça do trabalho, e essa sim, tem poder de julgar se o atestado é valido ou não, podendo até solicitar laudo médico ou mesmo fisioterapeuta. Assim que funciona legalmente, o resto é opinião pessoal.

Kelly disse...

Uma pessoa que escreve um texto como esse ainda usando de bases legais que não se adequam ao argumento para tentar convencer a todos de que a profissão de fisioterapeuta é desnecesaria em nosso país é porque é do tipo de pessoas que ve o médico como um intelectual que tem dominio sobre todas as areas do conhecimento, ainda mais no que diz respeito à saúde, como se todos os outros profissionais da saúde apenas tivessem o mérito de um assistente tecnico.
A formação em medicina não engloda area de odontologia nem de fisioterapia, por exemplo, e se fizessem a pratica dessas areas constituiria-se crime contra a saude publica.
O fisioterapeuta sabe quais as limitações de um paciente em tratamento neurologico, ortopedico e demais para que seja eficaz esse tratamento.
Dificil seria imaginar um nutricionista redigir um atestado dizendo que seu cliente não pode exercer suas atividades por um determinado tempo porque esta de dieta.
O ilustre operador do direito devia fazer critica à pratica de faude que acontece em todos os setores profissionais habilitados no país, e não a uma determinada categoria que trabalha honestamente e em grandes dificuldades pela cultura de um pensamento que os identificam apenas como massagistas, não sabendo a complexidade e a importancia desse trabalho (eu que diga, pois minha irma depende unicamente da fisioterapia para voltar a andar depois de um acidente automobilistico).
Perante um juiz, todas as outras profissões juridicas são meros palpiteiros, pedintes e capangas?

Kelly disse...

Ass. José Afonso Júnior

Anne Rocha disse...

quando se precisa realmente se dá o devido valor.
aconteceu a mesma coisa comigo, por isso escolhi a profissão!
sem palavras...

P@tty disse...

Concordo com a Anne... só se dá valor quando realmente se precisa. Faço fisioterapia, fui avaliada pelo fisioterapeuta antes de iniciar as seções; quando passei pelo ortopedista, ele não fez nenhum tipo de avaliação, teste, ou algo parecido. Acredito que existem profissionais da fisioterapia capazes de emitir atestados, laudos e pareceres sim. É lógico que, como em todas as classes profissionais, têm alguns fisioterapeutas que não possuem capacidade alguma para emitir esses documentos.

PS: Faço fisioterapia pelo SUS, meu fisioterapeuta não recebe um centavo a mais por me atender ou emitir atestado!!!

Fernanda Luiza disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Notlav Atsoc disse...

O texto do caro autor possui uma clara arrogancia de linguagem, acho que nem precisa se acrescentar muita coisa aqui em comentários visto que muitos já o fiseram. No entanto, percebe-se que o autor parece julgar o todo pela parte. Acaso condenariamos toda a classe médica pelo erro ou irresponsabilidade de um médico? (E olha que não faltaria exemplos disso!). É preciso refletir estas questões, Fisioterapeuta não deve passar do limite de sua atuação, o médico também não. Médico não pode fazer o que faz um Fisioterapeuta, e a reciproca é puramente verdadeira.

Toys Show disse...

não acho que ele esteja atuando como médico e sim como fisioterapeuta, já que através do acompanhamento durante as sessões, pode verificar que o paciente ainda não esta totalmente recuperado,relatando dores,já que a avaliação fisioterapêutica é clínica cinético-funcional.

AMARILDO disse...

Prezados olha a legalidade do ato no link abaixo,acho que após isso dispensa comentários.....

http://www.coffito.org.br/publicacoes/pub_view.asp?cod=1948&psecao=9

Unknown disse...

O Decreto-lei que regulamentou a fisioterapia no Brasil jamais fez menção a atuação pericial do fisioterapeuta, muito menos a competência da profissão para atestar capacidade para o trabalho.
http://direito-vivo.jusbrasil.com.br/noticias/1680179/turma-anula-laudo-pericial-elaborado-por-fisioterapeuta

"No entender da juíza convocada Maristela Íris da Silva Malheiros, o fisioterapeuta não tem habilitação nem capacitação técnica para realizar diagnósticos e, menos ainda, para atestar a existência de dano por acidente de trabalho. O Decreto Lei 938/69, que regulamenta a profissão, estabelece que são atividades privativas do fisioterapeuta a execução de métodos e técnicas terapêuticas, fisioterápicas e recreacionais com o objetivo de restaurar, desenvolver e conservar a capacidade física e mental do paciente. "Laudo médico, como o próprio nome indica, deve ser realizado por médico, único profissional que tem formação, capacitação e habilitação suficiente para emitir parecer ou conclusão sobre o estado físico e mental de pacientes, o que não ocorre com os profissionais de fisioterapia" - concluiu."

O Conselho Federal de Fisioterapia pode editar mil resoluções "autorizando"e "legalizando" o "fisioperito". Mas para fins previdenciários e trabalhistas continua valendo o disposto nas Leis 8213 e Dec-Lei 5452- Laudo Médico é feito por Médico.

Para que o 'Fisioperito" atue como perito judicial, ele deve ser "perito", "expert" no tema da ação judicial. ou seja, tem que ser uma ação que trate, especificamente das atribuições e competências descritas no Dec-Lei 938/69. a saber:
"a execução de métodos e técnicas terapêuticas, fisioterápicas e recreacionais com o objetivo de restaurar, desenvolver e conservar a capacidade física e mental do paciente"
Um exemplo hipotético de uma ação onde seria possível nomear um fisioterapeuta como perito seria, por exemplo, uma ação de um paciente contra um fisioterapeuta, alegando danos pro má técnica fisioterápica.
Chamar "atestado fisioterápico para fins de afastamento do trabalho" de perfumaria não é arrogância. é um eufemismo para crime previsto no art 282 do código penal:Art. 282 -
Exercer, ainda que a título gratuito, a profissão de médico, dentista ou farmacêutico, sem autorização legal ou excedendo-lhe os limites:
Pena - detenção, de seis meses a dois anos.
Parágrafo único - Se o crime é praticado com o fim de lucro, aplica-se também multa.

PÁGINA EM MANUTENÇÃO disse...

Os conceitos de ética, bioética, são bem questionáveis para quem trabalha junto a eles no dia a dia. Não é de hoje que mal sabem interpretar nossas resoluções, tanto que levam à justiça em vão. Todos os pareceres favoráveis aos profissionais fisioterapeutas. Poderíamos perder esse tempo procurando algo que diminuíssem o sofrimentos dos pacientes e os incomodados dessem importância a atos mais humanos do que uns "perfumes".

Mauricio Veloso disse...

Leiam isto.

Sim, é legítimo aos fisioterapeutas e terapeutas ocupacionais a emissão de pareceres e laudos. Esse foi o entendimento do juiz federal da 7ª Vara, Novély Vilanova ao indeferir pedido de liminar feito pelo Conselho Federal de Medicina contra o Conselho Federal de Fisioterapia e Terapia Ocupacional, cujo objetivo era impedir que fisioterapeuta e terapeuta ocupacional emitissem laudos.
Os médicos queriam suspender a eficácia do 1º ao 4º artigo da Resolução 385/2010, do Conselho de Fisioterapia, que respaldam o direito do fisioterapeuta de emitir laudos: "O fisioterapeuta, no âmbito da sua atuação profissional é competente para elaborar e emitir parecer, atestado ou lauda pericial indicando o grau de capacidade ou incapacidade funcional."
No despacho, o juiz federal fez menção aos artigos 3 e 4 do Decreto-Lei 938/1969, o qual prevê que tanto o fisioterapeuta, quanto o terapeuta ocupacional executam métodos e técnicas com a finalidade de restaurar, desenvolver e conservar as capacidades físicas e mentais dos pacientes.
Diante disso, está claro para o juiz que faz jus à profissão de fisio e terapeuta a emissão de laudos. Ele ressalta ainda que "isso não se confunde com o atestado médico, nem ato médico ou ato profissional do médico".
Segundo o juiz, não existe lei definindo "ato médico", senão a Resolução CFM 1.627/2001, que nada tem a ver com o exercício das atividades do fisioterapeuta e do terapeuta ocupacional previstas no DL 938/1969.

Francisco Cardoso disse...

SIm, fisioterapeuta pode fazer laudo sim, mas laudo fisioterápico apenas. Laudo médico não.

É esse o entendimento do STJ. Se a empresa aceitará laudo fisioterápico para liberar paciente, ai é com a empresa. LUTEM por isso ao invés de manter esse recalque anti-médico.

Francisco Cardoso disse...

Comentário de colega feito em blog que reproduziu nossa matéria, com o qual concordo e reproduzo aqui:

"Dr. Paulo Freire - O Decreto-lei que regulamentou a fisioterapia no Brasil jamais fez menção a atuação pericial do fisioterapeuta, muito menos a competência da profissão para atestar capacidade para o trabalho.

http://direito-vivo.jusbrasil.com.br/noticias/1680179/turma-anula-laudo-pericial-elaborado-por-fisioterapeuta

"No entender da juíza convocada Maristela Íris da Silva Malheiros, o fisioterapeuta não tem habilitação nem capacitação técnica para realizar diagnósticos e, menos ainda, para atestar a existência de dano por acidente de trabalho. O Decreto Lei 938/69, que regulamenta a profissão, estabelece que são atividades privativas do fisioterapeuta a execução de métodos e técnicas terapêuticas, fisioterápicas e recreacionais com o objetivo de restaurar, desenvolver e conservar a capacidade física e mental do paciente. "Laudo médico, como o próprio nome indica, deve ser realizado por médico, único profissional que tem formação, capacitação e habilitação suficiente para emitir parecer ou conclusão sobre o estado físico e mental de pacientes, o que não ocorre com os profissionais de fisioterapia" - concluiu."

O Conselho Federal de Fisioterapia pode editar mil resoluções "autorizando"e "legalizando" o "fisioperito". Mas para fins previdenciários e trabalhistas continua valendo o disposto nas Leis 8213 e Dec-Lei 5452- Laudo Médico é feito por Médico.

Para que o 'Fisioperito" atue como perito judicial, ele deve ser "perito", "expert" no tema da ação judicial. ou seja, tem que ser uma ação que trate, especificamente das atribuições e competências descritas no Dec-Lei 938/69. a saber:

"a execução de métodos e técnicas terapêuticas, fisioterápicas e recreacionais com o objetivo de restaurar, desenvolver e conservar a capacidade física e mental do paciente"

Um exemplo hipotético de uma ação onde seria possível nomear um fisioterapeuta como perito seria, por exemplo, uma ação de um paciente contra um fisioterapeuta, alegando danos pro má técnica fisioterápica.

Chamar "atestado fisioterápico para fins de afastamento do trabalho" de perfumaria não é arrogância. é um eufemismo para crime previsto no art 282 do código penal:

Art. 282 -
Exercer, ainda que a título gratuito, a profissão de médico, dentista ou farmacêutico, sem autorização legal ou excedendo-lhe os limites:
Pena - detenção, de seis meses a dois anos.

Parágrafo único - Se o crime é praticado com o fim de lucro, aplica-se também multa."

Dr. Renato da Rosa Rodrigues disse...

Sr. Francisco Cardoso. O que faz o senhor achar que todo fisioterapeuta tem recalque em ser médico? E que o fisioterapeuta não está apto a fazer um laudo pericial? Ao contrario do que o senhor diz, tem muito mais médicos nas páginas policiais do que os outros profissionais citados pelo senhor. Envolvidos com propina em hospitais publicos, fazendo pericias para onerar o já sacrificado INSS, fazendo monstruosidades que nem o próprio dr. Frankentein seria capaz de faze-lo. A maioria são assassinos de jaleco branco e o Conselho Regional de Medicina pra variar sempre se omitindo.
Então sr. Francisco Cardoso, antes de publicar uma asneira dessas, leia mais sobre as classes de profissionais que citou e veja como conseguimos desfazer as merdas (que não são poucas) que os médicos fazem.
Atenciosamente
Dr. Renato da Rosa Rodrigues - FT

Francisco Cardoso disse...

O que me faz pensar que pessoas como o senhor são recalcadas? Essa sua mensagem, por exemplo, com esse "Dr." na frente, outro exemplo.

Onde eu disse que FT não pode fazer perícia? Claro que pode, desde que sejam perícias em fisioterapia, jamais perícias médicas.

A maioria são assassinos de jaleco branco??? De onde vc baseia essa informação? Mais reclaque que isso, impossível.

Henry Alves de Lima disse...

Dr Francisco Cardoso, mais respeito com os outros profissionais de saúde, dizer que é "perfumaria para fins legais" não soa bem vindo de um profissional de alto gabarito...primeiro que os profissionais não médicos não são paramédicos, somos todos profissionais da saúde, segundo não estamos à mercê de vossos diagnósticos, muitas vezes muito mal elaborados, pois o ato médico não foi aprovado e cada profissional tem seu próprio diagnóstico. Se um paciente quiser me procurar devido a uma lombalgia, posso atendê-lo sem precisar de um encaminhamento seu. O diagnóstico nosológico não é ato privativo do médico, conforme vocês queriam, mas o diagnóstico cinesio-funcional É ATO PRIVATIVO DO FISIOTERAPEUTA, seja humilde e aceite que vocês médicos não dominam todas as áreas de conhecimento da biologia humana. Mesmo conhecedor das resoluções do COFFITO não faço atestados porque sei que terei dor de cabeça, mas nos meus relatórios que faço para o INSS às vezes sugiro ou solicito a continuidade da licença de trabalho para melhor andamento do tratamento dando meu diagnóstico cinesio-funcional e sou atendido sem problemas. O que acontece é que muitos médicos do INSS não avaliam o paciente adequadamente e acabam indeferindo o pedido de prorrogação do benefício , mesmo com laudo médico, e a gente acaba intervindo no caso. Os colegas fisioterapeutas tem que aceitar que um laudo fisioterapêutico tem pouco ou nenhum efeito se não houver o laudo médico. Eu vejo o laudo fisioterápico como um complemento para benefício do paciente, isso nos casos do INSS. Eu acredito que se cada profissional fizer o seu papel, o paciente será beneficiado e haverá mais respeito, coisa que não está acontecendo nesse blog. Eu duvido algum médico saber operar (indicação, contra-indicação e parâmetros)todos nosso aparelhos de Ondas Curtas, ultra-som, diadinâmicas, correntes bi e tetrapolar, laser, FES, TENS, corrente galvânica, etc...se eu quiser fazer atestado médico, vou fazer medicina, se quiser fazer diagnóstico cinesio-funcional, faça fisioterapia.

Francisco Cardoso disse...

Atestado de fisioterapia nem é olhado no INSS. Não preciso de ato médico nenhum para saber que diagnóstico nosológico é competência médica e lombalgia não é diagnóstico cinésio-funcional. DITO ISTO, sim, são todos paramédicos, nasceram à sombra e às custas da profissão-mãe, a medicina, e agora se comportam como filhos recalcados na plena adolescência. Um hospital pode funcionar sem fisio, mas sem médico fecha as portas pois, no frigir dos ovos, o doente vai estar lá e só o médico saberá dar conta da situação.

Henry Alves de Lima disse...

Ah tá, então porque não vai aspirar paciente, fazer a comida deles, limpar o cocozinho, trocar os lençóis...é muita prepotência achar que um hospital só funciona com médicos, se não tiver motorista não tem ambulância, se não tem faramcêutico não tem remédio, se não tem enfermagem não tem médico, vocês não são nada sem enfermagem!!! Quero ver fazer reabilitação sem fisio...e presta atenção no que escrevo, não falei de atestado no INSS falei de relatório, e os peritos exigem relatório da fisio sim, informe-se melhor...quantos diagnósticos de hanseníase são feitos por enfermeiros onde não tem médicos; quando todos os médicos souberem intubar e souberem manejar a ventilação mecânica fico quieto, porque na hora de ventilar paciente com SDRA chama o fisio, já tive que diagnosticar TEP de paciente pós cirúrgico de fratura de fêmur porque o "Doutor" não tinha visto nada no RX de tórax e a mulher estava saturando 30% pq a FiO2 estava em 21%. Entendeu ou vai procuar no Google? Em 5 minutos resolvi a situação e mandei a paciente para a UTI e em 2 dias estava extubada. Já vi que falta humildade aqui Doutor. Se um dia precisar de fisioterapia, procure um médico.

Francisco Cardoso disse...

Quanta prepotência... Quando eu precisar de um fisio eu procuro um, como já fiz aliás e o mesmo me atendeu com eficiência. Sim, hospital pode funcionar sem tudo, mas sem médico fecha sabe porque? Por que vocês paramédicos não vão ficar em um hospital sem médico e cheio de doentes. Já médico consegue, mesmo que em condições terríveis, atender e dar conta, claro que sem o suporte de vocês fica mais difícil e penoso, mas. É para isso que vcs existem, para prevenir e reabilitar, leia os seus livros.

Quanto a diagnóstico nem vou perder meu tempo... Só pq fez UM se acha o fodão, imagina eu então que faço centenas por dia. Quanto a procedimentos, bom, todos os médicos de quem se espera saber entubar, entubam. Fisio se acha auto suficiente em ventilação? Que adianta, se não sabe manejar droga vasoativa? O corpo humano é interligado, caríssimo, não são esses circuitos elétricos simples que vcs operam.
Se eu quisesse mexer com aparelho elétrico tinha feito engenharia.
O corpo humano é muito mais que saber mexer em ventilador, caro, isso qq médico decente que trabalha em uti sabe. A vida não é esse toddynho gelado que a mamãe te dá não, cai na real que tá ridículo seu discurso.

Henry Alves de Lima disse...

O problema é que quando não tem argumento começa a ofensa, eu não te ofendi em nenhum momento, e eu faço diagnóstico todos os dias pq seus colegas não sabem nem diferenciar uma bursite de uma tendinite, e o que adianta manejar droga vasoativa se não sabe nem diagnosticar TEP!!!! Eu vejo mesmo as centenas de "diagnósticos" que os peritos fazem, tenho centenas de pacientes que tem o pedido de licença indeferido porque o super perito só acha que o paciente tá querendo tirar vantagem e não tira a bunda da cadeira prá examinar o doente... milhares de pessoas hoje nem sabe como vão pagar as a contas por causa de peritos que não sabem nem olhar para a cara do sujeito, são preguiçosos em avaliar e o seu problema é que você não se conforma que temos os mesmos conhecimentos de Anatomia, fisiologia, patologia, tive excelentes professores médicos que me ensinaram muito mas nunca me ensinaram a ser igual a você.

Francisco Cardoso disse...

Quem foi que disse que eu não sei diagnosticar TEP? O que você sabe, empiricamente, de acompanhar casos, eu estudo há quase 20 anos. Por favor, quanto recalque. Por que não se forma médico então para ensinar aos colegas ruins que vc diz conhecer? Acha que medicina é só TEP? Esse é o problema dos paramédicos: Por saberem "um pouco" de medicina acham que podem ser "um pouco" médicos...

Francisco Cardoso disse...

Mesmos conhecimentos em Patologia, em Anatomia? Onde meu deus que isso ocorreu? Onde???? É recalque demais....

Francisco Cardoso disse...

Perito não faz diagnóstico, o "sabichão" !!!!

Perito médico no INSS analisa apenas incapacidade laborativa nos termos da lei.

Fica escrevendo bobagem aqui e bancando o sabe tudo, nem sabe o que é uma perícia.... Mas está perdoado pois é leigo.

José Ricardo Camargo Xavier disse...

Caro Senhor: Vislumbrando sua dissertação baseada nas legislações vigentes, o profissional não médico pode sim emitir atestados de saúde baseado em seus conhecimentos científicos na área de sua atuação, muitas vezes com mais base científica que médicos, podendo ou não ser aceitos por médicos do trabalho ou peritos médicos. Outrossim, os Conselhos de Classe desses profissionais deveriam dar esse amparo infralegal para essa conduta. Afinal, se a Constituição nada fala a respeito,e não cita mesmo, o que não é proibido é permitido. José Ricardo

José Ricardo Camargo Xavier disse...

Caro Senhor: Vislumbrando sua dissertação baseada nas legislações vigentes, o profissional não médico pode emitir atestados de saúde baseado em seus conhecimentos científicos na área de sua atuação,muitas vezes com mais base científica que médicos, podendo ou não ser aceitos por médicos do trabalho ou peritos médicos. Outrossim, os Conselhos de Classe desses profissionais deveriam dar esse amparo infralegal para essa conduta. Afinal, se a Constituição nada fala a respeito, e não cita ou se refere a esse tema, o que não é proibido é permitido. José Ricardo

Alessandra Camargo disse...

Ao ler a sua postagem Sr. Francisco Cardoso, identifiquei, como graduanda do curso de fisioterapia, além de erros de português "emiSão", a presença de trechos que ferem os direitos morais e éticos dos profissionais de Fisioterapia e demais áreas da saúde. Ressalta-se que ao fazer uso do direito de livre expressão, o senhor se expressa exorbitantemente ferindo a integridade de nossa classe profissional.
É prudente afirmar que parecer, atestado ou laudo não constitui perfumaria para fins legais, pois esses documentos são amparados pela resolução n°381 de 03 de novembro de 2010, fato, que lhes confere amparo legal.
Afirma-se também que mesmo não tendo espaço no código de direito penal, qualquer ação ilícita envolvendo tais documentos será objeto de procedimento administrativo se tal ato ocorrer na esfera da administração pública.
A fisioterapia no âmbito da administração pública, ao emitir qualquer documento tem pelo princípio da presunção da legitimidade valor legal até que sua ilegalidade seja comprovada. Assim torna-se incoerente a afirmação que sem nenhuma sustentação legal, declare nulidade ao documento emitido pelos profissionais da Fisioterapia.

Espero que o DOUTOR leia minha postagem e fique ciente do direito fundamental de resposta assegurado pelo inciso V do artigo 5° da CFB-88.

Indignada pela falta de respeito, Alessandra Couto de Camargo.

Maiza Soares disse...

Ola, No momento estou fazendo fisioterapia.na mão direita o médico ortopedista me deu 15 dias e depois disso mandou eu tirar o gesso e fazer fisioterapia,colocando tendinite traumatica..só que ao tirar o gesso ele nem se quer olhou na minha mão. E quem faz a fisio é que esta vendo o real problema,as minhas dores e dificuldades estava cumprindo aviso previo e sofri acidente de trabalho,fui liberada em 15 dias e ainda faço a fisio, nesse caso acho que o mais competente para dar um laudo é o fisioterapeuta...esse é meu modo de ver...

ingrid bocchi ingrid disse...

Boa tarde Sr. Francisco Cardoso.
O que tenho a lhe dizer, como profissional fisioterapeuta, é que tenho vergonha do ser humano que você se apresenta, a julgar pelo presente texto. Vergonha, pois qualquer profissional da saúde, que venha a cuidar de enfermos, sendo ele médico ou não, tem que ser antes de mais nada humano. E isto o senhor mostra que não é. ou é pela metade. Pois Arrogância e "deusismo" não são adjetivos de um profissional que jura ajudar ao próximo dentro de quaisquer circunstância. O senhor não é Deus. E a medicina esta longe de caminhar sozinha. Mostrei esse teu texto a dois colegas meus, médicos, e eles o repudiam igualmente. Vejo que sua criação foi ínfima. Nós respeitamos a classe médica, respeito você também. Laudo-funcional: Fisioterapeuta
Laudo clínico: médicos. simples!
Fique com Deus e passados anos desse teu post espero que já tenha evoluído como pessoa.


Ingrid Moreira
Fisioterapeuta

Welington Camilo da Silva disse...

Fisioterapeuta pode pedi exame de imagem?