quinta-feira, 13 de junho de 2013

ESTAMOS EM 1964?

Estive hoje bem perto do palco das manifestações que vem ocorrendo aqui em São Paulo ao longo da semana em virtude do chamado Movimento Passe Livre contra as tarifas de ônibus. Ao ver o que ocorria, pude identificar quatro grupos:


A) Manifestantes pacíficos querendo protestar;

B) Arruaceiros travestidos de manifestantes que foram lá para depredar, pichar e provocar a polícia;
C) Policiais contendo o grupo de forma não-ostensiva;
D) Policiais com rosto tapado que já saíram das viaturas sentando o cacete em tudo e todos;
São Paulo, 13 de junho de 2013 - Rua da Consolação (parece 1964).

Na rua Maria Antônia, sede de faculdades da USP e da Mackenzie, um grupo de policiais e um grupo de arruaceiros começaram o conflito, não deu para saber quem começou o que.

O resultado foi uma confusão que espalhou gás de efeito moral em todo o complexo do mergulhão da Paulista, um entroncadouro de ruas que conecta 5 das principais vias da cidade e onde estão localizados sete grandes hospitais, inclusive o maior hospital público da América Latina, o Complexo do Hospital das Clínicas da FMUSP.

Não dá para identificar a quem se presta esse movimento e a quem serve os policiais que já saíram na agressão. O protesto prejudica tanto o prefeito Fernando Haddad (PT), já chamado de "Fernando Maldad", como o governador Alckmin (PSDB). No Rio de Janeiro, onde movimento similar vem ocorrendo, o prejudicado é o PMDB.

Certamente não é partidária a força por trás desses movimentos. Os chamados estudantes que "lideram" o Movimento Passe Livre são claramente marionetes usadas para aparecer ao público, não são nem de longe os que controlam a massa que apareceu hoje em São Paulo. A quem eles servem, isso é um mistério que talvez nem mesmo eles saibam.

Se por um lado os estudantes possivelmente cooptados denunciam com razão o preço extorsivo das passagens, a exclusão social que geram e o argumento falso usado pelos dirigentes de que o reajuste de 0,20 centavos foi "abaixo da inflação" (mas a passagem já estava muito acima da inflação antes), por outro lado a proposta de tarifa zero esbarra na falta de proposta sobre onde viria a verba para custear esse subsídio, o que na prática anula sua força.

Estudo do rejuste das tarifas de ônibus em São Paulo desde o início do Plano Real - Se o aumento das passagens se desse conforme a inflação real (IPC TRANSP), ela deveria ser de R$ 2,73. Mas já custava R$ 3,00 e foi para R$ 3,20. 

O fato é que esse tipo de situação, associado ao aumento da violência, da inflação e do roubo descarado começa a lembrar uma situação parecida como pré-64, que não vivi mas quem viveu teve arrepios hoje ao ver o que houve em São Paulo.

Se nós sabemos que esses aumentos tarifários estão a serviço da especulação e do lucro empresarial que financiou as campanhas dos eleitos, fica a dúvida sobre quem de fato está patrocinando essas manifestações violentas em São Paulo? O pior cenário é descobrir que ninguém está e que se trata de legítima manifestação popular, pois se o for, revela que poderemos estar embarcando em uma verdadeira guerra civil oficial se nada for feito.

Esse é o legado que o Estado Babá (que suga tudo dos trabalhadores para dar aos empresários e "desfavorecidos socialmente") está deixando no Brasil.

4 comentários:

aldofranklin disse...

Quem lembra do acidente com a Ferrari na Marginal, ocorrida dias atras?
É do filho do empresário que controla o Transporte Publico em Sao Bernardo do Campo!
O negocio é tão bom, o negocio dá tanto lucro, que vc pode perder um carro de mais de 2 milhões de reais e não se preocupar com o $$$!
Isso é Brasil! País de conchavos, país de acordos na calada da noite! País esquema!
So não escrevo sobre SP pois "nem tudo podemos dizer"...so uma dica:
- Vejam quem controla os buzao de SP?
- Vejam qual Deputado Estadual e Vereador?
- Veja a mudança na Declaração de Rendas pro TRE dos mesmos?
Hum, uso de laranjas?
Brasil, país lixo!
Quem for contra, coloque seus argumentos!

Aloísio disse...

Concordo com Aldo.. país é lixo... Quer se revoltar??? quer fazer quebra-quebra? vá quebrar os carros dos vereadores, dos secretários do prefeito, dos secretários do governador. Agora for queimar ônibus só vai se prejudicar, pois quem pega ônibus é o proletariado... o político vai continuar indo trabalhar de carro.. É a hora da guerra civil e dar o troco para os políticos das políticas públicas deles...

Francisco Cardoso disse...


Chequei o registro IP (Whois) do site desse Movimento Passe Livre e descobri que pertence a uma Associação Cultural Alquimídia, que até hoje de manhã constava como sendo patrocinada pelo Governo Federal.

Copyright (c) Nic.br
% A utilização dos dados abaixo é permitida somente conforme
% descrito no Termo de Uso (http://registro.br/termo), sendo
% proibida a sua distribuição, comercialização ou reprodução,
% em particular para fins publicitários ou propósitos
% similares.
% 2013-06-14 15:37:55 (BRT -03:00)

domínio: mpl.org.br
entidade: Associação Cultural Alquimídia
documento: 005.206.060/0001-89
responsável: Thiago Skárnio
endereço: Edison Areas. Bairro: Trindade., 50, fundos
endereço: 88036-070 - Florianópolis - SC
país: BR
telefone: (48) 32071213 []
ID entidade: TGL52
ID admin: TGL52
ID técnico: PIF23
ID cobrança: TGL52
servidor DNS: a.sec.dns.br
status DNS: 12/06/2013 AA
último AA: 12/06/2013
servidor DNS: b.sec.dns.br
status DNS: 12/06/2013 AA
último AA: 12/06/2013
record DS: 59693 RSA/SHA-1 518D1924D23323C080527A2FCF1F83EC0E4EEA93
status DS: 12/06/2013 DSOK
último OK: 12/06/2013
criado: 05/09/2005 #2320031
expiração: 05/09/2014
alterado: 24/09/2012
status: publicado

ID: PIF23
nome: Pietro Ferrari
e-mail: pietro@riseup.net
criado: 26/10/2005
alterado: 26/04/2013

ID: TGL52
nome: Thiago Gonzaga Lopes
e-mail: adm@alquimidia.org
criado: 18/04/2005
alterado: 25/03/2013

% Problemas de segurança e spam também devem ser reportados ao
% cert.br, http://cert.br/, respectivamente para cert@cert.br
% e mail-abuse@cert.br
%
% whois.registro.br aceita somente consultas diretas. Tipos de
% consultas são: dominio (.br), ticket, provedor, ID, bloco
% CIDR, IP e ASN.

Ai fui atrás dos outros registros do dono do IP e achei esses:

% Copyright (c) Nic.br
% A utilização dos dados abaixo é permitida somente conforme
% descrito no Termo de Uso (http://registro.br/termo), sendo
% proibida a sua distribuição, comercialização ou reprodução,
% em particular para fins publicitários ou propósitos
% similares.
% 2013-06-14 15:38:25 (BRT -03:00)

entidade: Associação Cultural Alquimídia
documento: 005.206.060/0001-89
responsável: Thiago Skárnio
endereço: Edison Areas. Bairro: Trindade., 50, fundos
endereço: 88036-070 - Florianópolis - SC
país: BR
telefone: (48) 32071213 []
ID entidade: TGL52
criado: 05/09/2005
alterado: 13/07/2012

ID: TGL52
nome: Thiago Gonzaga Lopes
e-mail: adm@alquimidia.org
criado: 18/04/2005
alterado: 25/03/2013

domínio: 4elementos.org.br
domínio: alquimidia.org.br
domínio: cardapiocultural.org.br
domínio: floripateatro.com.br
domínio: ganesha.org.br
domínio: masc.org.br
domínio: mpl.org.br
domínio: projetocaeira21.org.br
domínio: projetoganesha.org.br
domínio: sarcastico.com.br
domínio: soportais.com.br

% Problemas de segurança e spam também devem ser reportados ao
% cert.br, http://cert.br/, respectivamente para cert@cert.br
% e mail-abuse@cert.br
%
% whois.registro.br aceita somente consultas diretas. Tipos de
% consultas são: dominio (.br), ticket, provedor, ID, bloco
% CIDR, IP e ASN.


Vários desses sites são de movimentos culturais, inclusive de um Museu de Artes Catarinense, todos sediados em Florianópolis-SC, muitos com patrocínios do Governo Federal, inclusive o Alquimidia, que apagou esses registros hoje do site.

Eu errei, é partidário sim e está ligado ao Governo Federal. Uma série de ONGs com IP centrado na mesma pessoa, muitas com patrocíniuos federais, isso não é acaso, nem coincidência, e cheira a esquema de captação de recursos públicos, que deveria ser investigada mais a fundo.

Herbert disse...
Este comentário foi removido pelo autor.