terça-feira, 18 de junho de 2013

INEFICIÊNCIA DO SUS E BENEFÍCIO POR INCAPACIDADE

Cardíaco, Antônio Carlos Bertoloto, 50 anos, só conseguirá ser atendido no ano que vem
17/06/2013 - 21h50 | Juliana Franco
Fonte: Correio Popular - Campinas SP
Foto: Del Rodrigues/AAN
Antonio Carlos Bertoloto mostra o agendamento para junho de 2014












Os primeiros sintomas apareceram há três meses. Após passar por exames, o cardiologista da rede pública de saúde encaminhou o vigilante Antônio Carlos Bertoloto, 50 anos, para realizar um teste ergométrico pelo SUS (Sistema Único de Saúde). Ao chegar ao Emcor (Emergências do Coração) de Piracicaba, na última sexta-feira (14), a surpresa: o exame foi agendado para o dia 16 de junho de 2014, só daqui a um ano.
De acordo com o vigilante de banco, que está afastado pelo INSS (Instituto Nacional do Seguro Social), os primeiros exames foram solicitados por médicos da UBS (Unidade Básica de Saúde) de Ártemis, bairro onde mora. "Com os exames de Raio-X, de sangue e de urina em mãos, a médica da UBS me encaminhou a um cardiologista da UBS do Centro. Ele analisou o meu caso, constatou uma arritmia, mas não soube precisar o problema. Por isso, fez um encaminhamento para o teste ergométrico no Emcor", explica Bertoloto.
"Como posso esperar um ano por exame do coração? E se o que eu tenho for grave? Pago impostos a minha vida toda e, quando preciso, além de não conseguir o teste, sou atendido com ironia e com má vontade", diz.
O teste ergométrico foi agendado para o dia 16 de junho de 2014, às 9h. Bertoloto conta que questionou a possibilidade de alguma desistência, mas a atendente afirmou que não há chances de mudar a data. Somente se ele pagar R$ 180 pelo exame. "Ela disse que se eu pagasse, poderia realizar o exame no dia seguinte. Agora, como é possível pagar R$ 180 por um teste, quando o salário mínimo é de R$ 600? Tenho quatro filhos e não reclamo só por mim. Como eu, muitas outras pessoas estão nesta fila absurda", desabafa.
No próximo dia 31, o vigilante tem perícia agendada no INSS. Ele disse que vai apresentar o encaminhamento médico e a data disponível para a realização do exame.
Outro lado
A Secretaria Municipal de Saúde informou que o teste ergométrico é realizado pelos Serviços de Cardiologia dos hospitais de referência — HFC (Hospital dos Fornecedores de Cana) e Santa Casa. Nos casos urgentes é possível, mediante laudo detalhado do médico cardiologista que solicitou o exame, antecipar a realização do procedimento. A pasta informou que hoje, são realizados cerca de 80 testes por mês. A Secretaria de Saúde estuda a ampliação desse número.

3 comentários:

aldofranklin disse...

80 por mes isso nao é nada!
Possível Serviço Terceirizado que recebe um limite!
Se fizer mais é de graça!
Colega que conheço faz Mamografia pra Serviço publico e so pode 300 exames a cada 6 meses!
Isso é Brasil! É a gestão Dilma e Padilha da Saude!
É a razão de PP. prolongado na Pericia!
A incompetência desse Governo é demais!
População tem que trocar urgente! Ninguem aquenta mais tanto descaso! É muita humilhação! Ja esses bacanas correm pro Sírio Libanês enquanto o povo sofre! Sao desumanos!
É muita maldade!!!

Alexander Kutassy disse...

As ruas estão aí, e os protestos querem insistir se fazem por questão de R$ 0,20 a mais em passagens de ônibus... Que incompetência interpretativa. É apenas uma razão a mais, porque a insatisfação do povo vai muito além do que o imaginoso mundo virtual dos palácios se dá conta. Falta pouco para Dilma mandar comer brioches. Constata-se com alívio que o povão não se deixa mais enganar com pão e circo. As infantilidades previdenciárias estão embutidas na insatisfação das ruas.

Vandeilton disse...

Esta marcha é uma vergonha. Envergonho-me de ser brasileiro quando vejo estes manifestantes.
.
.
.
Existe 2 tipos de enfrentamentos a um problema.
O primeiro é o estilo profissional:
# análise do problema: você estuda o problema, suas origens, fatores desencadeantes, quais destes podem ser mudados;
# análise das ferramentas disponíveis; você estuda as ferramentas de ataque, quais são comprovadamente mais ágeis, baratas, factíveis e que têm o maior impacto sobre o problema;
# manobras de fortalecimento da equipe: você estuda o que não deve ser feito, tal como: quais são os métodos mais caros, com maior riscos, menos eficazes e que causam menos impacto na resolução do problema. Isto tudo para convencer seus colaboradores de que estão no caminho certo, unindo mais a equipe;
# prática: Implanta-se a solução planejada, mas o faz em etapas (metas), criando métodos de avaliação em cada meta pré-fixada, a fim de corrigir desvios e conferir se os resultados estão dentro do esperados.
# revisão pós-resolução: ao atingir seu objetivo, avalia-se se o mesmo é aquilo que todos procuravam e se ele não criou outros problemas em assuntos correlacionados.
.
.
.
O segundo estilo é do "jeitinho".
1) Você tem um problema, mas diz que ele não é seu.
É do vizinho, é do governo, é dos adultos, é da polícia, é dos políticos, é dos empresários, é dos índios, é da assistente social ... é de todo mundo, mas não seu.
.
2) o problema aumenta, e passa a te atrapalhar em alguma coisa.
Você xingar todos os citados acima, em uma mesa de bar ou na fila do show de seu cantor, e depois "contorna" o problema, dando um "jeitinho" (geralmente você faz algo ilegal, mas socialmente aceitável);
.
3) o problema cresce e passa a anular seu jeitinho, assim como diminuir o número e encarecer novos jeitinhos. Você xinga todo mundo novamente, mas agora no Facebook. Você tenta novamente um último jeitinho (aí corre suborno, acesso a informações privilegiadas, corrupção, improbidade administrativa, peculato etc).
.
4) o problema cresce mais, e seus jeitinhos se acabam.
Ou você paga para alguém resolver o problema, ou procura outra pessoa em situação similar para juntar forças.
Juntar forças para resolver o problema? não, para achar um jeitinho mais caro, porém mais eficaz (envolvendo crimes maiores também, agora em bando).
.
5) não dá mais para conviver com o problema?
Você procura pessoas que sejam radicais, que tenham experiência em cooptar manifestantes ou se infiltrar em manifestações dos outros, que gostam de uma baderna e e quebra-quebra e, como você, não quis enfrentar o problema. Todos saem pelas ruas, enfrentando a polícia, botando fogo em ônibus e carros, depredando bancos e colocando a vida de milhares em risco. Aparece na TV, acha-se um guerrilheiro, o salvador da pátria, diz que vai mudar o Brasil ... quem dera mudassem mesmo, mas mesmo que esta turma consiga tomar o lugar da Dilma, nada saberão fazer, pois nunca estudaram o problema, sempre esperaram para que outro o resolvesse. Eles só sabem gritar, mais nada.
.
Não sabem que, para resolver o problema, basta cada um aprender conceitos de coletividade, noções de civismo, aprender que a melhor maneira de mudar o Brasil é fazer bem a sua parte ao mesmo tempo em que fiscaliza os políticos para que façam também a deles.
.
Mas acima de tudo, a norma básica é saber votar.