terça-feira, 18 de junho de 2013

SAÚDE MULTIPROFISSIONAL ENVOLVE ATÉ "OFICINEIRA" MAS EXCLUI O MÉDICO

Abaixo a prova do que é a verdade por trás do discurso da dita saúde "multiprofissional" no Brasil: Um pretexto, uma desculpa para leigos assumirem o papel de médico, a preços mais baratos para o Estado ganancioso.

Reparem nos diagnósticos médicos firmados, no tratamento descrito, nas "intervenções" dos "profissionais multiprofissionais". Cadê o médico???

Diversos carimbos de mais de um psicólogo, enfermeiros, técnicos de farmácia (??) e, espantem, até mesmo uma "oficineira" dá pitacos na saúde mental do paciente, encaminhado à perícia do INSS.

Atestado multiprofissional - Os nomes foram ocultados para não ferir suscetibilidades. De médico e louco todo bobólogo tem um pouco.

O Dr. Sérgio Carneiro vai amar esse atestado e vai chamar a perícia de "bruta" e "insensível" pelo CREM-1 mas faça-me o favor, isso já virou palhaçada. Temos 10 (dez) carimbos de diversos profissionais da saúde (da saúde??) invadindo área médica, dando diagnóstico e terapêutica e as mesmas carimbam isso sem o médico???

A saúde multiprofissional no Brasil nada mais é que o discurso sectário de profissões diversas que invadiram a área da Saúde em busca do emprego que não encontraram em suas áreas primárias, principalmente as das chamadas ciências humanas, como Psicologia, Serviço Social. A oficineira é apenas a pérola do sectarismo que usa um papinho bonitinho e moderno para na verdade afastar o médico da equação e roubar-lhe atribuições e consequentemente mercado de trabalho.

É por essas e outras que estamos vendo centenas de milhares de pessoas protestando nas ruas. O brasileiro cansou disso e exige que sua saúde seja levada a sério pelas autoridades. Não que a presença de psicólogos, oficineiros, técnicos de farmácia e etc não possa ser útil mas desde que se atenham às suas funções e parem de brincar de médicos com o lombo do cidadão refém desse tipo de serviço do "SUS".

Se for para ser assim, é melhor acabar com essa coisa ridícula e sectária chamada de "atenção multiprofissional" e focarmos apenas na boa e velha "atenção MONOprofissional" pois é isso o que a população quer, inclusive o Ministro da Saúde que disse que "a população quer mais médicos".

7 comentários:

JOSÉ ALBERTO ARMÊNIO disse...

Os carimbadores não prescreveram os medicamentos.
Se esse relatório vier acompanhado da respectiva prescrição médica, poderá ser aceito como prova de incapacidade.
Ninguém consegue ir diariamente ao CAPS na Capital e trabalhar.

Eduardo Henrique Almeida disse...

Putz

Francisco Cardoso disse...

Falou tudo, Armênio - Da respectiva prescrição MÈDICA. E também do laudo médico justificando o CAPS diário. EM suma, esse laudo é imprestável para fins periciais.

Heltron Xavier disse...

Papel agüenta tudo...

JOSÉ ALBERTO ARMÊNIO disse...

CHICO, AÍ TEMOS QUE TER CUIDADO. ATUALMENTE SÃO RAROS OS PSIQUIATRAS QUE FAZEM TERAPIA [ ACREDITO QUE NO SUS SEJAM INEXISTENTES ]. ENCAMINHAM PARA PSICÓLOGO[A.
A FREQUÊNCIA DA TERAPIA DEVE SER DETERMINADA PELO[A] TERAPEUTA.
É EVIDENTE QUE ESSA " CARIMBEIRA " É UM ABSURDO, UMA " FORÇADA DE BARRA " E QUIÇA UM LEVE DES/PEITO/RESPEITO.
MAS UM DOS PROBLEMAS MAIS RECORRENTES NA PERÍCIA É O FENÔMENO DA TRANSFERÊNCIA/CONTRATRANSFERÊNCIA. QUEM NÃO CONHECER OU NÃO SOUBER IDENTIFICAR ESSE FENÔMENO MAIS CEDO OU MAIS TARDE ENFRENTARÁ PROBLEMAS DE RELACIONAMENTO.
ESSE " DOCUMENTO " É UMA FORMA DE TRANSFERÊNCIA. POSSIVELMENTE É CASO DEVERAS GRAVE, COM INÚMEROS T1 DAÍ A " CARIMBAÇÃO ".
SE O PERITO CONTRA TRANSFERIR ESTARÁ CRIADO O CLIMA DE CONFRONTO.

aldofranklin disse...

Fora isso, esqueceu que vc terá oportunidade de examinar o Segurado? Dai tirar suas conclusões!

JOSÉ ALBERTO ARMÊNIO disse...

Isso Aldo.
Sem um serviço de acompanhamento pós perícia pelo inss, sempre teremos dificuldades.
Em muitos casos deixo isso consignado nas conclusões.