quinta-feira, 28 de junho de 2012

RELATO DA HISTÓRICA REUNIÃO DOS PERITOS GAÚCHOS COM O PRESIDENTE DO INSS

Tive a honra de representar, junto com Luciana Coiro, o Sindicato Nacional dos Peritos Médicos, na que já se pode chamar de histórica reunião entre peritos e o presidente do INSS, sem intermediários, motivada por uma crise institucional e agravada por declarações caluniosas e difamatórias supostamente proferidas pelo presidente Hauschild contra a categoria médica na mídia gaúcha ao longo dessa semana. Digo supostamente pois ele negou todo o conteúdo e disse que iria tomar as providências para buscar reparação junto aos jornais locais.

Junto com o Sindicato dos Peritos estavam o SIMERS representados pela Dra. Clarissa (perita e diretora sindical), a Associação Gaúcha de Peritos (Dr.Luciani), o SINSPREV, Imprensa gaúcha e sindical, 3 gerentes executivos e a superintendente da regional Sul além de quase 100 peritos de 3 GEx do RS (PoA, NH e Canoas) e seus respectivos SST.

No início a reunião foi muito tensa com os peritos espontaneamente descarregando toda sua frustração e revolta com os comentários e matérias nos jornais e a superintendente tentando fazer o meio campo de dizer que ia ter explicação pra isso mas que devia haver comprometimento com a causa, com o problema e ainda se deu ao luxo de fazer ameaças veladas dizendo "se os peritos não resolverem vamos jogar o problema para a população".

A revolta só aumentou com duras e firmes palavras sendo dirigidas aos gestores e com a atuação do Sindicato dos Peritos provamos por A + B que a culpa da fila é da gestão incompetente e caótica que não se comunica e possui sistemas de controle falhos e redundantes. Mostramos que os peritos do Sul são os que mais fazem perícias per capta em TODO O BRASIL há pelo menos 4 anos, usando os próprios números dos boletins estatísticos do INSS. Provamos que o problema não é demanda crescente, que a mesma é estável e oscila na mesma faixa há 4 anos.

Mostramos que o problema é que houve uma sangria de 41% dos quadros periciais no Sul em 48 meses e que a demanda sempre está mais alta que a capacidade. Mostramos que após zerar a fila em 2009 recebemos como brinde o SISREF, 8H e PAD. Mostramos que existe interesse em que se tenham filas (esquema das diárias) e mostramos o absurdo da DCA, que corrompe até o cidadão de bem que fica tentado a marcar um PP só pra receber por mais meses sem trabalhar. Mostramos que desde a revigação do MEMO 41 em agosto de 2009 e o retorno do Ax1 infinito que a fila só cresce e que o retrabalho é uma das principais causas do aumento do estoque de perícias.

Mostramos que os peritos nunca foram convidados para participar da gestão e que seria ofensivo atribuir aos peritos gaúchos a culpa pelos erros do INSS.
A Superintendente contou uma história inacreditável que não houve vagas destinadas ao Sul nos dois últimos concursos pois a antiga superintendente (a babá do Lula) teria sofrido um trauma cervical ou craniano na época e "não se lembrou" de pedir vagas, provocando risos incrédulos e espanto dos peritos. A superintendente foi instada a explicar sobre a acusação de fraude nos pontos sob pena de responder PAD por improbidade pois ela é a responsável final pelas homologações e ela negou conhecer qualquer caso assim e que o presidente iria se explicar.

Os peritos gaúchos tinham deliberado ontem que não iriam sequer ouvir qualquer proposta de plano de emergência sem que antes o Presidente Hauschild se explicasse sob pena de questionamento judicial por denunciação caluniosa.

Hora do almoço feita e após um atraso o Dr. Hauschild entra na sala acompanhado da Dra. Verusa (DIRSAT) e pede para ouvir primeiro e depois falar e que depois faria uma reunião de trabalho para discutir o plano de emergência. Dr. Hauschild ouviu as mesmas duras, firmes e precisas falas, incluindo a do Sindicato dos Peritos, mas sempre mantendo o tom respeitoso e urbano. Dr. Hauschild ouviu tudo: as agressões, as frustrações, o desespero, as depredações, as patifarias de chefetes, o descaso institucional, o esforço para limpar a fila em 2009 e a sequela que isso deixou, a "retribuição do INSS", o caos administrativo, a idiotice de se desprestigiar a categoria que carrega o INSS nas costas e que não adiantava apenas contratar mais médicos pois sob as atuais circunstâncias eles pediriam exoneração rapidamente e o presidente ficaria com tendinite no punho de tanto assinar exonerações. E foi duramente cobrado a se explicar sobre as declarações aos jornais.

Dr. Hauschild começou a fala negando o teor dos jornais, disse que não houve tais falas e disse que estava tomando providências para retratação junto aos jornais. Disse que estava reformulando a perícia com uma DIRSAT nova pois a DIRSAT antiga era inoperante e que agora estava começando a ter idéia de como estava deficiente a gestão. Citou dados inclusive que teve que descobrir por nossa conta que não podia considerar que a contagem do SABI não poderia representar o tempo total de perícias e pediu sugestões para aprimoramento de gestão. Foi dito inclusive que só através do perito.med descobriram que o SABI tinha um contador interno para gravar o tempo de digitação e que o Sul era onde esse tempo era maior.

Dra.Verusa confirmou e pediu ao Presidente e aos peritos que juntos construíssem um novo modelo de gestão. Hauschild ponderou que a autonomia médica era interessante mas que não servia para o serviço público. Foi novamente duramente criticado. Solicitamos a ele que criasse mecanismos de diálogo permanente com a categoria. Nós pedimos ao Presidente que fortalecesse a DIRSAT e acabasse com interferência administrativa em área médica.

Como prometido, os peritos gaúchos se negaram a discutir plano de emergência e disseram que se ele não se retratar das declarações (seja negando formalmente e processando o jornal seja pedindo desculpas em rede nacional) que os peritos locais fariam GREVE.

De deliberação tivemos que o Presidente do INSS passou a conhecer mais sobre a categoria e os trabalhos desenvolvidos, COM CERTEZA se arrependeu da campanha midiática promovida essa semana e viu que não será fácil o plano de transformar peritos em escravos de gestor. Vimos também que as previsões nossas sobre o caos gerencial estavam corretas com a afirmação do Presidente sobre a inoperância da DIRSAT antes de sua completa reformulação e que dados básicos chegavam distorcidos a ele. Ficou a promessa dele resolver o imbroglio com a imprensa e de manter o contato com os peritos para tentar resolver os problemas que cercam a profissão.

Porém como gato escaldado tem medo de água fria, só acreditaremos que de fato houve uma mudança de postura do INSS quando as promessas do presidente virarem realidade. Até lá ficaremos atentos.

O Sindicato Nacional dos Peritos Médicos fará extensa matéria sobre o assunto no seu site em breve.

3 comentários:

Oscar Filipe disse...

E adianta, mais uma vez, como parece acontecer há já tanto tempo, apenas ficar atento?

aldofranklin disse...

O sindicato deveria ser se posicionado de forma diferente quando a erros de gestão! O que tem que ser dito é que as condições de trabalho e a NAO VALORIZAÇÃO profissional e a presença de propostas mais interessantes no Mercado de Trabalho gaúcho levaram ao esvaziamento do quadro na região! Mesmo mantendo a demanda ou ela sendo crescente, os peritos remanescentes nAo conseguem dar conta! É preciso reformulação da carreira com vencimentos consistentes com a responsabilidade do cargo para que a carreira volte a ser atrativa para os medicos gaúchos e façam com isso a reversão do quadro que se instalou de total debandada..

Lizi disse...

Agora, com a nova aposentadoria para os serviodres federais, a carreira se torna ainda menos atraente.

Prestei o último concurso para perito, mas caso confirme já entrar no novo regime de aposentadoria, não vou assumir o cargo.