sexta-feira, 15 de junho de 2012

Folha de São Paulo


HÉLIO SCHWARTSMAN
Corporativismo médico

Um comentário:

Herbert disse...

Perdeu todo poder de convencimento, perdeu os argumentos e partiu para a agressão e piadas, sem fundamentos. texto ridículo, fascista (e depois chama de fascistas os profissionais - em clara referência aos médicos). Cada vez mais ridículo, parcial, tendencioso e pouco embasado na realidade (não conhece nada da realidade médica e de saúde).