quarta-feira, 16 de outubro de 2013

COM APROXIMADAMENTE 92% DE REPROVAÇÃO, GOVERNO TENTA ESCONDER RESULTADO DO EXAME "REVALIDA" ANTES DA VOTAÇÃO DOS "MAIS MÉDICOS"

Fonte: Folha de SP
16/10/2013 - 03h30
Governo adia nota de Revalida para depois da votação do Mais Médicos
NATUZA NERY
FLÁVIA FOREQUE
DE BRASÍLIA


O governo adiou a divulgação do resultado da primeira fase do Revalida -exame federal de revalidação de diplomas de profissionais formados no exterior- para depois da votação do programa Mais Médicos no Congresso.

Interlocutores presidenciais afirmam que o índice de aprovação deve ficar próximo de 8% -seria o pior desempenho nessa fase da prova desde que o exame foi oficializado, em 2011.

Naquele ano, a aprovação na primeira fase atingiu 14,2% dos 677 inscritos. No ano seguinte, dos 884 candidatos que fizeram a prova, apenas 12,5% passaram para a prova prática. Ou seja: nos dois anos do exame, o índice médio ficou em torno de 13%.

Nos bastidores, integrantes do próprio governo estranham a demora no anúncio do resultado. A hipótese deles é que a divulgação de um índice ruim poderia tumultuar o debate no Legislativo.

O texto da medida provisória já foi aprovado na Câmara e pode ser apreciado hoje pelo Senado.

Uma das principais críticas de entidades médicas e de congressistas ao programa é justamente a permissão para que médicos formados no exterior atuem no Brasil sem revalidar o diploma.

Com isso, representantes da categoria dizem que não seria possível avaliar com precisão a qualidade da formação desses profissionais.

De acordo com a medida, a atuação sem Revalida será aceita em local específico e por um determinado período.

O governo justifica que, se o exame fosse exigido no programa, os médicos aprovados poderiam trabalhar em qualquer lugar do país, o que poderia inviabilizar a medida.

A proposta do Mais Médicos é reduzir o deficit de profissionais de saúde em cidades do interior e na periferia.
http://www1.folha.uol.com.br/fsp/cotidiano/134203-governo-adia-nota-de-revalida-para-depois-da-votacao-do-mais-medicos.shtml

2 comentários:

aldofranklin disse...

O programa "Mais Médicos", criado pelo João Santana, o marketeiro do Planalto, teve por objetivo a recuperação dos índices de aprovação da Presidente Dilma decorrentes das manifestações que se iniciaram no País em junho deste ano.

Foi votado na Câmara, recebendo a aprovação. O que muita gente desconhece é que a Aprovação foi feita devido acordo entre o PT e PMDB, um acordo de "compadres": Eu te dou isso e você me dá aquilo. O que o PMDB queria era a Aprovação da Mini reforma Eleitoral, que deveria ter saído na noite de terça ultima. Ontem, 15/10 o PT não cumpriu o acordo, e o Líder Peemedebista Eduardo Cunha saiu aos brandos gritando de que OS PETISTAS NÃO CUMPREM ACORDOS, o que não é nenhuma novidade para nós!
Falou-se até em obstrução às votações nas questões em que o PT estaria interessado em aprovar!
Por fim, O PT não cumpre acordos, o Mais Médicos foi medida eleitoreira para garantir a viabilidade eleitoral da Dilma na reeleição e os Médicos foram traídos de todas as formas e por muita gente!

Quem quiser acreditar no PT, fique a vontade...

Heltron Xavier disse...

Reproduzindo comentário do Facebook de colega médica

"Participei do processo de revalidação da UFMG, e lá eles nos deram uma prévia do resultado da primeira etapa dos candidatos. De 1006, apenas 78 passaram para a segunda etapa (7,7%). E para passar, era preciso acertar apenas 60% da prova. Detalhe é que dentre os alunos do ultimo ano da UFMG que fizeram a prova para "nivelamento", nenhum obter nota abaixo de 60%!!!