segunda-feira, 14 de outubro de 2013

MÉDICO NÃO É ESCRAVO DO POVO - COLUNA RODRIGO CONSTANTINO


12/09/2013 às 22:46

Fonte: Wikipedia
Em tempos onde parece ir vencendo a visão socialista da medicina, que trata os médicos como meros escravos do povo, nada melhor do que resgatar ela, a novelista russa que fugiu para os Estados Unidos, Ayn Rand. Em sua principal obra, A Revolta de Atlas, consta um relato de um médico explicando porque se uniu aos demais intelectos que entraram em greve, abandonando o povo a sua própria sorte. Vejam:

Parei quando a medicina foi colocada sob controle estatal há alguns anos – contou o Dr. Hendricks. – A senhorita imagina o que é preciso saber para operar um cérebro? Sabe o tipo de especialização que isso requer, os anos de dedicação apaixonada, implacável, absoluta para atingi-la? Foi isso que me recusei a colocar à disposição de homens cuja única qualificação para mandar em mim era sua capacidade de vomitar as generalidades fraudulentas graças às quais conseguiram se eleger para cargos que lhes conferem o privilégio de impor sua vontade pela força das armas.

Não deixei que determinassem o objetivo ao qual eu dedicara meus anos de formação, nem as condições sob as quais eu trabalharia, nem a escolha de pacientes, nem o valor de minha remuneração. Observei que, em todas as discussões que precediam a escravização da medicina, tudo se discutia, menos os desejos dos médicos. As pessoas só se preocupavam com o “bem-estar” dos pacientes, sem pensar naqueles que o proporcionavam.

A ideia de que os médicos teriam direitos, desejos e opiniões em relação à questão era considerada egoísta e irrelevante. Não cabe a eles opinar, diziam, e sim apenas “servir”. Que um homem disposto a trabalhar sob compulsão é um irracional perigoso para trabalhar até mesmo num matadouro é coisa que jamais ocorreu àqueles que se propunham a ajudar os doentes tornando a vida impossível para os sãos.

Muitas vezes me espanto diante da presunção com que as pessoas afirmam seu direito de me escravizar, controlar meu trabalho, dobrar minha vontade, violar minha consciência e sufocar minha mente – o que elas vão esperar de mim quando eu as estiver operando? O código moral delas lhes ensinou que vale a pena confiar na virtude de suas vítimas. Pois é essa virtude que eu agora lhes nego.

Que elas descubram o tipo de médico que o sistema delas vai produzir. Que descubram, nas salas de operação e nas enfermarias, que não é seguro confiar suas vidas às mãos de um homem cuja vida elas sufocaram. Não é seguro se ele é o tipo de homem que se ressente disso – e é menos seguro ainda se ele é o tipo de homem que não se ressente.


4 comentários:

MAURICIO disse...

O modelo atual é muito mais perverso.
Não pensa no bem do paciente e muito menos no do trabalhador médico.

Pensa apenas em votos.

Basta ver os erros toscos a que o povo está submetido com profissionais despreparados, como nos exemplos das prescrições já publicadas neste blog.

Sob a mal disfarçada justificativa do "é melhor do que não ter" apenas revelam a ignorância e despreparo esquecendo o juramento mandamento da medicina do Primum non nocere, o consagrado princípio da não maleficiência.

Deixado de lado, como coisa insignificante, o mandamento produz as aberrações aqui registradas e que com o tempo serão devidamente cobradas de seus causadores (Pensadores do PT), sim pois os cubanos ao que se sabe não terão como indenizar as vítimas de seus erros grosseiros

aldofranklin disse...

É exatamente isso!
Quando o Governo chama pra si a responsabilidade da emissão do Registro Profissional, atropelando os Conselhos da Classe Médica, não respeitando a solicitação de documentação comprovatoria de formação, poupando-lhes de Revalida e sendo aplaudida por uma massa de ignorantes, não resta outra saída para os Médicos do Brasil e os Revalidados, a não ser negar-lhes sua virtude e agirem sem sentimentos diante dos erros de conduta, deixando queimar! Só assim, o povo sentindo na pele, sofrendo, chorando suas perdas, perceberão que os Médicos desse País estiveram sempre certos em exigir o Revalida dos profissionais estrangeiros e de que os mesmos comprovem que fizeram Medicina! O povo que hoje aplaude, amanhã chorará! Agora o medico ceder sua virtude, sabe quando as coisas mudarão? NUNCA, pois sem danos ou efeitos colaterais, ninguém muda a medicação! E o político, só se importa com votos, com urna, com perpetuação no poder, pois este sabe que não precisará ser atendido por medico do SUS ou medico importado! Pois o político tem convênio e quando é de Brasília, tem o que dá direito ao Sírio Libanês e a Resgate Aéreo!
Enquanto não se investir em Educação nesse País, teremos essa massa de ignorantes, de manobra eleitoreira, dependentes das esmolas!

Regi disse...

Já passou da Hora dos Médicos e Professores de TODO o Brasil para se Juntar aos Partidos Políticos contrários ao PT e desenhar as bases de apoio e reconstrução destes que realmente trabalham.
1- Campos e Marina;
2- Aécio;
3- outro qualquer..

MENOS O PT OU QUALQUER UM PARTIDO DQUE SE UNA AO PT !!!!

Não perca essa notícia e gravem este site:::

http://veja.abril.com.br/blog/ricardo-setti/politica-cia/piloto-da-moto-que-levou-dilma-na-garupa-vai-virar-ministro/

H disse...

Regi, é por isso que a maldita está colonizando o pais com cubanos.... Pois os nossos compatriotas vão desejá-la na sarjeta...