segunda-feira, 13 de maio de 2013

Mas trabalhar não pode?

Estudo recomenda exercícios físicos para pacientes com depressão
Exercícios aeróbicos três a cinco vezes por semana são os mais indicados para o tratamento da doença

Exercício físico é bom remédio contra depressão, diz estudo
Atividades ajudam pacientes que não respondem satisfatoriamente à medicação - e substitui a introdução de novas drogas durante o tratamento da doença

7 comentários:

aldofranklin disse...

Nao é isso Companheiro! O País é tão esculhambado que o cabra quer escolher serviço!
Outro dia um conhecido queria instalar um telefone da GVT! Foram 3 visitas desses caboclos qe ficam dando Rolê no carro da empresa com aquela escada amarrada no teto do carro! O ultimo que instalou disse que era meio complicado a instalacao dai o pessoal "corria" do serviço! É que nem o cara que quer trabalhar como vigia em carro forte e chega dizendo qe ta com Síndrome do Pânico com medo de levar um tiro ou aquela atendente de Telemarketing que diz que nao quer ouvir gritos no telefone e por conta disso estáem Depressão!
Na verdade o país ta infestado de vagabundos, de gente que nao quer trabalhar! É como um colega fala: "Patrão eu quero um emprego, trabalhar nao! Quero um registro pra usufruir dos benefícios, me entende?!"
Vc descola um trampo depois arruma um psiquiatra e diz que ta com F32 e F43 e joga essa pala nos Peritos da Previdencia! Dai o indivíduo quer "se afastar" por anos e o raio da depressão nunca cura! Esse mesmo indivíduo tem vida social ativa, viaja, bebe cachaça, malha, dirige, mete, pinta o cabelo no salão! So nao tem disposição pro trabalho!
Ei, o Cid. 10 deveria ter um Cid. Pra "Indisposição pro trabalho"! Tem o z03, tem o z76.5, o F65, mas ta faltando esse ai...ia ser show de bola! Ou uma atualiacao no CBO, criando o Vagabundo Profissional, ai sim, nao aquela improvisação no Sistema da Previdencia...bem fica a dica pra mais uma "Bandeira"!

artesanatos ritas disse...

A pessoa com depressão de verdade ela toma remédios fortes por isso que não pode trabalhar

Aloísio disse...

Nao concordo com o Aldo. Pessoa com depressão pensa muito em suicídio e no caso de sofrer assédio moral trabalhando no INSS tem ideias obsessivas de vingança, sentimento de menos valia, ansiedade pelos processos na corregedoria abertos pelo gestor com o único intuito de persegui-lo e sem lhe dar direito de defesa e do qual é absolvido por unanimidade..muita raiva pelas humilhações sofridas como ser expulso de sua mesa de trabalho na frente dos colegas e dos segurados, ser colocado em função nova sem treinamento e pra não fazer nada e sem acesso aos sistemas... ser proibido de receber processos dos colegas para trabalhar causando uma forte queda de rendimento.. ser o único servidor com o email bloqueado com pedido de retirar o email do servidor na Dataprev... Tem uma forte insônia só conseguindo dormir dopado.. tremores... Um isolamento social... não consegue ter prazer nas coisas que fazia antes... Não viaja.. não vaí mais na casa dos amigos.. não sai pra canto algum.. e seu único foco de vida se torna processar o seu agressor em todas as instâncias possíveis para produzir no perseguidor o mesmo sofrimento.. a mesma sensação que está sentindo... As mesmas ideias suicidas... a mesma insônia... o mesmo sofrimento...E é um combate diário em ideias obsessiva de vingança.. pra não fazer justiça com as próprias mãos... pq vc imagina 1001 ideias de como destruir o agressor que lhe assédiou moralmente.. dorme e acorda pensando em m-atar o f.d.p.

Heltron Xavier disse...

Aldo se refere a casos típicos da perícia e não os que se referem os leitores.

A grande maioria dos segurados 90% dos segurados que solicitarem beneficio por depressão terão seu benefícios. Todo o problema é a cessação dos benefícios que sempre conflituosa. Depois de acostumadas com a situação, as pessoas simplesmente não querem trabalhar. Mesmo compensadas, com vida social, fazendo exercícios e até faculdade não querem trabalhar.

São casos de anos de benefício. Idéias de suicídio habitualmente tem seus benefícios prorrogados. Casos de assedio moral também ficam afastados porém a maioria dos segurados acha 6 meses "pouco tempo". Sem falar que a grande maioria de fraudadores utilizam a saude mental para suas tramas comprovadamente.

Enfim do angulo do Perito tudo parece bem diferente.

JOSÉ ALBERTO ARMÊNIO disse...

inss É PORTEIRA ESCANCARADA !
Não há " pós perícia " !
Um simples acompanhamento coibiria esses excessos.
Gastos com vigilância é investimento !
Quantos BIs seriam encerrados com documentação adequada, não contestável mesmo judicialmente.

Hulk Júnior disse...

Gosto de ler o site Perito.med, pois creio que devemos conhecer opiniões de todas as correntes a fim de formarmos a nossa. E em questão de saúde o site é uma boa fonte, salvo algumas exceções, como título da matéria. Tenho certeza que os senhores peritos médicos caso atendam fora do INSS, iram indicar a seus pacientes a realização de atividades físicas, pois é amplamente sabido que estas melhoram a saúde de todas as pessoas, recomendadas inclusive pela OMS. Creio que uma pessoa com depressão em sua fase aguda, com ideias suicidas, dificilmente conseguirá realizar atividades físicas. Mas caso o paciente de depressão consiga realizá-las, com certeza isso ajudará na sua recuperação. Por isso achei o título uma incoerência. E também acho que essa ideia de colocar todo mundo no mesmo saco não dá. Se existem fraudadores estes devem ser punidos de acordo com a lei, e não colocar todos os segurados como estereótipos. Cabe no caso o velho chavão "os justos não podem pagar pelos pecadores".

JOSÉ ALBERTO ARMÊNIO disse...

inss É PORTEIRA ESCANCARADA !
Não há " pós perícia " !
Um simples acompanhamento coibiria esses excessos.
Gastos com vigilância é investimento !
Quantos BIs seriam encerrados com documentação adequada, não contestável mesmo judicialmente.