sexta-feira, 17 de maio de 2013

CFM LUTA CONTRA A CONTRATAÇÃO DE CUBANOS

CFM entra com representação contra contratação de médicos estrangeiros
Thaís Passos - Agência Brasil
16.05.2013 - 18h17 | Atualizado em 16.05.2013 - 18h39

Brasília - O Conselho Federal de Medicina (CFM) entrou com uma representação na Procuradoria-Geral da República para impedir o governo de contratar médicos estrangeiros para trabalhar no Brasil. Na representação, a entidade cobra esclarecimentos dos ministros das Relações Exteriores, Antônio Patriota; da Saúde, Alexandre Padilha; e da Educação, Aloizio Mercadante.

Na última semana, o governo anunciou a intenção de contratar 6 mil médicos de Cuba, além deprofissionais de Portugal e da Espanha para atuarem em regiões carentes do país.

O presidente do CFM, Roberto d`Avila, disse que a preocupação do conselho é a contratação de profissionais sem qualificação comprovada. “Nós não vamos permitir que a população brasileira seja atendida por médicos desqualificados e que não tiveram a sua competência avaliada”, disse.

Para exercer medicina no Brasil, os profissionais formados no exterior precisam ser aprovados no Exame Nacional de Revalidação de Diplomas Médicos (Revalida). Segundo o presidente do CFM, o conselho não vai aceitar alterações que possam baixar o nível de dificuldade da prova.

O ministro da Saúde, Alexandre Padilha, garantiu que o governo está preocupado em trazer médicos com boa formação para o Brasil e estuda modelos adotados em outros países. “O que nós queremos é profissionais com qualidade. O ministério está estudando o que o Canadá, a Austrália e a Inglaterra fazem para atrair médicos de qualidade. Estamos dispostos a debater esse tema. Mas esse debate tem que ser transparente, não pode haver tabus e preconceito”, disse o ministro.

Padilha disse que o objetivo do governo é criar programas de autorização especial para que esses profissionais só possam atuar na atenção básica e nos municípios do interior e nas periferias das grandes cidades. A ideia é evitar que eles entrem no país e depois saiam das regiões onde há carência de médicos e passem a disputar o mercado de trabalho com os brasileiros.

Edição: Carolina Pimentel

3 comentários:

Heltron Xavier disse...

http://veja.abril.com.br/noticia/saude/cfm-entra-com-acao-no-mp-contra-vinda-de-medicos-estrangeiros

Aloísio disse...

Olha o que pode acontecer no MPF:

A) MPF APROVA A VINDA DOS MÉDICOS CUBANOS, aceitando o argumento do governo que os médicos brasileiros não querem ir para as zonas carentes, e que o caráter da medida é emergencial, sazonal, e temporário, AGORA LEMBREM QUE O GOVERNO TEM CARGOS E É QUEM INDICA O PROCURADOR GERAL DA REPÚBLICA;

B) MPF NÃO APROVA A MEDIDA ALEGANDO QUE O GOVERNO TEM QUE SUBMETER OS MÉDICOS CUBANOS AS PROVAS DO REVALIDA, QUE É IMPORTANTE VERIFICAR OS REQUISITOS MÍNIMOS DOS MÉDICOS ESTRANGEIROS QUE VÃO ATENDER A POPULAÇÃO CARENTE;

C) MPF PODE APROVAR E FAZER UMA SÉRIE DE REQUISITOS AO GOVERNO, E QUE O MESMO TERÁ QUE CUMPRIR PARA TRAZER OS ESTRANGEIROS MÉDICOS.

Aldo, Francisco e Heltron, quais das três vcs acham que a Procuradoria vai aprovar? eu fico entre o "A" e o "C", a não ser que o Procurador da República seja da oposição, no caso, seja do PSDB.

aldofranklin disse...

Depende da "Negociação"... Toda negociação é "flex"!