quinta-feira, 5 de setembro de 2013

ESTÁ NA HORA DA DIRSAT SAIR DO ARMÁRIO.

Após a leitura da ata da 27ª reunião do GT PFDC da Previdência Social e da leitura do arrazoado montado pela DIRSAT sobre o "novo modelo de perícias multiprofissional", chego à conclusão de que é muita farofa para pouca tigela. As pessoas querem uma coisa mas com vergonha ou medo se escondem em eufemismos. 

Perito.med vai, na prática, resumir as pretensões do INSS, na figura da DIRSAT, para resolver o "problema da fila" em 5 passos:

1) O segurado entra na APS sem agendar perícia. Sem o agendamento, acaba a fila. Gênio.

2) Dirige-se ao balcão, nem precisa de atestado, afinal de contas quem melhor que o próprio segurado para saber a dor que ele sente, não é mesmo?

3) Pede para preencher o "Formulário Humanizado de Benefício por Incapacidade".

4) O servidor abre a tela  e o segurado preenche os dados e escolhe qual opção encaixa-se melhor em seu perfil. Abaixo um exemplo hipotético de como seria essa tela:


5) Pronto. A CRER é emitida na hora de forma humanizada e acolhedora e o segurado sai da APS satisfeito e feliz.

Este é o resumo da proposta da DIRSAT e do INSS. O resto é vergonha e medo de assumir. 

6 comentários:

Jose Luiz Pinheiro Lima disse...

Simpatia infalível para ganhar dinheiro:
Acorde bem cedo de manhã
Tome um banho e cuide de sua aparência
Vista uma roupa apresentável
Saia de casa e vá TRABALHAR.

Heltron Xavier disse...

Boa Noite.
A coisa parece estar ficando mais clara e a discussão não parece ser sobre um suposto modelo biopsicossocial, isso seria um nome bonito ou "fantasia".

Por favor! A maioria dos peritos experientes já consideram estes fatores. Aliás a criação da carreira em 2004 (e não 2007 como disse o presidente do INSS no GT) possibilitou e melhoria da qualidade (Sim, melhorou, Carneiro nem acreditaria em como era no prisma com perícias de uma única linha e 5 minutos)e houve aumento gradativo linear e paralelo da consideração dos tais fatores e o tempo de perícia e a qualidade da mesma.


Passamos a sair do INSS com os novos peritos. Olhar Detran, perguntar sobre discussões no trabalho, ligar para algumas empresas, nos interessar por questões financeiras, sociais e até ocasionalmente pedir pesquisa externa e olhar no Google.

O problema é que não é isso que está em discussão. Está havendo uma propaganda enganosa no novo modelo.
Está em discussão algo muito mais perigoso que é a capacidade do cidadão se auto-avaliar e julgar.

Imagine que eu chego no Detran e entendo que eu tenho plena capacidades de pilotar veículos. Ou que eu chegue no órgão público de meio ambiente apenas para homologar a minha convicção plena de que meu desmatamento é completamente legal.

O foco do modelo é a "Auto-Benefício por Incapacidade".

Poderíamos testar aplicar da "Auto-avaliação", como projeto piloto, (ou até estudo científico) a começar permitindo que cada servidor do INSS desse a sua propria nota na Gratificação GDASS ou GDAMP para testarmos a "honestidade" do cidadão, sua capacidade e seus limites. Não seria ótimo?

Rodrigo Santiago disse...

Tem também o modelo expresso de auto avaliação de incapacidade no qual o cidadão já comparece no caixa eletrônico do Banco do Povo com o seu cartão Bolsa-INSS, responde ao questionário sobre a sua própria incapacidade e já saca o dinheiro na mesma hora.Este modelo é fantástico porque elimina, de uma só vez, todos os peritos e todo o tràmite burocrático administrativo, economizando servidores, distribuindo renda e fabricando inválidos.

Desconfio de que a intenção-fim do PT ao aplaudir o caos e premiar a incompetência, o atraso, a desídia e a mediocridade gerencial não seja nem a de distribuir renda, como ingenuamente até há pouco tempo eu imaginava, mas sim a de produzir inválidos aos milhões.

E existiria maneira mais fácil de lograr isto do que fazer com que o próprio cidadão se declare inválido?Seria ideológico e canalhógico este modus operandi, afinal para quem intenta perpetuar-se para sempre no poder qual estratégia seria mais alvissareira : investir nas pessoas, dando-lhes educação e condições de trabalho e de progredir na vida ou estimular as pessoas (algumas) a lutarem para adquirirem o título de incapacitados e inválidos, resignando-se a não lutar pela vida e pelo progresso pessoal e nacional?

Heltron Xavier disse...

O modus operandi do novo modelo INSS é semelhante ao Mais Médicos. Partem de uma premissa justa porém superficial: "Ninguém sabe mais do meu problema do que eu" e "faltam médicos em regiões periféricas no Brasil" .

E planejam de forma a ganhar politicamente com isso. Atropelam entidades como conselhos profissionais, sociedades, associações e mesmos a legislação, por exemplo, a importação de cubanos tem condições sabidamente obscuras, sim o biopsicossocial não está previsto em lei, mas apenas a incapacidade por Doença.

E.G. disse...

É o modelo Maeno-Carneiro de ser. O ser humano por ele mesmo, sem intermediários.

INSSano disse...

E eu que pensava que só escrevia absurdos e exageros no meu blog, depois de ler estes últimos posts sobre perícia, vejo-me como uma visionária .......uhauhaua

Quando sairá a versão desse formulário para o servidor? Não vejo a hora de me aposentar, estou com uma espinha recorrente na ponta do nariz que me deixa indefinitivamente incapaz para o trabalho.