terça-feira, 17 de setembro de 2013

DOCUMENTOS IMPORTANTES

PROPOSTA DE DIRETRIZES PARA UMA POLÍTICA DE 
REABILITAÇÃO PROFISSIONAL 
Organização: Fundacentro – Ministério do Trabalho e Emprego (Agosto 2013)

"A porta de entrada para a RP é exclusivamente definida pela perícia médica, o que se constitui em um problema. Sabe-se, através do acúmulo de evidências científicas, que a decisão nas mãos apenas do médico perito (centrada unicamente na avaliação clínica do indivíduo e não no problema da incapacidade como um todo), aliada aos atrasos nesse processo de decisão podem levar a incapacidade prolongada ou permanente."

15 comentários:

Jose Luiz Pinheiro Lima disse...

Em compensação a indicação precoce de reabilitação sem critérios bem definidos por qualquer membro de equipe multiprofissional vai abarrotar os CRP com segurados em processo de reabilitação.
Ao contrário do que o texto diz o gargalo não é a pericia médica que retarda a indicação de reabilitação, é do SUS que leva anos para realizar um tratamento cirúrgico não cabendo reabilitar uma pessoa só por estar em fila de espera de tratamento cirúrgico sem sequelas definitivas da doença, que poderão nem existir se o tratamento for bem sucedido.
A equipe multidisciplinar vai fazer os tratamentos pendentes do SUS ?

Heltron Xavier disse...

O texto tem um bom português, é organizado, infelizmente feito por pessoas que tem visão limitada da Perícia Médica para variar. Vale a pena ser lido

E.G. disse...

Que ciência é essa ninguém sabe.

Fernando Antônio disse...

Causas de Auxílio-doença de longa duração :


1 - Metassimulação (piora clínica de doença leve) para ganhar mais tempo de auxílio-doença

2 - Paciente que não toma a medicação corretamente propositalmente para não melhorar

3 - Desempregado que simula (finge) doença

4 - Fila longa e demorada de cirurgias no SUS (cirurgias para 30 dias são realizadas em 1 ou 2 anos de espera)

5 - Tratamento clínico/medicamentoso pelo SUS não eficiente e não correto (que pode se agravar com entrada de médicos sem o Revalida e com capacidade técnica indefinida)

6 - Metassimulação para somar o auxílio-doença com atividade autônoma/bicos sem registro no RGPS

7 - Alguns casos são de doenças crônicas/sequelares/restritivas (em definitivo) que devem ter uma reabilitação/readaptação("capacitação") em uma nova profissão mais adequada às restrições definitivas de saúde (Exemplo: artrodese lombar em um pedreiro --- doença crônica/sequelar/restriva da mobilidade lombar e contra-indicado peso/carga lombar --- função laboral de pedreiro é definitivamente contra-indicada --- capacidade laboral residual presente para outras atividades laborativas que não envolvam peso/carga devendo ser avaliado pelo PRP-INSS/Reabilitação-readaptação ("capacitação") profissional do INSS).

Fernando Antônio disse...

No prédio do PRP-INSS (Programa de Reabilitação/Readaptação/Capacitação profissional do INSS) em Goiânia/Goiás tem cerca de 2 mil segurados com indicação de PRP-INSS aguardando a disponibilidade de vaga para ser avaliado pela equipe multiprofissional (Orientador profissional, Fisioterapêuta, Psicólogo, Médico Perito/INSS) e iniciar o curso de reabilitação/capacitação profissional em atividade laborativa (trabalho) compatível com a restrição de saúde definitiva apresentada.

Fernando Antônio disse...

Trabalhar no INSS está ficando insuportável !!!

A maioria dos médicos estão saindo porque não aguentam tanta mentira, simulação, metassimulação, ameaças, agressões durante o ato pericial.

Filme de Terror atender mais de 6 perícias do INSS por dia !!!

aldofranklin disse...

Brasil é uma piada! Veja esse trabalho "cientifico" que piada!

Vamos melhorar a piada:
O INSS deveria criar o Sistema de Saude MedPrev, quem está em auxilio-doença teria direito a usa-lo. Com isso ao invés do Eleitor ser atendido pelo SUS, ele seria pelo MedPrev que agilizaria o procedimento muitas vezes cirúrgicos, o que demora anos no SUS ou com os Convenecos das Empresas, meses a anos, isso sem contar aquele "macete" que a empresa usa, quando o Eleitor está pra operar ela troca o Plano, fazendo com que o indivíduo recomece todo o Processo, hehe, coisa de Brasileiro, claro!
Feito o procedimento e o Eleitor zerado, voltava pro trabalho, se tivesse seqüela, reabilitado.
Dai entraria a AGG, a Advocacia Geral do Governo, que moveria ação contra a Operadora do Eleitor para ressarcir os Cofres Públicos!

Mas isso nao vai acontecer!
O Governo é jegue!
O Eleitor depois que se acostuma nao quer voltar a pegar no pesado, nem eu voltaria!
A reabilitação do INSS é piada! Reabilitar quem? Gente com baixo estudo que só sabe levantar saco de cimento nas costas? Gente que nunca estudou na vida? Gente desse Brasilzão lixo em Educação? Hahahahahahahahaha, conta outra!
Bom seria o Governo colocar logo a Pericia Multiprofissional, com todo mundo podendo indicar reabilitação! Ai viraria logo uma bagunça que é o que estou louquinho pra ver! Que demora!

Governo fosse experto faria isso, pericia Multiprofissional, sem medico, extinguindo o cargo e deixando na mão de quem entende de Pericia, Carneiro, Fisioterapeutas, Psicólogos e com membro da CUT e do Sindicato dos Bancários! Já os Medicos seriam deslocados pra algum lugar, ou Ministério da Saude ou Justiça, pra trabalhar ou na sua especialidade ou fazendo pericia pra Justiça pois como a gente sabe, tem Perito na Justiça tirando por mês mais de R$ 60 mil por mês hehe, pelo menos no ABC hehe...com equiparação claro hehe..
Ah, por falar no ABC, uma que vocês nao sabem:
Tem uma montadora da região que está tomando tanta pirocada do Sindicato, com as CAT tipo 2, tanto processo, que os advogados da mesma estão doidos atras do INSS pra saber o que é que faz hehehehe... É processo trabalhista que só a porra e aquela massa de eleitores que ficam na empresa só enxugando gelo e ganhando $$ claro hehehehe...
Brasil é ou nao é uma Potência?
Ah, quero mais que se exploda! :-))

tumpopolis disse...

É incrível como nossa especialidade médica (Medicina Física e Reabilitação) é negligenciada, inclusive por nossos colegas. Uma enorme quantidade de pacientes cronicamente incapacitados por patologias, que surpreendentemente deveriam melhorar e não melhoram (tendinites, lombalgias, etc...) assim se encontram por absoluta inadequação do tratamento reabilitacional (aqui reabilitação orgânica, e não profissional). Fisioterapias sem critério e sem regularidade, por serem delegadas irresponsávelmente pelo governo e por muitos colegas inclusive, desde a avaliação e a prescrição, a paramédicos (os doutores fisioterapeutas). E mesmo com a lei do Ato Médico esta cacaca vai continuar igual!!!

Fernando Antônio disse...

Cursos da Reabilitação/Readaptação(“CAPACITAÇÃO”) Profissional do INSS - Muitos necessitando apenas da alfabetização ou primário incompleto

Auxiliar/assistente administrativo, Telefonista, Recepcionista,Vigilante,Porteiro,Corte e costura,Auxiliar de posto/frentista,Vendedor,Açouqueiro,Auxiliar de produção (industrial),Auxiliar de cozinha,Confeiteiro/salgadeiro,Auxiliar/técnico de informática,Técnico de comunicação/telecomunicações,Auxiliar/técnico em mecânica,Manutenção de eletrônicos,Apontador em obras,Técnico de arquivo/apontador,Habilidades artesanais,Técnico/guia de turismo,Cuidador de idosos,Cuidador de crianças,Garçon ,Cabeleireiro/barbeiro,Maquiador,Técnico/auxiliar de estética,Massagista,Auxiliar de cozinha,Motorista, Churrasqueiro/aux. de cozinha.

Fernando Antônio disse...

Sem excepcional segurança/proteção e a entrega dos resultados periciais nos caixas bancários eletrônicos do Banco do Brasil ou Caixa,

os peritos do INSS nunca conseguirão exercer de modo isento e sem medo as perícias do INSS.

Fernando Antônio disse...

A reabilitação/readaptação/capacitação que o INSS é responsável é principalmente a reabilitação/readaptação/capacitação profissional mais adequada ao segurado com restrição parcial permanente.

A orgânica, fisiatria e fisioterapia, fica mais a cargo do SUS e rede particular/convênios.

tumpopolis disse...

Certamente Fernando Antonio, mas é terrível como a cronificação das patologias por insuficiência de tratamento termina por abarrotar o INSS de gente a procura de benefícios. Gente que poderia ter sido curada lá atrás, e, o que é pior, acha que se tratou...

Thiago Matos disse...

Impressionante a forma que a FUNDACENTRO ( Dra. Maeno) desmerece o trabalho da Perícia Médica. Esqueceu ela que o MTE é o maior culpado???
Quem faz inspeção de ambientes de trabalho e cumprimento da legislação trabalhista é o MTE. Existe forma mais preventiva para se evitar acidentes de trabalho que a FISCALIZAÇÃO??
Suprimida há décadas desde a criação da auditoria fiscal do trabalho que não admite médicos, mediante concursos.
Capacitem os Peritos Médicos Previdenciários, tire-nos dos consultórios e permitam-nos fiscalizar as empresas e assistirão a queda drástica nos números de solicitação de benefícios por incapacidade.

Thiago Matos disse...

O maior ouvidor de contravenções as leis trabalhistas, NR's e a CLT é o consultório médico do INSS!

De norte a sul, de leste a oeste, nas mais de 1200 agências do INSS, todos os dias os segurados reclamam das empresas e dos empregadores, do assédio moral aos bancários, por exemplo.

Quem vai acolher estas demandas? A auditoria fiscal do trabalho? Matéria médica? NR7 e NR9?

Thiago Matos disse...

São anos de estudo ( mais de 8 anos ) especializações, anos de prática médica, acolhendo reclamações (maior ouvidoria de contravenções trabalhistas do Brasil) e no final ficar escondido atrás de um computador, obrigado a buscar números e não qualidade, sem poder de ação para inspecionar as empresas, conhecer o ambiente de trabalho do segurado.. Risco de morte, ameaças, vigilância excessiva, trabalho meramente administrativo, sendo subjugado, subestimado e oprimido..
É nítido, óbvio que a perícia médica deveria assumir a inspeção de ambientes de trabalho, em parceria com o MTE, em matéria médica, para fins de educativo, notificação e autuação, gerando arrecadação para financiar a expansão do programa de reabilitação que hoje é um fiasco. Onde arrumar recursos financeiros para financiar toda esta equipe multiprofissional, projetos educativos e ampliação da RP sem onerar os cofres da União?
Resposta: gerando receita própria com a fiscalização dentro do MPS.
Esta sim seria a maneira correta de viabilização do projeto.
Se oprimirem ainda mais o médico, jogá-lo para escanteio como propõe a Maeno, pode a DIRSAT começar a organizar o velório pois nenhum médico aqui ficará. O exonerômetro e aposentômetro demonstrará o fiasco de um novo modelo já falido.
Espero que não esqueçam que a Lei do Ato Médico, assim como foi regulamentada, resguardam a Perícia Médica como ato EXCLUSIVO do médico. Equipe multiprofissional atua assessorando o médico em sua decisão. Caso contrário, serei o primeiro a denunciar aos órgãos competentes.
Está tudo errado, se reuniram neste GT, estão propondo mudanças profundas na Perícia Médica e não tem participação dos peritos??
Sugiro que cada colega perito solicite ao MPS a cópia dos relatórios deste GT baseado na Lei da Transparência, para que tomemos conhecimento das discussões e não sejamos mais uma vez pegos de surpresa. Onde está a ANMP nestas horas??