segunda-feira, 3 de junho de 2013

ESTÃO TODOS CEGOS, SURDOS E MUDOS????

Enquanto o DIRSAT voa e palestra ...
Enquanto a ANMP se enche de fotos sorridentes....
Enquanto o Ministro inaugura outra APS sem servidores...
Enquanto o MPF pede perícia sem atestado e ponto biométrico....

Servidores adoecem e sangram nas APS...

Dia 20.05.2013 tomei ciência de que minha rotina precisaria ser alterada mais uma vez. Tudo porque a APS em que trabalho estava na lista negra recentíssima das que perderam o turno estendido na região IV e que passaríam a partir de hoje 03.06.2013, menos de 2 semanas depois, a cumprir as torturantes 8 horas peremptoriamente. Elas não teriam atingido as "metas" macabras e cruéis da instituição listadas na resolução 264.

Resultado, em 5 dias já afastei 4 servidores administrativos por motivos de doença, sim por aqui não existe SIASS, nem protuário eletrônico. Hoje infelizmente mais uma colega médica se afastou numa soma matemática funesta. E parece que não voltaremos tão cedo.

Um das colegas administrativas que afastei, chorava profusamente semana passada porque atribuíra a si a perda da benesse institucional. Relatou-me que precisou se afastar por saúde em Janeiro e sua substituta se afastara por problemas ligados a gestação de alto risco. Bem "Humana" autarquia.... 

Um clima péssimo na APS. Via a hora cair um raio de tanta carga eletrica negativa. De uma só vez 3 colegas técnicos do seguro social pediram aposentadoria em menos uma semana. Um mal humor generalizado empestou o ambiente que já é carregado e sombrio por natureza. 

Poucos dias antes do anúncio, talvez prevendo o furacão, a ex-gerente da APS, elogiada demais pelo próprio ministro da Previdência, mas exaurida por tentar lutar contra aquilo não podia e acumulando dezenas de inimizades, pragas, mau-olhados e tal, renunciara o cargo. Ninguém das dezenas de administrativos quis o cargo, um colega que chefiava uma pequena APS do interior se ofereceu e veio assumir.

Na minha APS temos um retrato do que a dedicação ao instituto, faz, ou melhor desfaz na vida da pessoa. Pode-se ver o dedicado último Ex-Gerente Executivo E.R. atendendo num balcão numa área sem qualquer importância, um servidor com 30 anos de casa e curso superior entregando fichas na recepção e um estagiário entregando e explicando os resultados da perícia médica. Alguns não sabem de nada e fazem tudo, outros sabem de tudo e não querem fazer nada. É muito interessante.

Nós da perícia médica já lavamos as mãos das questões administrativas porque sequer temos força para nós mesmo. E sobre nós, ficamos indiganados obviamente quando descobrimos que nada tínhamos a ver com a façanha e que os poucos critérios médicos estavam de fora da culpa. Agora somos a única APS das 5 das cidade na qual os médicos trabalham a mesma coisa e ficam mais 2 horas acorrentados ao SISREF.

Alguns colegas vivem e adiam as suas demissões pelas promessas juradas pelo candidato Jarbas Simas na campanha eleitoral sobre as certas 20 horas (ainda PENDENTE POR SIMAS) quando empenhou a sua "palavra". Quando disse inclusive que viu a minuta das 20 horas... Viu a minuta??? Tudo pareceu de repente uma grande piada de mau gosto com os eleitores.

Eu particulamente fico mais uma vez impressionado com a falta de habilidade dos nossos gestores e com a insegurança jurídica e administrativa que se instalou no INSS. Ninguém sabe do quê, quando, como e onde serão salário, carga horária e aposentadoria. Ainda hoje um colega lamentava que o INSS mais uma vez havia lhe passado a perna e terá que adiar novamente a aposentadoria. Como regra geral os peritos que já foram mais interessados e empolgados estão arrependidos e voltando para as suas áreas de atuação privadas.

É uma crueldade. Não porque não temos que pagar cada minuto de recesso natalino, mas porque utiliza de um sarcarmo mefistofélico de modo a cada vez mais aprisionar seus servidores e fazê-los lutar para atingir metas inatingíveis. A política de servidor do INSS é o avesso do avesso do avesso da medicina do trabalho.

Imagine que em 8 anos o turno mudou de 6 para 8 horas diárias 3 vezes e que ainda pode mudar novamente para 6 novamente este ano.. O INSS faz da vida do servidor uma safona que toca uma marcha fúnebre. A GDAMP congelada há 5 anos e curso pé-na-cova deixaram claras as terceiras intenções. Eu só não consigo entender como as mesmas pessoas ocupam os mesmos lugares e tomam as mesmas decisões sem nenhum resultado efetivo há anos e se sustentam mesmo assim. Estão todos cegos, surdos e mudos?


4 comentários:

Francisco Cardoso disse...

Não estão não, essa é a gestão por catástrofe, prática nascida no seio da inssanidade.

Diretamente relacionada ao grau de competência dos gestores.

Alexander Kutassy disse...

Verifica-se no site da ANMP total ausência de atividades que objetivem o que quer que seja em prol da categoria. Elegeram? Agora aguentem!.

Arco disse...

Quem percebeu que o banner "reta final da corrida das 20h" sumiu da pagina da anmp? E agora substituído pela inútil propaganda da tv anmp... Pelo visto a tradição stalinista de "sumir" os inconvenientes continua. Quem acreditou que todo aquele blá blá blá de reuniões e 20h "quase lá" não era mera propaganda para a eleição, se deu mal...

aldofranklin disse...

Que reta final? Que 20 horas? Que fórum?
Aqui é Brasil, país esculhambado!
Ms o país já ta se lascando, cada vez mais!