segunda-feira, 22 de outubro de 2012

MODELO DE PROFISSIONALIZAÇÃO INICIADO PELA ANTIGA ANMP GANHA FORÇA FORA DO INSS

Em 2003/2004 os peritos do INSS se uniram pelo fim da terceirização e construção de uma carreira federal sólida para a perícia previdenciária. Fizeram uma greve memorável, forte, bem direcionada e com apoio social. Um desses apoios foi a Associação Médica Brasileira, então presidida pelo Dr Eleuses Paiva, hoje deputado federal. A carreira previdenciária reflui e míngua no rescaldo de suas glórias iniciais e precisa ser reestruturada para voltar a trilhar o caminho da técnica e do profissionalismo, talvez em um órgão externo à autarquia previdenciária. Neste ínterim, o mudo gira e o exemplo que lançamos tornou-se bandeira nacional dos médicos. São Paulo sai na frente, com a participação do Deputado Eleuses.

Brasília – 18/10/2012: O deputado Eleuses Paiva afirmou que o Governador Geraldo Alckmim e o Secretário Giovanni Cerri saíram na frente de todo o país e assumiram a liderança na questão da valorização da saúde no Brasil.
“Com essa medida SP mostra seu empenho em relação aos médicos e à saúde e sai na liderança para o desenvolvimento do setor. Espero que o Governo Federal e os outros estados da União sigam este exemplo. Precisamos  aprovar urgentemente a minha PEC (454/2009), que cria a carreira de estado e estabelece o piso salarial para médicos federais”, afirmou o deputado.
Respondendo à antigas reinvindicações da classe médica, o governo estadual adotou a medida após diversas reuniões técnicas e políticas realizadas ao longo de 2011/2012, com a participação de representantes das entidades médicas de São Paulo.
No início deste ano, o deputado Eleuses Paiva protocolou na Câmara dos Deputados uma Proposta de Emenda Constitucional (PEC 454/2009), já aprovada na Comissão de Constituição e Justiça da Câmara dos Deputados, que cria a carreira de médico nos serviços públicos federal, estadual e municipal e estabelece a remuneração inicial da categoria em R$ 15.187,00.
“Precisamos que o governo federal esteja atento a este projeto. Nós precisamos urgente de uma carreira que incentive os médicos a entrarem para o serviço público, com bons salários e boas condições de trabalho, inclusive no interior do Brasil onde faltam estes profissionais tão importantes”, afirmou Paiva.
O secretário Cerri afirmou que o estado quer valorizar o médico e para aqueles que trabalham 40 horas esta é uma mudança de conceito, pois não adianta ter bons hospitais, com ótimos equipamentos, se os médicos não são bem remunerados. Para os médicos com carga de 20h o salário de entrada será R$ 6000 podendo chegar a quase R$ 8000. Já os médicos com carga de 40h e dedicação exclusiva o Salário de entrada será R$ 13.900 chegando a 18.500.

2 comentários:

Francisco Cardoso disse...

Os peritos encostaram na sombra dos feitos de 2003/2004, essa é a verdade. Não querem se mobilizar nem dar a cara ao tapa, preferem ir empurrando com a barriga e ir "tocando" o dia a dia. A sombra já acabou e agora não sabem o que fazer.

A inércia e a melancolia mataram a categoria.

aldofranklin disse...

Quem deu o tiro certeiro na Carreira foi a ANMP...com as suas lideranças que não souberam conduzir o processo a contento da classe e da Previdência e o resultado disso sáo os números sobretudo o tempo de espera para perícia!