terça-feira, 30 de outubro de 2012

BOA SORTE, PRESIDENTE LINDOLFO.

Hoje cedo ocorreu a cerimônia de transmissão de posse de cargo de Presidente do INSS entre o ex Mauro Hauschild e o atual Lindolfo Sales. Mais uma vez os peritos, responsáveis por 70% da demanda populacional e do trabalho realizado na autarquia, não foram convidados oficialmente para a posse.

Mesmo assim desejamos boa sorte ao Presidente Lindolfo. Que de fato ele não repita os erros de seu antecessor, Mauro Hauschild, não se deixe enebriar pelo discurso fácil da culpabilização dos peritos por falhas que não competem aos peritos gerir.

Que o Presidente Lindolfo não ouça o papo anti-médico da DIRBEN e do sindicato dos bancários, que o Presidente chame os médicos para ouvi-los, afinal de contas nós somos os técnicos que entendemos do principal problema da casa, o benefício por incapacidade.

Que o Presidente Lindolfo não caia na armadilha de querer tentar apertar ainda mais os poucos médicos que ainda insistem em trabalhar no INSS sem resolver os graves problemas de carreira e estrutura que afastam os médicos e tiram a produtividade dos que permanecem.

Que o Presidente Lindolfo não feche os olhos para os superintendentes e gerentes incompetentes, que forçam realização de trabalho porco, sem sequer estar capeado, sem nenhuma segurança ou qualidade, apenas para fechar as contas do dia sem ver que aquele trabalho malfeito é a semente do retrabalho e dos problemas que se acumulam nas APS. Não feche os olhos para as gerências que obrigam peritos a trabalharem sem processos capeados, sem segurança, sem nada.

Que o senhor, Presidente Lindolfo, não seja vencido pelo discurso anti-perito que ouve na cantina, no elevador, nas reuniões, cocktails e, principalmente, nas audiências com seu staff diretivo, nas APS, nas superintendências

Que o senhor não se renda ao discurso daqueles que são, eles sim, os responsáveis pelo caos, pois estão orbitando sua cadeira há 10 anos e determinando condutas extremamente nocivas ao Instituto, como por exemplo o escândalo do memorando DIRBEN 42/2009 que fez as filas, até então controladas, explodirem.

Que o senhor não seja sugado por essas pessoas que criam dificuldades para vender facilidades e depois culpam os peritos pelos males causados para poder ter um bode expiatório de suas incompetências, que não vire um zumbi a serviço do retroalimentador moto contínuo fila-mutirão-diária-fila-mutirão-diária. 

Sabemos que é difícil, o que um presidente do INSS deve fazer? Acreditar na minoria esclarecida ou na multidão organizada? Apenas um presidente com postura de estadista poderá vencer essa barreira que impede que o INSS seja bem visto pela população.

Nunca haverá um presidente bem sucedido de verdade no INSS que não trabalhe priorizando a perícia e os peritos, alguém que mude a toada de "cabresto e espora" para afago e valorização reconhecendo e tirando proveito da área sensível, crítica, imagem símbolo da instituição.

Mas, para fazer isso, além de inteligência e lucidez, precisa habilidade para administrar os demais servidores e as centrais sindicais. Existirá tal sujeito???

Esperamos que sim e que esse sujeito seja o senhor, Presidente Lindolfo, que vem da Universidade, Professor Adjunto e Cientista.

Os peritos médicos fazem 70% do trabalho previdenciário com apenas 8% dos quadros em um TME 50% menor que o dos outros benefícios, o que lhes dá uma produtividade pessoal 2600% maior que a dos outros servidores. Esse tipo de profissional tem que ser ouvido e valorizado.

O medo que o "staff" tem dos médicos lhe roubarem cargos diretivos e o comando das gerências é tamanho que quando viram que resolvemos o problema em 2009, começaram uma campanha de boicote institucionalizado contra a perícia médica que resultou na diáspora de mais de 1600 peritos até o momento. E quando mais se aperta, mais se espana. Não é aparafusando o médico numa cadeira que se resolvem as coisas. Pelo contrário, a experiência mostra que quanto mais espanado, menos eficiente é o parafuso, que é como muitos enxergam o perito.

Por isso somos discriminados, não nos chamam de servidores (o discurso é "peritos e servidores"), a superintendente de São Paulo precisou em email lembrar aos servidores que as medidas de segurança eram pra ser cumpridas pois eram pra todos, "não apenas para os peritos", atrapalham nosso trabalho, nos obrigam a trabalhar sem processos capeados, dentre outros absurdos.

Enfim, boa sorte. Vai precisar. E conte conosco para darmos um padrão técnico ao INSS.

Um comentário:

aldofranklin disse...

Esse texto me remete ao Texto do antigo presidente...quando chegou foi aquela expectativa, depois ficou parceirao do Gabas e Brunca, ouvindo dois Jurássicos da Previdência, criou projetos estúpidos e por fim levou "um carrinho" que atingiu as canelas, dado pelo Gabas (ligeirinho)!