quarta-feira, 31 de outubro de 2012

CASO PETROLINA

ESCÂNDALO DE IMPROBIDADE ADMINISTRATIVA

3 comentários:

Aloísio disse...

Gerente Executivo em Petrolina: Sr. Roberto Carlos Dornelas de Andrade com Improbidade administrativa comprovada pela Procuradoria da República em Petrolina, prejuízo ao erário, nepotismo com nomeação da esposa para ser vigilante do arquivo e da namorada do filho que virou vigilante da APS, perseguição e assédio moral comprovada contra vários servidores e reconhecimento do assédio moral em Junta Médica Oficial Investigativa com 03 Peritos... essa é a gestão do INSS em Petrolina-PE... uma pergunta que eu gostaria que os Peritos do INSS respondesse: Como se consegue trabalhar e ter saúde num ambiente de trabalho desse, podemos chamar esse Gerente Executivo de “gestor”.... Desculpe o desabafo, mas agora eu finalmento entendi porque tem pessoas que fazem tocaia e matam outro ser humano, é preciso muito sangue frio pra manter a calma e só processar o meliante Gerente, nesse processo a saúde vai embora, é muita raiva acumulada. Após 10 meses de licença eu solicitei alta da Licença Acidente de trabalho, a 1 do Brasil reconhecido por assédio moral no serviço público, e no 1 dia da volta recebi ameaça de morte do Gerente Executivo e registrado no Blog Perito.Med, que “eu contasse os dias pra sair da APS”. Poucos dias depois recebo intimação de “surpresa” de novo Processo na Corregedoria (havia menos de 02 meses que tinha sido absolvido de outro processo aberto pelo Gerente Executivo do nepotismo e da improbidade administrativa comprovada, e agora o mesmo tinha montado uma falsa acusação de que eu teria dito para um segurado: “que aqui não era lugar de blá-blá-blá”, e sem provas e sem apurar encamaminhou para a Corregedoria com o único intuito de prejudicar mais ainda a minha saúde, uma denúncia rídicula, e sem nenhuma fundamentação ou prova, não sabia o Gerente meliante que sou advogado e conheço as normas, e a atitude de enviar processo sem apuração foi de encontro ao Memorando 12 de 2010 da Corregedoria do INSS, portanto houve omissão na não apuração e portanto prevaricação e nova improbidade administrativa, já que há previsão em regulamento espécifico de acordo com o art. 11 da Lei de Improbidade, de qualquer forma na semana passada a testemunha de acusação foi ouvida e informou que o segurado teria sido orientado pelo Gerente meliante, tanto pra provocar o servidor, como pra denunciar, após essa nova prova registrada em depoimento e todos os elementos de absolvição da 2 denúncia, entrei com ação criminal por improbidade administrativa e prevaricação contra o Gerente Executivo, e atualmente me encontro afastado novamente, com pedido de reabertura de minha Licença Acidente de Trabalho, por continuidade do assédio moral desse Gerente canalha, que nao me deixa em PAZ.
Aloísio Nunes de Oliveira Pereira, Analista do Seguro Social

Aloísio disse...

Gerente Executivo em Petrolina: Sr. Roberto Carlos Dornelas de Andrade com Improbidade administrativa comprovada pela Procuradoria da República em Petrolina, prejuízo ao erário, nepotismo com nomeação da esposa para ser vigilante do arquivo e da namorada do filho que virou vigilante da APS, perseguição e assédio moral comprovada contra vários servidores e reconhecimento do assédio moral em Junta Médica Oficial Investigativa com 03 Peritos... essa é a gestão do INSS em Petrolina-PE... uma pergunta que eu gostaria que os Peritos do INSS respondesse: Como se consegue trabalhar e ter saúde num ambiente de trabalho desse, podemos chamar esse Gerente Executivo de “gestor”.... Desculpe o desabafo, mas agora eu finalmento entendi porque tem pessoas que fazem tocaia e matam outro ser humano, é preciso muito sangue frio pra manter a calma e só processar o meliante Gerente, nesse processo a saúde vai embora, é muita raiva acumulada. Após 10 meses de licença eu solicitei alta da Licença Acidente de trabalho, a 1 do Brasil reconhecido por assédio moral no serviço público, e no 1 dia da volta recebi ameaça de morte do Gerente Executivo e registrado no Blog Perito.Med, que “eu contasse os dias pra sair da APS”. Poucos dias depois recebo intimação de “surpresa” de novo Processo na Corregedoria (havia menos de 02 meses que tinha sido absolvido de outro processo aberto pelo Gerente Executivo do nepotismo e da improbidade administrativa comprovada, e agora o mesmo tinha montado uma falsa acusação de que eu teria dito para um segurado: “que aqui não era lugar de blá-blá-blá”, e sem provas e sem apurar encamaminhou para a Corregedoria com o único intuito de prejudicar mais ainda a minha saúde, uma denúncia rídicula, e sem nenhuma fundamentação ou prova, não sabia o Gerente meliante que sou advogado e conheço as normas, e a atitude de enviar processo sem apuração foi de encontro ao Memorando 12 de 2010 da Corregedoria do INSS, portanto houve omissão na não apuração e portanto prevaricação e nova improbidade administrativa, já que há previsão em regulamento espécifico de acordo com o art. 11 da Lei de Improbidade, de qualquer forma na semana passada a testemunha de acusação foi ouvida e informou que o segurado teria sido orientado pelo Gerente meliante, tanto pra provocar o servidor, como pra denunciar, após essa nova prova registrada em depoimento e todos os elementos de absolvição da 2 denúncia, entrei com ação criminal por improbidade administrativa e prevaricação contra o Gerente Executivo, e atualmente me encontro afastado novamente, com pedido de reabertura de minha Licença Acidente de Trabalho, por continuidade do assédio moral desse Gerente canalha, que nao me deixa em PAZ.
Aloísio Nunes de Oliveira Pereira, Analista do Seguro Social

aldofranklin disse...

Sabe o que vai acontecer?
NADA! Sabe por que? Porque aqui é Brasil, o país da Impunidade e Mediocridade!