quarta-feira, 31 de outubro de 2012

AGENTES DO DIREITO, NOVOS DITADORES, INTIMIDAM SERVIDORES E TRANSFEREM RESPONSABILIDADES DA INEFICIÊNCIA PARA OS MÉDICOS NO TOCANTINS

Investigação sobre ineficiência da Saúde “transfere para médicos culpa pela incapacidade do Estado”, alegam entidades
Medidas adotadas "parecem mais de intimidação do profissional”, dizem em nota

O Sindicato dos Médicos no Estado do Tocantins (Simed-TO) e o Conselho Regional de Medicina no Estado do Tocantins (CRM-TO) se manifestaram nesta terça-feira, 30, sobre o procedimento instaurado conjuntamente pelos Ministérios Públicos Federal e Estadual e pelas Defensorias Públicas da União e Estadual para averiguar “ineficiência da gestão de todos os hospitais”. O procedimento originou recomendações feitas à Secretaria da Saúde.

As entidades dizem que defendem e apoiam investigações sobre todo o sistema de saúde, mas repudiam o procedimento, alegando que os órgãos teriam tentado transferir para os médicos “a culpa pela incapacidade do Estado de cumprir seu dever constitucional de garantir o direito fundamental de acesso universal e igualitário à saúde, por meio de políticas públicas legais e adequadas, o que inclui a boa e honesta aplicação dos recursos públicos obrigatoriamente destinados à Saúde”.

As medidas, conforme as entidades, parecem mais “de intimidação do profissional do que efetivamente da fiscalização da eficiência da gestão pública”

Leia na Íntegra a nota das entidades:

MEDIDAS ANUNCIADAS

"Além de instaurar o procedimento investigatório, foram feitas também duas recomendações à atual secretária estadual de Saúde, Vanda Maria Paiva. A primeira recomenda que sejam instalados catraca eletrônica, ponto digital e controle por câmera nos hospitais da rede pública estadual para verificar se todos os servidores públicos, principalmente os médicos, estão de fato cumprindo com os deveres funcionais de assiduidade e de pontualidade, de maneira a evitar a desassistência dos pacientes internados e zelar pela probidade e moralidade administrativa.

A outra recomendação, também dirigida à secretária de Saúde, requer que seja exigido dos médicos especialistas do plantão o cumprimento dos deveres funcionais de zelo, dedicação e presteza aos pacientes do pronto socorro, de maneira a evitar internações desnecessárias e o sofrimento aos pacientes, além de causar ônus ao sistema de saúde pela falta de resolutividade da gestão hospitalar..."


5 comentários:

aldofranklin disse...

O sistema de saúde pública nesta região não funciona porque não tem médico em número suficiente para atender a demanda;

Não funciona porque com o salário de fome, não há atrativo para o profissional médico;

Não funciona porque não há equipamentos, não há remédios, não há insumos para realizar os atendimentos de forma descente e condizente com a responsabilidade e a complexidade da atividade médica.

Não tem milagre! Tem só roubalheira e desvio de recursos e insumos! Isso é de praxe! É Brasil!

Só Jesus descendo do céu pra obrar milagre na terra! Nâo tem outro jeito!

E esse pessoal do MP só persegue peixe pequeno! Não pega um grande, unzinho que seja!

No SUL quiseram botar na b. do Perito Médico, lá virou uma Zona, ninguem quer assumir! Ou paga um Vencimento Descente ou esquece! Tão escaldados... Não tem presidente de INSS que resolva de outra forma, nem que fosse Jesus obraria tal milagre!

Quer comer, tem que pagar! Quer atendimento, tem que pagar tambem! Vai no Mc Donalds e pede um Número 1 e não paga pra ver se come? Atendimento com médico é da mesma forma...Médico tambem paga boleto, tem família, é trabalhador! Tambem precisa ter direito a lazer, precisa Comer tambem ( pasmem!) e outras cositas mais...

Heltron Xavier disse...

O MP é profissional na arte de cobrar nos outros o que não tem coragem de aplicar nele mesmo. Combate problemas que não existiriam se ele tivesse agido simplesmente.
Aqui foi a maior confusão para poderem publicar os próprios salários. Ponto eletrônico e scanner nem pensar. Se ele aplicasse nele mesmo metade das coisas que cobra nos outros seríamos um país esperançoso. Até nada se resolve.

Francisco Cardoso disse...

Quanta audácia dos ursos... quem eles pensam que são pra dizer quem deve ou não ser internado? O que eles entendem disso? É o fim da picada.

Herbert disse...

Determinar quem deve ou não ser internado, sem ser médico, é exercício ilegal da medicina. E aí, alguém do CFM vai colocar o médico falso no xilindró?

Adrianus disse...

Não existe investigação nem punição contra promotores de "justiça" e juízes. O máximo que podem ganhar é férias eternas com aposentadoria integral de pelo menos trinta mil reais (sem declarar imposto de renda) mensais!