quarta-feira, 31 de outubro de 2012

ESTADO BABÁ EM AÇÃO: JUIZ REVOGA LEI ÁUREA E TENTA OBRIGAR MÉDICOS PARTICULARES A ATENDER, DE GRAÇA, NO SUS OU SERÃO PRESOS.

Isso mesmo. Na República Federativa do Brasil, que se gaba de ser uma "democracia", quando um gestor de saúde incompetente e pilantra desmonta a rede de saúde, deixa os hospitais desequipados e paga salário de fome a profissionais que estudaram 10 anos e tem a responsabilidade da vida nas mãos, o judiciário e o Ministério Público, ao invés de processarem o prefeito e os gestores locais, decidem revogar a Constituição Federal de 1988, revogar as garantias de direitos individuais e obrigar, na marra, médicos pediatras a trabalharem forçadamente em hospitais públicos, sem direito a salário ou sequer poder escolher o horário, e se negarem a cumprir essa ordem absurda, serão presos.

Você médico pediatra de Rondônia chega em casa após dura rotina no hospital onde trabalha e resolve levar sua família para o cinema. No meio do caminho um oficial de justiça lhe barra e ordena, a critério dele, que você se diriga a um hospital público "ABC" da vida, no qual você nunca entrou e nem sabe onde é e se recusou a trabalhar pois o concurso previa salário precário em hospital insalubre, e diante da óbvia recusa o oficial manda a polícia lhe prender na frente dos seus filhos.

Um juiz estúpido e um ministério público ignorante estão transformando pessoas de BEM em criminosas, pois se recusam a fazer valer a Lei, que no caso seria mandar prender o prefeito e secretário de saúde e obrigar hospitais particulares (e não os médicos) a atenderem a demanda ao SUS com posterior reembolso.

A Justiça "SOCIAL" está tomando rumos perigosos nesse país. Até lá, o que o Juiz conseguiu na prática foi acabar com TODO e QUALQUER atendimento pediátrico na cidade de sua jurisdição, pois os pediatras ou fugiram e cancelaram seus consultórios ou apresentaram atestado médico, ou seja, agora nem no SUS e nem na rede privada se consegue atendimento pediátrico.

Parabéns JUIZ. Atuação digna da URSS e de Cuba. Vai receber uma medalha de honra da FSST/CUT e do Sindicato dos Bancários de São Paulo. Ao transformar atendimento médico em mercadoria de consumo, esse pilantra desse Juiz diz que médicos não são seres humanos e sim produtos comerciais, que podem estar e serem disponibilizados ao público na hora em que bem entenderem,

Abaixo a notícia do CFM que levou o caso ao CNJ. Espera-se punição exemplar ao juiz de rondônia.

"CRM pede revisão de liminar ao CNJ

O Conselho Regional de Medicina do Estado de Rondônia (Cremero) entrou com representação, no Conselho Nacional de Justiça (CNS), contra decisão judicial que obriga médicos da rede particular a atender diariamente no serviço público de Cacoal, terceiro maior município do estado. A denúncia também foi entregue ao Tribunal de Justiça do Estado de Rondônia (TJ-RO).

O Conselho pede a revisão da decisão liminar do juiz Carlos Roberto Rosa Burck, da 1ª Vara Criminal de Cacoal, expedida em 13 de outubro, que ante a crônica falta de médicos obstetras e pediatras no Hospital Materno Infantil (da rede pública), intimou os "médicos plantonistas de hospitais privados, dirigentes, assim como todos os médicos pediatras e obstetras de Cacoal que foram encontrados pelo oficial de justiça para que se apresentem no Hospital sob pena de prisão em tela (...)".

Em sua exposição, o CRM enfatiza que nos termos da Constituição Federal, ninguém é obrigado "a fazer ou deixar de fazer nada" senão em virtude de lei. "A decisão expandiu seus efeitos de forma irregular para médicos que não possuem qualquer ligação funcional ou de subserviência com a administração pública", denunciou a presidente do Cremero, Maria do Carmo Demasi Wanssa, que completou: "a falta de médicos na região é proveniente a incapacidade administrativa municipal".

Outro problema apontado pelo Conselho é que, com o reflexo da decisão, os pacientes da rede do hospital privado foram prejudicados. O CRM ainda denunciou que nenhum gestor municipal foi responsabilizado pelo ocorrido.

Para o diretor do CFM e representante de Rondônia, José Hiran Gallo, a decisão judicial é inadmissível. "O caos da saúde pública daquela região é conhecida pelas autoridades. Na última fiscalização do CRM, há um mês, detectamos problemas sérios na estrutura. Ali não é possível fazer Medicina de qualidade. Como obrigar os médicos a prestarem atendimento?", questiona.

Fonte: CFM

4 comentários:

MAURICIO disse...

Vê se o juizeco aí quer exercer a jurisdição no Haiti, na Chechênia ou em alguma cidadezinha onde mandam as Farc.
Não..... aí não pode .... aí não dá !!

Tsc, tsc, tsc.
Lamentável V. Excrescência.

Aproveita aí e pergunta se ele será solidário no caso de alguma eventual condenação por erro médico advinda das precárias condições oferecidas pelos gestores.
Cagão. Tem medo de bater em grande e é macho com os pequeinhos. Vai procurar o Zé Dirceu ....

aldofranklin disse...

O maior absurdo é esse Juiz não cobrar das autoridades políticas, seja o chefe do executivo Municipal ou do Estado! Prefere perseguir o Trabalhador a culpar tais políticos por improbidade administrativa!
Nao surpreende pois é a cara do Brasil! País Assistencialismo barato as custas de quem trabalha!
Nao tem milagre, quer o Serviço então ofereça remuneração descente Excelência! O Senhor leva pra casa R$ 23,0 mil, tem 2 meses de ferias e Aposentadoria com vencimentos integrais! Agora quer perseguir trabalhador de Bem? Pai de família? Que país é esse?
Ta com pena dos pobrezinhos sem atendimento medico? Pague a consulta de seu bolso e nao queira usar a força pra obrigar o medico, que é trabalhador, que paga boleto, ir trabalhar na marra pois não irá funcionar!

Heltron Xavier disse...

Olha o mais curioso é que a táctica de culpar o servidor não é original. É copiada de diversos outros estados e vem se repetindo há anos. O Resultado é sempre o mesmo: Não funciona. Não se resolve simplesmente atirando no canto errado. Diagnostico errado, tudo errado. Da mesma forma que no INSS, o MP apenas complica tudo. Por exemplo, o problema da perícia médica só faz piorar com a opinião do MPF. Cada vez menos peritos, prazos cada vez maiores e maior dano social. Onde está o resultado da política do GT da Previdência da PFDC nos seus 6 anos?
Nada de nada. Mais conflito judicial, mais demissões, mais fraudes, mais insatisfação.

Adrianus disse...

Está cada vez mais comprovada o recalque desses elementos que se dizem "operadores do Direito" contra os Profissionais Médicos! Estou também convencido, e também com fundamento em experiência própria, de que a "Justiça" deste "país" de bandidos está infestada por indivíduos medíocres, de péssima índole, autênticos criminosos que se utilizam do poder que lhes confere o Estado para obter vantagens pessoais e prejudicar homens de bem deliberadamente! São pré-requisitos para tornar-se juiz ou promotor de "justiça" ter uma postura extremamente arrogante, considerar-se "deus", passar por cima de tudo e de todos, atuar sem nenhum respeito à ética, agir com estupidez, ser idiota etc.? O Poder Judiciário revela-se como o mais corporativista e corrupto entre os Três Poderes da União! Com uma "Justiça" como a que existe no Bostil, quem precisa de PCC?