segunda-feira, 13 de maio de 2013

SOBRE A MENTIRA DO GOVERNO A RESPEITO DA "FALTA DE MÉDICOS" NO BRASIL (original postado em 15/07/12)

Nada mais atual.. Relembrando

Conforme já denunciado neste BLOG, o Governo Federal vem de longa jornada tentando o pleno domínio estatal da medicina e uma das estratégias usadas é a de desacreditar e desvalorizar o profissional médico para retirar-lhe a autonomia e a decisão final sobre seus atos profissionais, tão caros ao serviço público e às políticas de sobrevivência dos grupos partidários em vigor. (Clique aqui, aqui, aqui e aqui)

Uma das táticas é a de tentar entupir o país de médicos, com isso desvalorizando seu preço e tornando factível o uso indiscriminado de sua mão de obra barata e estatalmente controlada. Os políticos que defendem essa tese não se preocupam com isso pois quando adoecem tratam de procurar os melhores hospitais do país, deixando os médicos despreparados para seus eleitores. (Clique aqui e aqui e aqui). Os políticos que esquecem dessa regra podem cair nas mãos de uma medicina "ao estilo do governo" e sofrer coisas como esses aqui sofreram.

No atual governo estão explodindo a liberação de vagas para cursos médicos, seja em faculdades já existentes ou novas faculdades. O problema da massificação é a perda da qualidade de formação e o dano que isso gera para a população exposta a esses médicos que se formam sequer com treinamento em hospitais universitários e muitas vezes sem residência médica, acessivel a apenas 45% dos atuais formandos.

O argumento do governo é a falácia já denunciada da "falta de médicos no Brasil" corroborada por estatísticas inverídicas sobre a concentração de médicos em território nacional.

O Cremesp em associação com o CFM já desfez essa falácia (clique aqui). Mas para mostrar cabalmente a mentira governamental, vamos aos números da OMS sobre o tema:

Segundo o World Health Statistics 2011 (WHOSIS 2011), a situação de médicos no mundo é:

Total de médicos em atividade no planeta: 9.171.877
Densidade de médicos por 10.000 habitantes: 14,0

Total de médicos no Brasil em atividade:  329.041
Densidade de médicos por 10.000 hab/Brasil: 17,2

O Brasil é o quinto país mais populoso do planeta em 2011 segundo a OMS, com cerca de 192 milhões de habitantes.
O Brasil é o quinto país com mais médicos no planeta em 2011, perde apenas para a China (1.905.436 - dens.hab 14,1), Estados Unidos (793.648 dens.hab.26,7),  Índia (606.501 dens.hab 6,0) e Rússia (614.183 dens.hab. 43,1).

Aqui temos dados interessantes pois a Rússia é o nono país mais populoso do mundo (140 milhões de habitantes) mas tem quase o mesmo número de médicos que a Índia, segundo país mais populoso ( 1,2 bilhão de habitantes). Na Rússia temos um excesso de médicos por habitante (43,1 p/10.000) e na Índia sim temos falta de médicos (6,0 p/10.000). Apesar disso, a saúde na Rússia está LONGE de ser a ideal, o que por si só já prova que número de médicos não é igual a qualidade de atendimento MUITO MENOS de cobertura médica territorial.

A Indonésia, quarto país mais populoso do mundo, tem apenas 65.000 médicos, com dens.hab de 2,9. Os países ditos de primeiro mundo possuem densidade médica por 10.000 habitantes entre 15 e 40. O México possui 303.519 médicos numa densidade de 28.9 por 10.000 habitantes (o dobro da do Brasil) e nem por isso é conhecido por fornecer um excelente sistema de saúde à sua população.

Portanto resta claro que se por um lado uma baixa concentração de médicos por habitante está associado à mau serviço de saúde pública, um excesso de concentração de médicos NÃO ESTÁ POR SUA VEZ associado necessariamente a um bom serviço de saúde pública.
E qual é a densidade médica por habitante considerada minimamente ideal? A OMS não faz esse tipo de estatística, mas estudos da OPAS dão conta de que para um ambiente como a América Latina, o mínimo para se falar em construção de serviço de saúde seria em torno de 8 (oito) médicos por 10.000 habitantes, conforme se vê no documento abaixo:

Não existe dúvida, portanto, que além de um mínimo de profissionais disponíveis para montar um serviço de saúde, e segundo dados da OPAS/OMS o Brasil possui mais que o DOBRO desse mínimo necessário, o que define uma boa rede de saúde pública são as POLÍTICAS DE SAÚDE que esses países definem como necessidade e prioridade.

Logo, inverter a estatística dizendo que o Brasil tem 1,65 médico por MIL habitantes (sendo que a OMS sempre usa o parâmetro de 10.000 habitantes) para parecer que existe pouco médico e com isso autorizar a abertura desenfreada de vagas e escolas médicas a toque de caixa sem NENHUM CUIDADO com a qualidade dessas vagas que estão sendo abertas mostra que a preocupação básica do Governo brasileiro em relação à Saúde passa longe do bem estar populacional, pelo contrário, passa apenas pelo controle de gastos e pelo barateamento do profissional médico, sucateamento da profissão médica e o pleno controle estatal das atividades médicas no Brasil.

A desculpa do governo de que teríamos poucos médicos no Brasil não passa por nenhum crivo científico ou por qualquer outra análise estatística.

Não faltam médicos, o que falta é SERVIÇO MÈDICO PÚBLICO por absoluta inoperância dos gestores em construírem políticas de fixação do médico em áreas consideradas remotas, causando uma super concentração de médicos nas capitais, onde encontram melhores condições de trabalho, e o abandono do interior, onde são vítimas de gestores gananciosos, despreparados e muitas vezes de má fé, fazendo uso político do sistema público de saúde.

A ação do governo em estimular mais médicos sem a menor condição de formação ou treinamento ou de fixação deles nas áreas carentes é um crime contra a saúde pública a favor de interesses econômicos privatistas e governistas, que tem que ser denunciado e combatido.

2 comentários:

Heltron Israel disse...

Olha parabéns Chico Cardoso, realmente muito bom. Na verdade, genial digno de publicação em jornais e revistas.

aldofranklin disse...

O povo já sabe:
Não tem medico pois querem pagar uma "gorjeta" pro medico!
Não tem medico porque nos estabelecimentos de saúde falta de tudo! Não tem condições nem pra fazer um simples curativo!
Não tem medico por conta das fraudes em licitações, pelos desvios do dinheiro publico e fica por isso mesmo!
Não tem medico, pois o interesse é fazer a UPA, construir o posto, o motivo é fácil: Licitacao="comissão" pro político né?!... Brasil=dentre os top five da corrupção mundial!!