quinta-feira, 18 de abril de 2013

Críticas à Política Carneirista


1) As Equipes do Programas do Reabilitação Profissional da Previdência Social são formadas por Médicos, Assistências Sociais, Fisioterapêutas, Psicólogos e Orientadores Profissionais e fazem análises detalhadas biopsicosociais com envolvimento de empregadores e participação ativa do segurado sobre a decisão. Mesmo assim dados da auditoria de 2011 apontam que mais de 80% dos Peritos Médicos consideram seus resultados ruins é péssimos. Isso prova que há motivos outros para a ineficiência. Talvez seja a legislação e a política pública  deficientes sejam as reais responsáveis por tanta resistência e insucesso no retorno ao mercado de trabalho, além, claro, da eterna falta de recursos humanos e logísticos.

2) O modelo vigente de avaliação para recebimento de BPC-LOAS recentemente sofreu alterações, a fim de retirar o suposto medicocentrismo que cessava benefícios demais, para implementar uma visão multidisciplinar, supostamente mais humana, com etapas de avaliação social e médica separadas em questionários objetivos e específicos. As melhorias ainda estão sendo aguardadas. O resultado disso foi a criação de um instrumento de pontuação quase que aleatório ainda bastante criticado por todas as partes envolvidas. Nele, o Perito Médico é, não raramente, "incapaz" de prever se determinada situação vai gerar ou não benefício. Houve a manutenção da sensação de injustiça prevalecia anteriormente. 

3) A Análise Técnica das Assistentes Sociais é demais previsível e linear não alterando o resultado final. Até hoje nunca vi uma avalição de improbabilidade social sequer "leve". Para eles(as) todos precisam, ou muito, ou demais do benefício. Outro ponto é que a avaliação social restrita à consulta na APS tem muitas restrições técnicas. Não são raros casos em que uma Pesquisa Externa, visita in loco, colhe informações contraditórias e falsas daquelas colhidas na APS. Inclusive com descobertas de fraudes escancaradas de segurados que subscrevem informações sobre moradia e renda incompatíveis com as detectadas. Não seria mais interessante aumentar a acessibilidade da cobertura "assistencial" do governo?

4) Não existe evidencias científicas de que modelos multidisciplinares (quem tiver mande que publico na íntegra) melhorariam percepção da real capacidade laboral do trabalhador. Talvez medidas mais baratas como aumento de tempo para avaliação pericial, programas de instrução e aperfeiçoamento de servidores, controle de qualidade de laudos pericias, a criação de novos intrumentos para complementar a análise (pareceres, pesquisas e acesso a dados) e estímulo a pesquisas externa de ambientes de trabalho e moradia melhorassem uma avalição pericial que já existe. Estamos preparados para um novo modelo quando dezenas de questões éticas e administrativas não estão apaziguadas? 

5) O SIASS foi moldado sob a ótica multiprofissional e até hoje, anos depois, apresenta dezenas de problemas de estrutura, logística e gerenciamento. Há queixas por todo o Brasil. O modelo de prontuário virtual do Servidor também não conseguiu ser implementado. Eles sequer chegaram para em algumas gerências do INSS, como aqui em Natal-RN. Também não há números de controle comparando os modelos e provando que a multidisciplinaridade tenha melhorado o atendimento, a qualidade de laudos médicos, a reabilitação profissional e a resolutividade. Há inferências empíricas sobre tudo isso.

10 comentários:

Francisco Cardoso disse...

Nunca vi parecer de assistente social com restrição leve nos casos de enquadramento de renda nos critérios legais, Nunca.

Desafio alguém a mostrar aqui alguma vez que um A.S. deu barreira leve.

Se é 100% de concessão "social", para que manter os A.S. no LOAS?

Seriam melhor aproveitados nas equipes de RP e auditorias de casos de longa permanência em BI.

aldofranklin disse...

Nao seria mais fácil o Hoverno conceder um salario minimo pra todo brasileiro?!

Heltron Xavier disse...

Só para ilustrar.
Outra vez atendi uma segurada com transtorno bipolar requerendo LOAS. Vinha como grave barreira social.

De cara chamou a atenção o fato de apresentar o laudo de um colega psiquiatra que só atende particular com consulta R$ 600,00.

O Marido inicialmente entrou com ela e vinha com um chaveiro de carro pendurado com uma propaganda de colégio numa pasta. De um colégio particular onde seus filhos estudavam.

Fiz a Pericia e perguntei no final sobre os fatos e porque foi dito que a assistente social que ganhava apenas 140 reais por mês.

O Cara respondeu na cada de Pau que é pequeno empresário ganha em média 3.000, mas a renda não é fixa tinha entendido que a assistente social tinha se referido ao "ultimo mês" e não a média do ano.

O endereco era de casas de classe média alta.

Isso tudo passado batido.
Perdi totalmente a fé nas assistentes sociais.

aldofranklin disse...

Ei rapaz, vai esse pensamento pra vc:

Se você agir sempre com dignidade, talvez não consiga mudar o mundo, mas será um canalha a menos.
John F. Kennedy

Então companheiro fazendo a sua parte vc ja ta ajudando! Agora olhe ao seu redor, veja a quantidade de gente safada e sem caráter que vc interage durante o dia! O País tá perdido...
Tem um amigo que diz pra mim que nao lê mais Jornal! Perguntei por quê?! Que me respondeu: " So tem desgraça..."

É isso ai!

Francisco Cardoso disse...

Aqui em SP deram barreira grave a uma pessoa pois morava de aluguel. Em higienopolis, SP, bairro de elite, na mesma rua do Jô Soares, Galisteu e FHC.

R disse...

Atendi uma mãe de criança autista com mais jóias do que eu, com roupas caras e a criança fazia acompanhamento com fono, psicologo, médico tudo pela unimed. A AS colocou tudo grave!!!

aldofranklin disse...

Qual o espanto?
Toda AS coloca tudo grave pois nao quer dor de cabeça! Joga a bucha pro Perito e ele que se lasque! É assim que funciona rapaz!
Ninguem tem compromisso com o Erário nao bonzinho! Vai lá arriscar tua vida! Ate juiz bota pra lascar! Ate sem qualidade o cara leva o Auxilio Doenca Judicial!
País nao é serio! Por isso fico "so no sacolejo"! ;-)

Christopher disse...

Apesar de ser novo carreira também comuno da opinião: nunca vi A.S. dar barreira leve. Também já desconfiava de certas análises, com informações fraudulentas por parte do requerente de LOAS.
Como estou em cidade menor, fica mais fácil ver as mentiras e as (in?) capacidades tanto dos segurados quanto dos que requerem LOAS. Já vi até CID: F29 (???), na mesma semana que passou por mim solicitando BI, frequentando festa de aniversário, onde estava toda produzida e tomando todas, na maior descontração, sem nenhum alteração de humor ou mental.
PS: Parabéns ao pessoal do Blog! Acompanho vcs diariamente.

Leao Alhambra disse...

Pessoal nao deixemos de lado as especifidades de cada profissao e tb nao esquecamos q existem profissionais e "profissionais" em todas as areas. Sou assistente social e sempre emito avalicoes leves ou sem barreiras e nao vejo diferencas em minha Gex. Acredito q nao podemos deixar de lado o principio da CIF. Agora ambas avaliacoes sao subjetivas, do contrario nao teriamos PRs reformados
A logica é a mesma.

Heltron Xavier disse...

Caro,

O NUCLEO da discussão nao é um suposto "mau trabalho" do grupo social. É que o segurado que procura a assistência ja é de fato um fragilidade na imensa maioria dos casos. O que torna o trabalho redundante. O publico da assistência per se ja procura porque quase nao tem mais a quem recorrer.