terça-feira, 16 de abril de 2013

OS PLANOS DESTRUTIVOS DE SÉRGIO CARNEIRO PARA A PERÍCIA MÉDICA DO INSS

Em recente reunião com grupo de médicos e assistentes sociais na DIRSAT sobre o tema das órteses e próteses no INSS, Dr. Sérgio Carneiro abriu o verbo sobre os planos do governo para a perícia médica, a saber:

1) Aumentar de 15 para 30 dias a licença paga pelo empregador.
2) Fazer o AX1 pelo BAREMA (Tabelão de incapacidades), sem participação de peritos -> Concessão automática de benefícios acreditando-se na "veracidade" do atestado médico.
3) PP e PR em perícia dita "multidisciplinar" onde não seria avaliada apenas a incapacidade física e sim a chamada "incapacidade social".

Para isso, o INSS empreenderá esforços para a aprovação do PL 7.200/10 de autoria do deputado Berzoini, o que quase matou os velhinhos do INSS no recadastramento de 2003.

Por normas infra-legais, o INSS driblaria o impedimento legal de se avaliar "incapacidade social", já que a lei diz especificamente que o afastamento deve ser por doença.

Tudo baseado nos ensinamentos da Espanha, inspiração dos petistas. 

Dr. Sérgio estrilou quando alguém defendeu a perícia pública pelo fato dela economizar o dinheiro das fraudes. Disse que nós estamos "tirando dinheiro de quem precisa". Não comentou que na época dos terceirizados o gasto subiu de 2 para 12 bilhões em 24 meses, e que o número de benefícios explodiu de 800.000 para 2,4 milhões no mesmo período. Não quis saber dos relatórios do IPEA e do TCU apontando as fraudes bilionárias.

Dr. Sérgio também anda furioso com o INSS. Diz para quem quer ouvir que o INSS é uma zona, que as reuniões com a diretoria colegiada são confusas e sem pauta, criticou a desorganização das discussões, reclamou que não sabia que teria que controlar ponto de perito, TMEA-PM nem colega "reclamão". Disse que sente saudades do MPOG, onde tudo era planejado, organizado, ideal, perfeito. Parece que deu pulinhos de raiva e tudo.

NOTA DO BLOG:

Bem vindo à realidade do INSS, Dr. Sérgio, onde o caos gerencial brasileiro se manifesta em seu maior tom. Claro, deve ter sido um choque ter saído do ar condicionado e da redoma do MPOG, onde uma ilha de fantasia cheia de "powerpoints" e "brainstorms" isola os servidores da realidade nua e crua. Mas aposto que ainda deve ser melhor a DIRSAT que as perícias que o senhor odiava tanto fazer na Água Branca, em São Paulo, onde ficou por curto período.

São válidas todas as tentativas de se melhorar o sistema, pois é óbvio que ele não está funcionando adequadamente. Porém são condenáveis as tentativas de se usar isso como pretexto para impor à sociedade brasileira uma visão radical quase anarquista onde projetos pseudo-marxistas travestidos de "sociais" serão postos em prática para agradar eleitores, sindicatos e deixar as empresas e o país reféns de uma situação onde o Estado pagará pensão para alguém que se sinta "triste" ao ir ao trabalho.

Esse projeto tem o condão de destruir o equilíbrio social ao colocar trabalhadores pagando 20% de impostos ao INSS para sustentar pessoas que por diversos vieses irão alegar "danos sociais" para se escorar "na caixa", numa verdadeira cultura de clientelismo e conformismo social. Não tarde haverá um embate como o que vimos na Espanha recentemente.

A Espanha faliu. O chamado "SUS Espanhol" não existe mais. Os petistas do INSS querem esse futuro para o Brasil, decerto. Nem a Espanha quer mais esse modelo que ajudou a falir o país, agora de joelhos para o capital internacional. Mas aqui no Brasil, toda a tchurma está indo ou já foi la aprender com os espanhóis como detonar um país.

Esse falso socialismo politicamente correto, ao qual chamamos de Estado Babá, só durará quando o dinheiro dos outros existir. Quando os outros cansarem de pagar sobre 20 salários para no fim receber apenas 1 enquanto outros alegarão tristeza e depressão para receber sem ir ao emprego, ai termos uma espanholização da sociedade brasileira (entendam o termo espanholização como quiserem).

Na Espanha, hoje, existem 3 milhões de casas VAZIAS, nas mãos dos bancos, enquanto seus ex-moradores padecem em abrigos ou nas ruas. Tudo fruto de pseudo-políticas sociais irresponsáveis, geradas por um pensamento de horror ao poder e à autoridade fruto da contaminação foucaultiniana que as universidades experimentaram no pós-guerra a partir da década de 60-70. 

Por isso essas ditas experiências socialistas são pseudo-marxistas, pois em última análise, quem vai ganhar são os bancos e o sistema financeiro internacional.

O PL 7.200/10, já discutimos aqui, é o tiro de morte não na perícia médica, mas na medicina, ao autorizar que o diagnóstico de incapacidade laborativa POR DOENÇA possa ser feito por não-médicos.

Sob a capa de ser politicamente correto e holístico, esconde a real intenção do legislador, um ex-bancário sindicalista e agora político profissional, de diluir o poder médico na mão de outros profissionais de saúde não habilitados para tal, que lhe serão gratos pela oferenda. Com isso, a decisão de capacidade laborativa sai da área técnica (médica) e vai para a área política, com os sindicatos definindo quem pode e quem não pode trabalhar.

Por isso sempre denunciamos que o discurso multiprofissional é mentiroso. Se fosse bom mesmo, Campinas teria uma saúde melhor que a Noruega e sabemos que passa LONGE disso. O discurso multiprofissional vem para tirar poder do médico, dar ao ESTADO o poder de decidir atos médicos, baratear custos e desmobilizar categorias pois a "atenção à saúde" é um royaltie político, social e econômico caro demais para ficar nas mãos dos médicos.

Todos os esforços do ESTADO no sentido de estatizar a medicina se voltam para o discurso da apropriação do ato médico travestido de políticas "corretas, bonitas, holíticas e modernas". Tudo isso não passa de invólucro. Por dentro, um veneno fatal se esconde: o da medicina feito por não-médicos.

E por fim, um recado ao Dr. Sérgio: Quem tira dinheiro de quem precisa são os corruptos, fraudadores e achincalhadores do Estado brasileiro. Tiram e tiram MUITO dinheiro. Estima-se em MEIO PIB por ano o gasto relativo à corrupção e seu combate. 

Quem é conivente com essa prática, acaba respondendo por ela também. Nessa hora, não adianta dizer que é "tudo pelo social", pois a única socialização que restará a estas pessoas será a do pátio do presídio. Por isso é bom ter muito cuidado com o que se pretende fazer, pois os alertas estão dados e os avisos já foram feitos. Alegar desconhecimento de causa será infrutífero. Como médico que ele é, deveria se preocupar com as repercussões éticas de seus atos administrativos. Iremos cobrar isso até o fim, se necessário for.

12 comentários:

Médicos e Peritos disse...

Sugiro ao bacharéu em perícias, aquele que nunca fez, que aprenda primeiro sobre o que quer mudar para argumentar melhor, pois não terá facilidade em cumprir as metas partidárias dentro do INSS. Haverá resistência.

Médicos e Peritos disse...

Baremas são úteis na valoração de danos, na dosimetria de indenizações. Não é o caso do INSS. A incapacidade do INSS é tudo ou nada, é um julgamento complexo muito além de CID e tabelinhas. Baremas são simplificações que não têm o menor sentido convivendo com perícias multidisciplinares, a anti-simplificação. Aliás, perícias em Saúde, como diz o Bacharéu, não se aplicam ao INSS que avalia doença e sua repercussão laboral. A perícia do INSS é perícia em doença.

Proposta de quem não conhece do riscado.

Airton Jr. disse...

Do jeito que está indo ficaremos mais para a Grécia e Chipre do que para a Espanha...

MAURICIO disse...

Com 30 dias pago pelo empregador.
Mais 60 dias pelo atestado do médico assistente.
30 dias de férias.

SÃO 4 MESES AO ANO SEM FAZER NADA.

Vai ter indivíduo calculando para emendar com o carnaval e a páscoa.

Até juiz e promotor trabalha mais que isso com seus 60 dias de férias e licença prêmio quinquenal.

VIVA A ESPANHA.

Coitado de quem realmente fica doente e de quem trabalha 35 anos honestamente para crescer o Brasil.

Estes vão receber os rídículos proventos minguados de suas aposentadorias achincalhados por fatores previdenciários por conta do descalabro administrativo do INSS e a gestão temerária do patrimônio previdenciário do TRABALHADOR. (aquele que trabalha)

Heltron Xavier disse...

A refém falecida Dama de Ferro inglesa tem muito a ensinar. Sugiro a todos que leiam sua biografia para entender como ela fez a Inglaterra prosperar com uma política totalmente oposta a previdenciária brasileira. Pais rico. Sistema previdenciário investigativo ostensivo. Nada de "social" . Ela provou que o socialismo ou pseudosocialismo, como no Brasil, não funciona.
Adorei a frase em que diz nos ideais dos franceses: igualdade, liberdade e fraternidade, esqueceram de por "deveres".

JOSÉ ALBERTO ARMÊNIO disse...

VISA PRELE QUI A ZONA VAI AUMENTAR.

Vandeilton disse...

Pois é, o Lula foi se meter a ganhar dinheiro às custas do contribuinte, agora está com seus bens bloqueados, para ressarcir o erário. O Dr. Carneiro tem que aprender com os erros dos outros, pois a punição tarda mas não falta.
.
http://processual.trf1.jus.br/consultaProcessual/processo.php?trf1_captcha_id=a555dcb47dfe1053c73b21905e9cd49c&trf1_captcha=sycm&enviar=Pesquisar&secao=DF&proc=78070820114013400

Fernando Antônio disse...

Perícia médica é coisa séria. Hoje cerca de 50% das licenças médicas/INSS já são fruto de metassimulação e fraudes. Se afrouxar o sistema/pericial estas médias se multiplicarão.

Podem inventar qualquer coisa mais o que define mesmo é a perícia médica tradicional e detalhada, com exames de imagens, laboratoriais, exame clínico e exame físico do trabalhador/segurado-INSS. A perícia médica na Justiça Federal sempre será nos moldes tradicionais.

Deve-se investir em Reabilitação Profissional de ponta. Convênios com cursos técnicos variados em todos as cidades com mais de 50 mil habitantes.

Estruturação do INSS cmo mais consultórios/INSS e mais peritos/INSS.

Heltron Xavier disse...

Eu nunca vi a CUT lutando por Reabilitação.
Citações isoladas existem.
Não existe interesse em voltar a trabalhar.
Ganhar menos trabalhando não atrai ninguém....
Depois sem serviço investigativo se pode receber e trabalhar informalmente. Se for pego é só espernear pelo social com música dramática de fundo e todos caem.

Todo problema dos socialistas se resume a esquecer de quem vai pagar a conta. Os gastos da previdência só fazem aumentar. Recentemente foi aprovado PL que trata da conversão das apoentadorias com prejuízo estimado de 70 bilhões de reais. Gabas ja avisou que nao tem dinheiro.

Junto com a Política Carneirista de "nao" se preocupar com a gastança... O INSS vai para o brejo....

Eduardo Henrique Almeida disse...

A perícia humanizada a partir de um modelo em que a percepção holistica do segurado enquanto cidadão de direitos dialogue com um novo sentir biopsiqicosocial transcende a praxis atual esgotada e desimanizada.

JOSÉ ALBERTO ARMÊNIO disse...

Traduzindo:
O $$ curto não permite.
Euro " sifu ".
Será que o R$ está com essa corda toda ?
Sei não. . .
Ou melhor, sei sim:
Vai dar " chabú " !

Christopher disse...

Caros colega, e principalmente o Dr. Heltron... recebi de um e-mail de um colega, conselheiro do CRM-MG, que resume bem o socialismo. Vou enviá-lo ao blog, caso achem interessante, podem publicá-lo aqui.
Mas resumidamente, e concordo, que socialismo é a polítca na qual tudo é de todos e ao mesmo tempo de ninguém em particular, sendo assim o ser humano está disposto a sacrificar-se trabalhando duro quando a recompensa é atraente e justifica o esforço próprio, mas quando o governo suprime esse incentivo e sacrifício necessário para conseguir a excelência. Para que?
Certo, companheiros???