sexta-feira, 7 de outubro de 2011

A POLÍTICA DO HOLOFOTE.

FALTA PERITO, SOBRA DESCASO DO INSS E INCOERÊNCIA DO MPF E DE SINDICATOS.

Acima um exemplo do sonho de consumo do Governo e do MPF


A política de culpar o médico pela má gestão da saúde, inclui-se ai a perícia médica previdenciária, está fazendo o governo assistir a um colapso da rede pública de atendimento. Se no SUS isso já é visível em qualquer lugar do país, no INSS começa-se agora a se ter uma percepção nacional da crise gerada pela falta do profissional médico nas unidades de atendimento.

Enquanto o exonerômetro do perito.med só sobe, aumenta também a pressão do MPF e da DPU para que o INSS libere benefícios por incapacidade em casos de não conseguir fazer a perícia em tempo hábil. Nada mais justo, pois o cidadão não pode ser penalizado pelo despreparo institucional.

Tentativas débeis de tentar "terceirizar" o serviço médico já se mostraram fracassadas, pois não atrai número suficiente de profissionais, em muitos casos atrai péssimos profissionais descompromissados com a causa pública e a situação só piora.

Tudo isso ocorre pelo mesmo motivo: o descaso com o qual os gestores tratam a medicina. O colapso do SUS e do INSS é a consequencia natural do que acontece quando Governo trata profissional de 10.000 horas de estudo com afronta e desrespeito, pagando salários ridículos, não dando nenhuma estrutura decente de atendimento, colocando leigos para gerir coisa médica e querendo cobrar resultados com o rigor de um país europeu.

O INSS não tem condições estruturais e gerencias de manter um serviço nacional de perícia médica. A situação só não foi ainda pro beleléu pois a informalidade com o qual o INSS trata o ato médico pericial previdenciário (o famoso "meia boca") ainda consegue segurar um pouco a situação, mas até isso está para explodir, pois a sociedade não é boba e já está acordando para este problema gravíssimo, o da falta de formalidade legal no atendimento ao cidadão que pleiteia um beneficio acidentário.

O Governo, o MPF e outros órgãos sociais já se habituaram a culpar o médico pelo caos gerado pela má gestão da saúde, mas essa política de perseguição sistemática e implacável ao profissional que MAIS TRABALHA no serviço público federal (com rendimento de trabalho até 2400% maior que servidores administrativos da mesma área fim) está começando a falir. Os órgãos de controle da sociedade agora estão num beco sem saída, pois se forem querer resolver esse problema com o rigor que usam quando acusam os médicos de omissão, vão ter que partir pra cima do governo, pois é na estrutura governamental que se encontra o gargalo para se conseguir atingir a excelência no atendimento à população.

Exemplo clássico: Se outorgando como entidade médica, o MPF listou alguns enunciados que deveriam servir de guia para a atuação do órgão junto ao INSS. O enunciado número 2, por exemplo, diz que o perito médico tem que anotar TUDO o que o segurado lhe entrega, sendo relevante ou não.

Independente do CFM ter se posicionado proibindo os médicos de seguir tais enunciados pelo fato dos mesmos serem uma clara interferência à autonomia médica, o fato é que mesmo se quiséssemos seguí-lo, seria tarefa impossível pois o sistema eletrônico de perícias, o SABI, limita a apenas 2000 caracteres a quantidade de letras que pode entrar no laudo médico pericial.

O MPF não pode alegar desconhecimento deste fato, pois isso já foi exposto em diversas reuniões e constam em atas. Então, vamos ver uma ACP do Ministério Público Federal contra o INSS pedindo a proibição do uso do SABI por não dar condições ao perito de elaborar um laudo médico pericial decente, ou vai ficar por isso mesmo?

O MPF quer mesmo melhorar o atendimento do INSS à população ou será apenas uma atuação de holofote, focando apenas perseguições a médicos com possíveis problemas de vínculos ou outras coisas?

E o governo, vai respeitar a população e dar estrutura, salário e condições de segurança para o perito trabalhar ou vai continuar a querer culpar o servidor pelo descaso com o qual trata o tema?

E as centrais sindicais vão parar que querer demonizar os médicos, que são trabalhadores como eles, e começar a se juntar a nós na luta pela formalidade e excelência no atendimento à população ou vai ser apenas o discurso de fachada para agradar ouvidos ansiosos?

Com a palavra, a sociedade.

17 comentários:

Rodrigo Santiago disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Rodrigo Santiago disse...

EUREKA!Todas as misérias humanas simplesmente seriam resolvidas de imediato, bastando que para isto os egoístas dos peritos saíssem de seu casulo e de sua clausura!Os peritos têm nas mãos todo o poder do mundo de acabar com todos os males dos trabalhadores.Para quê políticos? Para quê a ciência médica existe se basta apenas que os peritos homologuem de olhos fechados todos os pedidos de auxílio-doença e os converta imediatamente em aposentadoria por invalidez? Afinal, não seria o grande problema do trabalhador o fato de ele ser trabalhador? Se deixasse de ser trabalhador e de contribuir com o INSS todos os problemas estariam resolvidos, não?Se todos fossem empregadores ao invés de empregados quem sabe os problemas não seriam resolvidos de vez?

Agora, falando sério: por quê é que o governo federal não aumenta o bolsa família para dois mil reais (que eu acho, sinceramente, que é o mínimo do mínimo que qualquer cidadão precisa para viver dignamente e não distribui renda para todo mundo sem trabalhar, acabando com esta gritaria e fazendo com que meia dúzia PAREM DE ENCHER O SACO DA PERÍCIA, parem de tentar ser e entender do que não entendem, parem de fingir que a lei e a ciência não existe, parem de caluniar e injuriar diariamente a honra alheia de maneira gratuita e covarde!Quem sabe assim não entendam que o papel da perícia não é o de resolver todas as misérias do mundo e de que o perito não é desumano porque negou fundamentadamente e legalmente um benefício?Infelizmente, eu duvido que isto possa ocorrer.Mesmo que todo o trabalhador brasileiro ganhe pelo menos dois mil reais por mês sem trabalhar ainda não deixarão (meia dúzia de recalcados) de atacar e difamar a perícia.E sabe por quê? Por que para estes o problema já deixou há muito tempo de um movimento em defesa dos trabalhadores e se tornou, de forma quase esquizofrênica, um movimento contra os peritos!

Rodrigo Santiago disse...

Fácil colocar na perícia a culpa de todas as miséria humanas!Difícil é ser perito!Fácil é ser pedra e falar baboseira sem conhecimento de causa apenas para jogar para a patuléia, difícil é saber o que é estar sentado defronte o periciado, ter que examinar a complexidade de sua queixa , conhecer a complexidade de seu trabalho e ter que decidir sem ter condições de trabalho, incentivo, reconhecimento.

Pensem nisso! O futuro do país já se mostra no presente! Aquilo que parte da sociedade faz com parte dos peritos, generalizando as críticas para todos, mesmo quando todos não as mereçam, condenando a todos indistintamente em um julgamento sumaríssimo e leiguíssimo, vai ter o seu preço.Já está tendo!Este é o retrato de um povo que é em boa parte pequeno, que é facilmente manipulável e massa de manobra daqueles que estão no poder (os sindicatos!..não os políticos, estes também já transformados em massa manipulável dos sindicatos, têm medo de sindicatos, cômodos e covarde em boa parcela), que põe a culpa de suas mazelas nos peritos em vez de se levantar, gritar e exigir os seus direitos a quem deveriam exigir, exigir educação, cobrar resultados, empregos, respeito, acordar para a vida, se superar para crescer em vez de diminuir quem ousou crescer por seu próprio mérito, às vezes em condições de extrema dificuldade também, contra muitas barreiras.

Mas, é mais fácil xingar o médico, banalizar o seu trabalho, desqualificá-lo, entrar para a turma que grita sem responsabilidade alguma, que não cobra esta responsabilidade de quem deveria, que transforma o trabalhador em pobre coitado digno de pena e de aposentadoria, e não merecedor de condições altíssimas de educação, aprimoramento, ambiente ótimo de trabalho, bons salários e respeito!
Falta de respeito! Pensem nisto! Pensem no que esta falta de respeito pode gerar.Acham que resolverão assim o problema?Acham que a tarefa dos peritos e da Previdência é distribuir renda?Podem até achar e delirar nesta idéia.O grande problema é quando o governo ....ops sindicato....também começa a querer embarcar nesta idéia do mundo da ficção e passa a querer introduzi-la no mundo que se acreditava real.

Rodrigo Santiago disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Rodrigo Santiago disse...

Todas as misérias humanas são causadas pelos médicos....que além de médicos são também peritos! Não soa fortíssimo e horripilante este argumento? Mas o mais horripilante e deprimente é que isto parece ocorrer de maneira deliberada por muitos setores organizados da sociedade com o intuito bem arquitetado de vilipendiar, desprezar e torturar a medicina, as leis e a ciência, querendo fazer prevalecer a pura benevolência, a anomia, a desordem daqueles que gritam de fome, e que , sem poder ou sem saber a quem culpar, escolhem o comodismo de verter toda a ira, a mentira, a perseguição sobre os médicos.Mote perfeito, não, afinal? Como pode um ser que tem o dever de cuidar da miséria humana deixar a humanidade na miséria? Como são cruéis estes médicos peritos!

Pensador disse...

Dr. Rodrigo Santiago, foi bom seu exercício de desabafo, acho que isto contribui para que possa se sentir melhor. Mas, caindo na realidade, claro que os médicos e os peritos não são culpados por tudo, assim como não são todos que pensam desta forma. Porém, existem maus profissionais na área, como existem ótimos profissionais. Agora, cada pessoa escolhe para onde irá virar seu holofote.

Dr. Francisco Cardoso, analisando o que postasse: “profissional que MAIS TRABALHA no serviço público federal (Com rendimento de trabalho até 2400% maior que servidores administrativos da mesma área fim)”, acredito que existam muitos ruídos nesta INTERPRETAÇÃO do boletim estatístico do INSS. Os servidores administrativos realizam diversas atividades em uma agência, entre elas está o tratamento de pendências e críticas SABI para que o perito médico possa realizar o seu atendimento. Então penso ser prematura e equivocada a interpretação dada no início deste tópico que postasse.

Pensador

Heltron Israel disse...

Ele quer dizer sobre atendimentos e resolução dos problemas. Já reparou como sao calmas, vazias e tediosas as APS quando por algum raro motivo não tem atendimento pericial?
Parece feriado. Mas deixe que ele explique melhor.

Provavelmente,
Heltron

Francisco Cardoso disse...

Caro Pensador,

estou usando apenas os métodos de medição de trabalho que o governo usa, que é o resultado = número de processos finalizados.

De fato, quando por algum motivo não há atendimento médico em uma APS, a mesma fica num marasmo tão grande que chega a dar dó dos funcionários ali presentes, pois a maioria dos atendimentos restantes são para tirar dúvidas (80%), coisa que o INSS poderia resolver colocando postos de atendimento espalhados pelas grandes capitais e centros urbanos, e o resto fica lá enrolando em alguma gaveta escura e úmida num TME duas vezes maior que o TME para sair o resultado da perícia médica.

Quanto a livrar pendências, em breve um tópico sairá quentinho sobre a realidade dessas pendências, a realidade do trato administrativo do auxílio doença e a informalidade institucional com o qual o benefício é tratado pelo INSS. Será um espanto.

Rodrigo Santiago disse...

Agora sim estou ótimo...mas se somente um desabafo bastasse...o que mais me incomoda, plagiando Luther King, é o silêncio dos bons e da maioria da sociedade e não o grito dos lunáticos, fanáticos e irresponsáveis.

Bom, e se isto não tivesse feito eu me sentir melhor, faria alguma diferença?

Anderson disse...

Acho que tem que pagar desde o requerimento (já que não faz a perícia no tempo ideal); acho tb que deve acabar com a DCB, pois todo trabalhador tem que ser reavaliado antes de retornar ao trabalho. Bato o ponto às 7h e saio as 16h. Faço o que posso, sem atrapalhar a boa prática médica e a ética. Bom, a fila na minha APS já está em 10/02/2012.
É o caos! E o que que eu tenho a ver com isso??
Eu quero mais é que o INSS e o MPF vão tudo tomar...

Luciana Coiro disse...

Quem sabe agora com as questões de fraudes e grana envolvida nas Olimpíadas não esquecem um pouco de nós.

Já repararam que o MPF está bastante preocupado com isso ? Os holofotes estão se virando para este evento.

Senhor pensador: há maus e bons profissionais em todas as Categorias de trabalho. Não sou corporativista e não compactuo com isso. Mas na profissão de médico e de perito não é maior o número de maus profissionais.

O que acontece é que é cômodo fortalecer a idéia de que governantes, políticos e gestores não tem nada a ver com as mazelas da Previdência. Os culpados são os peritos !!!

Enquanto não entenderem que somos trabalhadores com péssimas condições de trabalho e grande dificuldade de melhorar o atendimento aos segurados, POIS NOS EXIGEM QUANTIDADE E NÃO QUALIDADE, não vamos avançar.

Luciana

aldofranklin disse...

A questão é que enquanto ficarem culpando os médicos pela perícia e pelo o funcionamento da saúde pública, enquanto não derem rendimentos condizentes com a responsabilidade, enquanto ignorarem a complexidade do trabalho do médico, nada disso se resolverá! Hospitais sem médicos, cidades do interior sem médicos, já é uma realidade! Mas a sociedade já está acordando pros gestores que acham que melhorar a saúde é fazer UPA, SPA e similares...ACORDA BRASIL!

Francisco Cardoso disse...

Anderson, sessão sua opinião é uma violação aos princípios da bioetica e da autonomia do paciente. Em ultima analise, quem define se está apto ao trabalho é o cidadão. Se ele se sente apto, nem pede pericia, ou nao pede PP ou pede pericia de alta. Se ele se sentir apto ao retorno mas for obrigado a ficar ocioso esperando um exame burocrático, alem de violar a autonomia do cidadão será o caos completo para aqueles que querem retornar a emprego. Um absurdo total. O cidadão que nao se sente apto pede PP, PR, JRPS e enquanto seu pedido nao é analisado ele permanece em BI graças a DCA.

Francisco Cardoso disse...

Bom, REPARE QUE FALO EM RENDIMENTO DE TRABALHO, não em trabalho em si. Lembre-se que "esforço não é resultado" e que pode um servidor trabalhar MAIS porém ter um rendimento MENOR.

Esclarecido isto, esta suposta anomalia estatística foi feita usando apenas as mesmas ferramentas que o governo usa para avaliar os resultados dos servidores, que é a finalização de processos. O cálculo está lá no tópico "Peritos Malditos", leia e veja de onde saiu o número.
Essa estatística serve para provocar e esclarecer. No seu caso, provocou sua ira, portanto agora tente esclarecer onde estaria o erro nesse cálculo. Fará um bem a toda a sociedade.
Quanto as verdades, elas estão todas neste blog. Que tal sabermos mais verdades começando pelo seu nome, servidor administrativo?

Francisco Cardoso disse...

Ue, claro que sim, senão sou descontado. Onde trabalho nao existe a menor chance de ser diferente.

Bom, agora o senhor, me mostre o equivoco da analise.

Heltron Israel disse...

Acha mesmo que Peritos deste blog com um nível de exposição destes. Perseguidos por loucos e observados continuamente por autoridades teriam a cara de pau de não cumprir o seu horário? Não tire o seu exemplo pessoal de APS como regra. Eu atendo de manhã e de tarde. Nada de 6 horas corridas. E conheço centenas de peritos que cumprem sua hora religiosamente. Não seja desonesto com nossa classe e todos os peritos que dão o melhor de si para instituição. Se tem exemplos particulares não servem de regra.
Aliás não aceitaremos partindo de amanhã nenhum comentário de anônimos.

Lei e Ordem disse...

É o que parece, cada dia que passa esta mais difícil de exercer a atividade, muita pressão.