segunda-feira, 31 de outubro de 2011

Vendedor tenta se aposentar pelo INSS

Publicado em 31/10/2011 às 15:54:00
Exames e um atestado comprovam a incapacidade de trabalhar

ROBSON RICCI, TV Record Rio Preto

Um vendedor de Rio Preto que sofre de problemas na coluna luta para conseguir afastamento pelo INSS. Apesar dos exames e de um atestado que comprovam a incapacidade, peritos do instituto afirmam que ele tem condições de voltar ao trabalho

7 comentários:

indignação disse...

Até quando isso vai acontecer, será que os bons vão continuar pagando pelos maus, ontem meu primo foi a uma pericia com exames que comprovam uma hidrocefalia e um laudo médico pedindo sua aposentadoria por invalidez devido aos problemas que essa doença causa e o perito do inss negou o pedido e mandou mais uma pessoa com problemas de saúde de volta pra casa, quem o conhece vê que é nítido que ele não tem condições de voltar ao trabalho, pois assim como na reportagem o medico do trabalho também o colocou como inapto, enquanto tem muitas pessoas se aposentando por debaixo do panos sem ter nada, isso com ajuda de pessoas do próprio órgão, existem pessoas que realmente necessitam deste auxilio e não podem, porque exitem uns vibradores que voltam pra casa felizes e ainda conseguem colocar a cabeça no travesseiro depois de fazer tamanha maldade.

aldofranklin disse...

Meu filho, qual o grau de hidrocefalia? tem válvula? está funcionante? O médico pedindo aposentadoria? E onde fica o art 30 da lei 11907?
Doença e incapacidade são coisas distintas; Qual a função? Eu tenho cancer e trabalho e ai?

Renato disse...

O INSS a cada dia supera sua falta de profissionais tenho exames de raios-X ressonância magnética e exames de sangue que comprova que sou portador de espondilite ancilosante com pontes e fusão óssea com afastamento por dois medico do trabalho e dois reumatologista e perito da justiça federal o perito do INSS indeferiu e o procurador do INSS contestou a pericia da justiça alegando experiência que nunca tive to na luta a mais seis meses sem receber e sem condições de trabalhar com o nome no Serasa e correndo o risco de perde minha casa os grandes roubam e nos pagamos o pato revoltante isso e depois aparecem os peritos do INSS se fazendo de vitima quem tem sangue acaba partindo para agressão mesmo eles tem que respeita o segurado primeiro para querer respeito e uma norma simples respeitar para ser respeitado

Gescelio disse...

Eu sou servidor administrativo do INSS e conheço muitos peritos. A grandiosíssima maioria é de excelentes profissionais, com atendimento cortês e presto. Agora m indigna segurado ainda confundir concessão com bom atendimento. Servidor público não cria Leis, é o Congresso quem cria. Então concessão de benefício não depende do servidor ser mais ou menos "bonzinho" - isso seria crime!!
Respeitar é tratar bem, informar corretamente, ser célere no atendimento e no despacho. Concessão ou indeferimento dependem não do caráter do servidor, mas da legislação que ele foi contratado para seguir!!

ps: Faço coro ao aldofranklin - tenho úlcera, vomito sangue, platina no joelho e um monte de outros blábláblás... mas acumulo quase 15 horas extra todo mês... todo mundo tem alguma doença, porque o corpo humano se desgasta com o uso. Mas tem gente que pode trabalhar e quer aposentar pra ficar na flauta, enquanto não vejo ninguém exigir o direito de uma reabilitação profissional, de ser realocado em outra profissão na empresa, etc.
Os brasileiros se merecem!

Renato disse...

Quando o segurado fala algo e blábláblá mais o INSS pode alegar experiência falsa do segurado o perito muda CID do segurado na LMP sem conta que ate o tipo de benefício foi colocado errado no laudo do ultimo perito no qual foi alegado que eu tava em B21 um erro que um perito não podia ter como o segurado sempre tem um entendimento errôneo confundir concessão com bom atendimento meu benefício era B31 e não B21
B/21 - Pensão por morte
B/31 - Auxílio-doença previdenciário
A CID foi mudada de M45 para M46. 1
M45
Espondilite ancilosante

M46. 1
Sacroilete não classificada em outra parte

Então por favor, não falem que segurado confunde as coisas

Gescelio disse...

Renato... me permita discordar mais uma vez: é impossível, e eu repito, impossível, você ter recebido um B21 ao invés do B31. São procedimentos completamente diferentes, com programas completamente diferentes. É mais fácil cair um raio na sua cabeça duas vezes do que isso acontecer.

Agora, se houve mudança de CID, eu não sei. Mas aposto que o perito, com a especialização em uma área de medicina legal, colocou a CID que melhor poderia se enquadrar na sua doença. E você bem sabe que não precisa concordar com nenhuma decisão administrativa - tem PR e 02 Recursos, todos com peritos que vão reavaliar seu caso.

Só não me venha generalizar que o "INSS nega benefícios". Você pode mais. Servidor administrativo faz o que os congressistas e o presidente que você colocou lá mandam... somos pagos pra seguir Lei. Fazemos o melhor que podemos, atendemos com cordialidade, nos desdobramos contra o excesso de serviço e a falta de apoio, mas seguimos Lei! Não se esqueça disso!

Renato disse...

Gescelio desocupa se não fui claro meu benefício e B31 o que relatei que a perita colocou no laudo pericial medico que eu estava em benefício B21 à pessoa do administrativo que Mem atendeu foi bem correto não quis generalizar tenho muito amigo que são do administrativo na APS daqui encanto colocou a CID que melhor poderia se enquadrar na sua doença. não concordo minha doença foi comprovada por exame hlb27+ raio-x ressonância magnética que fecha o diagnostico de espondilite ancilosante que e uma da 14 doenças do manual de pericia do próprio INSS