sexta-feira, 14 de outubro de 2011

MPF/GO quer resposta do INSS por tratamento inadequado ao cidadão

Ao precisar passar pela perícia-médica, segurados estariam sofrendo agressões de servidores da autarquia

O Ministério Público Federal em Goiás (MPF/GO), pela Procuradoria Regional dos Direitos do Cidadão, instaurou inquérito civil público para investigar supostas agressões sofridas por cidadãos que precisam do INSS.

“A concessão dos benefícios de segurado do INSS, tais como: aposentadoria por invalidez, auxílio-doença, mister a comprovação da incapacidade ou invalidez para o trabalho, ou outra situação que dê ensejo a requerimento de aposentadoria, dependem de comprovação de exame médico-pericial realizado gratuitamente por peritos da autarquia. Em suas funções, os servidores do INSS devem agir com zelo, urbanidade e respeito aos cidadãos”, argumenta o procurador da República Ailton Benedito de Souza.

Para subsidiar as investigações do MPF, oficiou-se à Gerência-Executiva do INSS em Goiânia, requisitando, no prazo de dez dias, cópias de sindicância ou processo administrativo-disciplinares instaurados visando apurar agressões de servidores contra segurados.
14/10/2011

Assessoria de Comunicação
Procuradoria da República em Goiás
Ministério Público Federal
62 – 3243 5454 ou 5266
ascom@prgo.mpf.gov.br

7 comentários:

Francisco Cardoso disse...

Esse procurador vai achar uma pasta vazia...

E as agressões REAIS sofridas pelos peritos em Goiás, como a relatada aqui neste blog recentemente dentro do próprio SST, quem vai apurar, nobre Procurador?

Gescelio Soares disse...

Putz... os atravessadores estão acabando com Goiás. Nesses dias o MPU tava reclamando que as implantações judiciais estavam demorando, por reclamações de advogados... quando foram ver, todos os processos estavam implantados há algum tempo, alguns sendo recebidos sem que o segurado soubesse (malditos poderes extra judicia nas procurações)!

aldofranklin disse...

Isso e falta do que fazer, só pra inflar o ego de orgulho...por que nAo vão cobrar dos políticos o cumprimento da lei no que deveria ser investido na saúde ou em infra-estrutura?

aldofranklin disse...

Isso nAo vai dar em nada... O mais interessante de riso isso e que em nenhuma dessas reuniões e similares há participação dos peritos...por que será ?

Heltron Israel disse...

Claro que não vai dar em nada. Aguardem.

O MPF e a maioria das autoridades, para mim, infelizmente, não possuem a qualidade aguçada da desconfiança típica das atividades investigação como policiais e peritos. Observem que embora haja muitas queixas dos cidadãos sobre perícia médica raríssimamente algum perito é chamado para explicar o que realmente houve. Para os promotores e a agentes do direito em geral, vale a história do Hipossuficiente - que tem sempre razão. A defesa do mais fraco. A parcialidade presumida. Um pensamento incompatível com a atividade do Perito Médico que é técnica e científica embora grupos socialistas queiram vestir os Peritos Médicos de defensores sociais para melhorar estabilidade política das partes. Te

Isso é muito triste porque quem assume o risco de defender uma informação sem investigar direito - principalmente sem ouvir as partes e sem provas - fatalmente irá assistir o seu discurso se transformar em pó.
Dormir na cama da desmoralização.
Nem pune, nem prende a ninguém. E o tempo mostra isso.

A ANMP deveria fazer um estudo para saberem o % de queixas no CRM, auditoria do INSS, PF, MPF e Defensoria contra peritos que deram em Sindicancias, Processo ou algo.

Por aqui em mais de 90% dos casos era apenas para aparecer que a "vitima" o fazia. Possuem o mesmo discurso naturalíssimo. Sou um homem de bem, não tem relação com o corte do meu benefício, faço isso em nome da sociedade, faço para que outros não passem pelo problema. Por aqui todos os médicos que foram para o CRM denunciados tiveram suas acusações arquivadas. Na auditoria do INSS também.

Um segurado foi examinado com um Martelo neurológico aqui e acusou um médica de Tortura. Outra deprimida denunciou um médico porque este teria perguntado pela sua libido.

Respondi algumas queixas na minha vida de INSS, umas oito. Numa delas, uma mulher que me xingou aos gritos dentro da APS enquanto eu fiquei calado foi prestar queixa na Polícia e foi chamada a atenção por ter mentido para a delegada que ouviu 4 testemunhas que presenciaram. Outra vez recebi uma queixa da auditoria, depois de terem passado o pente fino em mim, de que eu estaria cobrando um salário mínimo para dar um benefício. Claro, de uma segurada que teve seu Beneficio cessado. Começava na denuncia dizendo que era uma pessoa de bem, mae de familia e historico limpo. Disse que tinha inventado a história quando foi ameaçada de prisáo na PF depois soube. Enfim, é uma trama difícil de se interpretar e, na minha opinião, o MPF nao está preparado para entender o real ganho de interesses que existe na relação pericial e nem do que pessoas que foram contrariadas podem fazer para se vingar.

Francisco Cardoso disse...

Parecem, caro Heltron, leigos com poderes especiais de fazerem o que querem. Parecerm pais que veem o Datena e saem dando carteiradas, sem o mínimo discernimento do que estão fazendo ou não. É triste, mas esse MP que temos ainda tem muito o que aprender.

Rafael Ribeiro disse...

Serve https://youtu.be/GqDh0niq7kc?