sexta-feira, 18 de fevereiro de 2011

ROTINA DO ABSURSO - DEPOIMENTO DE AGREDIDA HÁ 48HORAS

"Estou no INSS desde julho/2010 e, embora soubesse de diversos casos de agressão a peritos, tinha a falsa impressão de que, com alguns cuidados, fosse conseguir passar ilesa. Afinal, sigo a "cartilha": Não entrego a CRER, não dou o resultado na sala, nem discuto ou bato boca com segurado nenhum, quando percebo algum perigo no ar digo para buscar o resultado em 1 semana ou peço SIMA (e não finalizo no dia). Mesmo quando vou indeferir trato o segurado com atenção e respeito. Sempre, sempre.

Ontem, infelizmente, eu me vi a mais INDEFESA e VULNERÁVEL pessoinha da face da terra.

Não, eu não estava esperando. O segurado, quando esteve na minha sala, se portou de forma adequada. Apresentou RG de quando tinha 7 anos de idade, e me falou que não possuía nenhum outro doc de identificação. Eu lhe respondi então que precisaria passar primeiro no guichê administrativo, antes que eu pudesse realizar a perícia (não lhe disse que iria remarcar). Continuei atendendo normalmente, até que, durante o atendimento a outra segurada, vi este homem entrando na minha sala feito um touro raivoso, chutando a mesa, o monitor, jogando o ventilador e tudo o mais que tinha pela frente em cima de mim. Quando os seguranças chegaram, já estava tudo no chão. Até a porta e as divisórias da sala ele destruiu. Ao caírem as paredes da sala, pude ver ao fundo todos os segurados do saguão, de pé, assitindo a tudo, filmando, sorrindo (!) Quando passei escoltada pelos seguranças, ouvia “Olha! É essa aí!” e “Bem feito!”

Não, ele não veio tirar satisfação. Ele não veio “fazer um showzinho”, pois este ele poderia ter feito no saguão quando lhe informaram que a perícia seria remarcada. Ele veio à minha sala PARA ME AGREDIR. Não disse uma só palavra.

O segurado, de 47 anos, é motorista de ônibus, empregado, e está há 5 anos em benefício. Como não tem outro documento recente??? Como não tem CNH? Como não tem CTPS? COMO É QUE ESSES CASOS CHEGAM NAS NOSSAS MÃOS?? Para que nós, peritos, sejamos culpados e EXPOSTOS desse jeito??

Como é que ACEITAMOS trabalhar em salas sem rota de fuga?? Como nos SUJEITAMOS a isso?? Porque ainda não aconteceu conosco??

Ontem à noite, beijei e abracei meus filhos com a horrível sensação de que eu poderia não estar mais ali, ao lado deles. E que se tudo continuar como está, esta profecia auto-anunciada poderá eventualmente se cumprir... "
 
M.B.M.K
Perita do INSS - Região I

3 comentários:

Adrianus disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Adrianus disse...

A grande Verdade é que absolutamente nenhum Perito que atua na linha de frente está imune à violência de requerentes agressivos, mal intencionados, muitos dos quais simuladores vinculados a esquemas de fraudes e quadrilhas de estelionatários... Este é o Bostil, um "país" de bandidos!

Vandeilton disse...

Já repararam que ultimamente a maioria das agredidas são mulheres, mesmo estas sendo a minoria entre os peritos?
Os agressores, além de se ampararem na impunidade, nos status jurídico extra-oficial de "coitadinhos", são também extremamente covardes. Mesmo contando com o elemento surpresa, preferem agredir as peritas mulheres.