sábado, 19 de fevereiro de 2011

ROTINA DO ABSURSO - A VIDA POR UM FÓSFORO - II

E para completar esta semana agitadíssima. Uma terceira MULHER perita do INSS é agredida em 48h. E haja violência. Ontem à tarde a mesma cena se repete poucas semanas depois. Lembram do colega de MG que teve seus olhos cobertos por álcool enquanto uma segurada tentava acender um palito de fósforo? Pois bem, uma Perita Médica da Região I estava periciando quando uma segurada se apresentou como "A PRESIDENTE DILMA" - apesar de dizer que era Vendedora de Loja de Rede e outros detalhes do seu Benefício. Logo após, o contato de identificação, aproveitou um momento de distração enquanto a colega estava anotando dados no SABI e subitamente RETIROU UMA GARRAFA DE ÁGUA MINEIRAL que preechida com um líquido claro e de forte odor de"Removedor". Espalhou em todo o consultório e riscou 2 Palitos de fósforo, mas por sorte ou milagre o líquido não incendiou. E que desespero.

A colega em Pânico, saiu da sala e acionou a segurança. E numa sequencia de incompetencias impressionante, os seguranças, primeiro relutaram em entrar na sala enquanto a segurada continuava riscando fósforos. E mais deixaram a meliante sair do consultório e ir calmamente embora. E pior, queriam limpar a sala de um possível crime! É realmente o Cúmulo da Rotina do Absurdo!

Enfim, com o terrível cheiro do líquido tomando conta da APS, os Peritos revoltados com o episódio interromperam o atendimento. A APS em questão está sem chefe - a chefe havia sido exonerada no mesmo dia sem nenhuma razão plausível - e o SUBSTITUTO, que iniciamente dissera que iria a delegacia com a vítima, ainda resolve DESCUMPRIR O MCC 06/2006 e dizer que NÃO IRIA MAIS COM A PERITA uma vez que tinha que remarcar as AGENDAS.
E como se não bastasse o melhor ainda estaria por vir. Quando o SST foi contactado, O MESMO DISSE QUE "ANTES DE FAZER O B.O. seria preciso a realização de uma junta para saber se a agressora estaria simulando! Agora entendem o porque a linha de frente guarda suspeita de SST?

Resumindo, a Agredida abalada, que precisava de amparo não foi à delegacia no momento, a segurança liberou a segurada agressora, foi priorizado o atendimento mesmo num caso de agressão, um SST (chefia tecnica) atrapalha e confunde o tramite dos procedimentos e ainda houve alteração da cena do suposto crime antes de uma perícia técnica. É muita incompetencia coletiva!

Se aquele líquido incendeia, não só a perita, mas a própria segurada iriam sofrer queimaduras graves em minutos. A APS iria ao chão porque é um galpão separado por divisórias de plástico A perita obviamente está afastada das atividades e os seguranças de fizeram as lambanças - deixaram a segurada ir embora -foram afastados. Mas uma pergunta ainda martela como um tic-tac até que ocorra outra vítima: "Meu, Deus até quando?" Essa é a legítima Rotina do Absurdo.

Um comentário:

Adrianus disse...

"Meu coração amanheceu pegando fogo... Fogo... FOGO!!!"

Por sorte a incendiária foi incompetente em sua tentativa de imitar Nero. Se tivesse logrado êxito em sua empreitada irresponsável e criminosa, provavelmente teríamos hoje mais uma história vergonhosa de violência gratuita e tragédia para adicionar ao rol de eventos absurdos que rotineiramente permeiam a atividade Médico-Pericial previdenciária.
E segue, sem respostas, a famosa pergunta: ATÉ QUANDO?