quarta-feira, 12 de março de 2014

O NOVO MODELO SOBREVIVE A ISSO?

12/3/2014 às 00h30
Busca por atestado falso tem até fila em consultório de médica em BH
Por R$ 50, profissional oferece licença de até 14 dias para os pacientes

Do R7, com Record Minas
Por dia, 20 pessoas aguardam atendimento no consultórioRecord Minas

Uma médica está investigada suspeita de organizar um esquema chamado de "fila do atestado" em Belo Horizonte. Por R$ 50, a profissional oferece licença de até 14 dias aos pacientes.

Em um dia comum, durante a semana, mais de 20 pessoas aguardam a chegada da médica do lado de fora do prédio onde funciona o consultório, no bairro Jaraguá, na região da Pampulha.

A fila se forma ainda na escada. Dentro do consultório apertado, a maior parte dos pacientes se aglomera. Durante a consulta, a conversa com a médica é rápida. Depois de verificar a pressão e supostamente examinar o paciente, na maca, a profissional concede um atestado de 12 dias e orienta:

— Põe aí que você está com estresse.

No atestado, a profissional aponta dois motivos para o afastamento: reação de estresse e lombalgia. Na receita, prescreve dois medicamentos e pede também uma tomografia.

Pelo serviço a mulher cobra R$ 50 e esclarece que o consultório funciona todos os dias da semana. De manhã, de tarde e de noite a movimentação no local é intensa. Antes das festas de fim de ano, cerca de 150 pessoas circulavam pelo local diariamente.

O diretor do CRM (Conselho Regional de Medicina) de Minas Gerais, João Batista Soares, condena a atuação da médica e confirma que uma sindicância vai ser aberta para apurar o caso.

— A conclusão que eu chego é que a gente precisa fazer uma investigação imediata para que se moralize o documento que chama atestado médico.

Procurada pela reportagem, a médica não quis comentar as denúncias.

9 comentários:

Cavalcante disse...

E ainda tem gente que defende o "aumento da franquia do auxílio doença" para 60 dias às custas do empregador.
Que se virem as empresas e os médicos do trabalho para contestarem esses atestados graciosos de até 60 dias de "pura folga com o dinheiro do patrão"!

Antonio Tempesta disse...

Em nenhum momento, nem um único comentário sobre as pessoas, mais de 20 sem vergonhas, que ficam na fila para mentir e simular???
O populacho tem o direito de fazer o que quer? Ninguém vai ser investigado ou punido?
É por isso que nós estamos apanhando ou sendo xingados quando negamos um atestado (e isso nos postos de saúde da vida)...
...Como é fácil ficar punindo médicos, muito fácil hoje em que nem sequer se defende...

Antonio Tempesta disse...

Em nenhum momento, nem um único comentário sobre as pessoas, mais de 20 sem vergonhas, que ficam na fila para mentir e simular???
O populacho tem o direito de fazer o que quer? Ninguém vai ser investigado ou punido?
É por isso que nós estamos apanhando ou sendo xingados quando negamos um atestado (e isso nos postos de saúde da vida)...
...Como é fácil ficar punindo médicos, muito fácil hoje em que nem sequer se defende...

Francisco Cardoso disse...

A franquia nada tem a ver com isso. Pelo contrario, enquanto fica fácil fas 14 dias para qualquer cid, será muito mais comprometedor e arriscado dar 59 dias para a mesma doença. Trabalhador que quer sacanear a empresa o fará de qq jeito. A franquia vai favorecer a empresa e o trabalhador honesto de curto afastamento (65%) dos casos que nao ficarao mais refens da fila do inss.

E enquanto o trabalhador desonesto se sente mais confortavel no anonimato do inss para mandar atestados falsos, na empresa onde trabalha a inibicao será muito maior.

Francisco Cardoso disse...

A franquia nada tem a ver com isso. Pelo contrario, enquanto fica fácil fas 14 dias para qualquer cid, será muito mais comprometedor e arriscado dar 59 dias para a mesma doença. Trabalhador que quer sacanear a empresa o fará de qq jeito. A franquia vai favorecer a empresa e o trabalhador honesto de curto afastamento (65%) dos casos que nao ficarao mais refens da fila do inss.

E enquanto o trabalhador desonesto se sente mais confortavel no anonimato do inss para mandar atestados falsos, na empresa onde trabalha a inibicao será muito maior.

Cavalcante disse...

Se sob a égide do controle público e do poder de polícia estatal jà está dificil de coiibir a farra de atestados graciosos, que o diga no âmbito privado e sem qualquer mecanismo legal eficaz que respalde a contestação desse tipo de fraude...
Joguemos as empresas e seus médicos do trabalho aos leões para amenizar a incopetencia gerencial do INSS, diminuir a sobrecarga de seus peritos e salvar sua agonizante carreira!

Cavalcante disse...

Se sob a égide do controle público e do poder de polícia estatal jà está dificil de coiibir a farra de atestados graciosos, que o diga no âmbito privado e sem qualquer mecanismo legal eficaz que respalde a contestação desse tipo de fraude...
Joguemos as empresas e seus médicos do trabalho aos leões para amenizar a incopetencia gerencial do INSS, diminuir a sobrecarga de seus peritos e salvar sua agonizante carreira!

H disse...

Controle público e poder de polícia estatal? Onde? Previdência do mundo inteiro ficaliza cidadãos em uso dos seus benefícios, com departamento de inteligência, que pega o fraudador com a maõa na massa (trabalho e diversão). Aqui, certa seguradora gigante sempre dá mais uma chance de o fraudador se safar e entrar de novo na fila dos benefícios. Sob a égide do social, ferra com quem realemente paga por anos a fio...[e o uso político do dinheiro alheio???

Cavalcante disse...

Então, diante da sabida inércia, incompetência e uso político do INSS, talvez a solução seria privatizar de vez o auxílio doença e entregar a sua regulação a seguradoras privadas, assim como ocorre em grande parrte da Comunidade Européia.
Seria um contrasenso a idéia de apenas aumentar a franquia do auxílio doença, mantendo-o nas mãos do confesso gestor estatal incompetente e dividindo o ônus com empresas e com médicos do trabalho.