segunda-feira, 9 de dezembro de 2013

EDITORIAL: FRACASSO E VEXAME DO CURSO DE APOSENTADORIA DE DEFICIENTES TORNA INVIÁVEL PERMANÊNCIA DO DR. SÉRGIO CARNEIRO NA DIRSAT

Um horror. Foi assim que vários colegas em contato comigo definiram o que foi, semana passada, o curso de capacitação de multiplicadores do modelo de aposentadoria especial para deficientes, LC 142/13.

O curso se caracterizou pelo amadorismo, ilegalidade, sectarismo e omissão. Amadorismo pois não foi bem planejado, não havia nenhum tipo de fluxo ou resposta para as perguntas óbvias feitas, o material instrucional era fraco e o instrumento de avaliação incompleto e deficiente por si só, com direito a momentos de "Zorra Total" como na aula do antropólogo, aquele que disse que "o trabalho faz parte do eu".

Ilegalidade pois mudou a perícia médica e funcional para perícia médica e "social", colocou no fluxo de análise as colegas do serviço social, que pela LC 142/13 não estão autorizadas a trabalhar neste benefício e ilegal também pois o instrumento deturpa a LC 142/13 e viola do Código de Ética Médica em vários artigos.

Sectarismo pois aproveitaram uma janela de oportunidade para tentar empurrar à força sua visão sectária e recalcada anti-médica, que nega a importância da biologia e da ciência médica em prol de uma salada de sofismas e conceitos vazios ao qual chamam de "modelo social" que ainda estaria "em construção", em slides e textos recheados de erros crassos de português. Houve uso abusivo de discurso "coletivista"** e total ausência de ciência.

Omissão pois os diretores máximos da DIRSAT sumiram do curso e do debate, deixando os apresentadores vendidos pois eles visivelmente não estavam preparados para as perguntas e até mesmo para ensinar o que já receberam pronto do Diretor. Como que em plena Capital Federal o Diretor da DIRSAT desaparece em momento tão importante?

Quando um grande grupo de médicos e assistentes sociais, todos escolhidos a dedo pelos gerentes e superintendentes, a maioria com cargos de confiança, se insurge contra uma capacitação do Instituto ao ponto de escreverem e assinarem carta de contestação e repúdio ao modelo apresentado (óbvio que não usaram esses termos mas foi isso o que ocorreu) e entregam essa carta ao representante da DIRSAT (uma vez que o Diretor estava ausente), é porque algo de muito grave e muito sério está ocorrendo.

O atual Diretor perdeu completamente sua capacidade de liderar, motivar, conduzir e coordenar os peritos médicos. A vaia que recebeu hoje em BH durante reunião técnica, ao proferir mais uma de suas palestras preconceituosas e deturpadas sobre a perícia, mostra que acabou a paciência dos peritos com Sérgio Carneiro.

É muito simples: Enquanto ele estiver lá, nada funcionará. Sérgio Carneiro é, hoje em dia, uma ruptura da linha de comando do Presidente do INSS para com sua base de médicos. Já não é de hoje que estamos alertando sobre sua pífia condução e comportamento errático na direção. Após esse fracasso, que fatalmente irá adiar para o infinito a aplicação do novo benefício para deficientes, com possível impacto na imagem do INSS e do Governo, é hora de novos ares, de alguém de fato compromissado com o INSS, que não abandone os peritos nem troque seu dever por uma agenda ideológica pessoal.

_____________
**Discurso coletivista = termo estereotipado que tenta definir o modo como os especialistas em "saúde coletiva" se comunicam entre si e entre o coletivado. Discurso meramente retórico, recheado de frases prontas, estéreis de conteúdo, gerundismo, dimensões, saber fazendo e fazendo saber, que reduzem a autoridade intelectual e individual a um bem maior coletivo, eternamente em construção, nivelador de gostos e mentes.

5 comentários:

Heltron Xavier disse...

Leitores,

http://youtu.be/ThBAHmHWTDo

A partir de 1'25" gerentes proibidos de falar sobre a aposentadoria especial por deficiência porque ainda estaria centralizado e sendo discutido em BSB. Na verdade Sérgio Carneiro quis empurrar goela abaixo um modelo de ONG desastroso e não tem plano B

PauloVieira disse...

Prezado colega Diretor da Dirsat.
Discretamente, dê um tempo e caia fora.
Venha, como Perito, para o tenebroso "front" pericial do INSS avaliar os segurados e aprender.
No futuro, bem no futuro, o nobre colega, moldado pelo calor do dia-a-dia pericial e melhor preparado, poderá voltar a ser Diretor.
Entregue o cargo, homem de Deus, respeite os colegas que estão há anos, muitos há décadas, fazendo perícias e segurando o rojão nas APSs País afora.

Fernando disse...

Bom, cada um pode defender a ideia que acredita! Por mais absurda que seja... Nisso não vejo problemas.
MAs falar em uma reunião técnica que os peritos são TREINADOS para INDEFERIR benefícios em caso de DÚVIDA, é no mínimo INSSano.
NEm Deus salva essa autarquia.

aldofranklin disse...

Ele fez sozinho?

É a turma que assessora o mesmo. Que concordaram com o que estava sendo feito, elaborado?
Culpar somente uma pessoa é de idiotice!
Ah, lembrei, aqui é Brasil, é hipocrisia pra todo lado!

Quem participou da elaboração dessa coisa? Tiveram vários olhos da Autarquia, vendo, aprovando...

Uma histórinha:
Numa equipe de bandidos, trocando o chefe, vai mudar o objetivo?

Isso é geral no País, não é a toa que o herói nacional é Macunaíma!

Cavalcante disse...

Sugiro aos indignados colegas que façam uma representação junto ao CFM, com cópia à Presidência do INSS e ao Ministério da Previdência, indicando que o Dr. Sérgio Carneiro está descumprindo a Resolução CFM 2007/13 e ocupando direção Técnica de Serviço Especializado em Perícia Médica Previdenciária sem ter o correspondente Título de Especialista exigido na citada norma ético profissional.