terça-feira, 7 de janeiro de 2014

EDITORIAL: MAIS MÉDICOS - A FARSA COMEÇA A RUIR

Desde o início do ano começaram a pipocar na internet vídeos de usuários do SUS (coitados) manifestando desconfiança, incredulidade e revolta com o péssimo atendimento prestado pelos médicos do Padilha e da Dilma (Mais Médicos).

As queixas vão desde a óbvia incompreensão do que é dito e escrito a até mesmo desconfiança de tratamentos feitos com base apenas em sintomas relatados. Um dos campeões das "cubanadas" do blog é justamente um atestado onde o intercambista** , sem sequer saber qual a hipótese diagnóstica, dispara uma série de remédios na prescrição.

A população um pouco mais esclarecida já começa a perceber que esse papo de amor, apalpar e olhar nos olhos é tudo mentira. Se medicina fosse fazer "bilu-bilu" na frente do paciente não teríamos problemas tão graves. A pífia tentativa de transformar o ato médico em algo banal, infantilizado e mecanizado, justamente para justificar a vinda de leigos "com crachá de médico" de outros países, já está dando sinais precoces de desgaste perante a população.

A empolgação inicial com a mídia marqueteira, a imprensa chapa-branca e blogs progressistas pelegos já está passando e em breve a população começará a ficar intolerante com as receitas de "amoxicilina e dipirona" que estão brotando da caneta dos intercambistas** do Padilha.

A melhor postura da classe médica agora, os médicos de verdade que estudaram no Brasil ou revalidaram seu diploma, é a de manter a denúncia sistemática dos erros bizarros dos intercambistas** e acolher a população vítima dos erros crassos desses agentes de propaganda governista, orientando o que estava errado e dando a conduta certa. Devemos também incentivar esses escravos cubanos a soltarem suas algemas/tornozeleiras ideológicas e evadirem desse projeto explorador.

Um dos "mantras" dos defensores da substituição de médicos por leigos, ou intercambistas**, para atendimento à população é a de que faltam médicos e que "é melhor meio que nada". Pois nada mais falso: Primeiro que não faltam médicos, eles só estão ausentes do SUS por absoluta falta de incentivo e planejamento estatal. Ninguém é obrigado a trabalhar de graça. Segundo porque medicina não é simples, tudo é complexo pois lidamos com seres humanos e não peças automotivas. Terceiro porque pior que zero é um "meio" fazendo bobagem, levando pacientes ao atraso diagnóstico e à morte. Por fim, não se pode mecanizar a medicina pois o mesmo conjunto de sinais e sintomas podem significar diagnósticos bem diversos, de cefaléia tensional à meningite bacteriana, por exemplo. É para isso que existe a figura do "diagnóstico". 

A arte do diagnóstico é a parte mais difícil da medicina, sem dúvida. Muitos hoje em dia preferem terceirizar essa etapa aos exames "complementares" porém em muitos casos são insuficientes, pois o diagnóstico perfeito só é obtido através de um médico preparado e experimentado. E diagnóstico é o que mais se precisa na medicina preventiva ou primária. Portanto, a atenção básica à saúde não é simples, é deveras complexa, mais que muita "especialidade".

Ao negar médicos preparados e colocar falsos médicos, não reconhecidos, ou médicos sem a revalidação de diploma, para atender a população carente, o governo atua com enorme preconceito, descaso e absurda ignorância em relação a essa classe populacional dependente do SUS. A pessoa com câncer vai continuar sendo apalpada e acolhida e recebendo dipirona do Mais Médicos até desfalecer, pois a ela não estará sendo dado a chance de diagnóstico. No primeiro escândalo do Mais Médicos, o do argentino radiologista que virou "clínico" no Sul, o intercambista** ia condenar o paciente à morte. Se não fosse pela dose excessiva de azitromicina, seria pela falta do diagnóstico de leucose, que foi corretamente dado dias depois em um hospital de verdade com médicos de verdade, após o próprio paciente desconfiar da "conduta".

Na medicina, "mais" pode significar "menos". É o caso do "Mais Médicos", um "mais " que esconde um monte de "menos". E a população já está sentindo a enganação. Mas muitas mortes ainda virão antes que essa vergonha seja enterrada. 
_______________________________________________
** Este blog se recusa a chamar os mais médicos de intercambistas, pois não são médicos, já que não provaram sua formação e nem revalidaram seus diplomas. Também não são intercambistas, pois isso é uma tentativa clara do governo em fraudar leis trabalhistas, pois estes vieram aqui para tocar ficha e não aprender. Intercâmbio pressupõe grade curricular, vínculo direto com instituição acadêmica, previsão de duração do curso e grade docente pré-aprovada. Nada disso existe no Mais Médicos, mas usamos o termo pois é assim que a lei os define.

Para saber mais:

4 comentários:

aldofranklin disse...

Não é bem assim não!!

Quantos Intercambistas estão atuando?
Multiplique por 22 dias, e os 16 pacientes/dia que atendem!

O número de erros expostos na mídia e ínfimo, em termos de amostragem!

O tempo de atendimento é prolongado e diferenciado do medico brasileiro, pois os Cubanos são agentes de Marketing, ganhando voto, um a um, pro PT!

Aprovação é monstruosa pois a maioria é dipirona, penicilina, cafuné, olho no olho! Pouco importa casos complexos, esses manda pros medicos brasileiros pra resolver!

A eleição ta decidida: Minha casa Minha Vida, Mais Medicos, Bolsa Família, Brasil Carinhoso e Móveis! Ate Tablet ta no Listão!

Então, não se iluda! O Brasil está lascado, fato! Mas a massa que vota está feliz com a quantidade enorme de benefícios do Governo!

Vc é dos 12% que paga IR pra garantir a mamata dos que não trabalham é que mantém o PT no poder em troca das benefices!

So um aperitivo pra vc: a Bolha imobiliaria está ai rondando o País! Dilma elevou sabiamente o teto para R$ 750 mil para "contemplar" a classe media e ganhar um fôlego! Pesquise sobre a quantidade de pessoas que não pagam financiamento no Minha Casa Minha vida...A CEF esconde a verdade, assim como a Petrobras, que já está vendendo ativos, por fim camarada, em 2015 vc vai ver o que é bagaceira!

JEOBLOG disse...

Essa publicação é e soa claramente tendenciosa, oposicionista e manipuladora, está igualzinho a comentários difamatórios que surgem em campanhas políticas eleitorais, quanto ao carinho na atenção ele faz falta sim na maioria dos médicos brasileiros, com algumas raras exeções!

Francisco Cardoso disse...

Boa sorte em ser apalpado pelos cubanos, JEOBLOG! Ah, eles fazem bilu-bilu também.

Airton Jr. disse...

"Quando eu era criança, mamãe dizia:
bilu-bilu-bilu, bilu-tetéia;
Agora eu estou moço, de barbadinho, não encontro mais ninguém pra me fazer um biluzinho"...

Errado... tem os médicos do "mais médicos"!!!

E tomem amoxicilina, dipirona, diclofenaco (cuidado para não fazer EV como foi prescrito abaixo) e apalpadelas nos brasileiros...

Qualquer coisa, encaminha para um médico BRASILEIRO formado...