quinta-feira, 9 de janeiro de 2014

ESCÂNDALO DAS CUBANADAS: MAIS MÉDICO CUBANO NEGA ATENDIMENTO A PACIENTE.

E sabe o que ocorrerá? Nada, pois o Governo impede por força de Lei que o CRM faça alguma coisa.

FONTE: JORNAL DA PARAÍBA
'Mais Médicos': cubano não atende pacientes

09/01/2014 AS 06:00
Segundo moradores, médico teria se negado a prestar assistência aos pacientes porque estaria com o pagamento atrasado. 

A população do Colinas do Sul, no bairro do Valentina de Figueiredo, em João Pessoa, que procurou atendimento na manhã de ontem, na Unidade de Saúde da Família (USF) denominada Ipiranga, deparou-se com a negativa de um médico cubano em prestar atendimento. A justificativa do profissional, contratado diretamente pelo Ministério da Saúde (MS) com remuneração mensal de R$ 10 mil, segundo os pacientes, foi o atraso no repasse do pagamento. Cento e vinte e seis médicos atuam na Paraíba Mais Médicos.

De acordo com a dona de casa Osanilda Santos, de 53 anos, que esteve na USF no início da manhã para apresentar exames e buscar uma receita para a aquisição de medicamento para pressão arterial, o atendimento foi negado pelo médico cubano Reinaldo Dias Martinez. “Os moradores dessa comunidade sofrem muitos prejuízos quanto a saúde porque o atendimento prestado na USF Ipiranga é muito ruim. É preciso vir várias vezes aqui para ser atendido e no dia que finalmente iria realizar a consulta, o médico simplesmente foi embora, negou-se a atender, alegando que o governo não pagou o salário dele. Para piorar a situação, o outro médico, brasileiro também se negou a nos atender e disse que não tinha no mundo quem o obrigasse”, afirmou.

Outra testemunha da cena, que ocorreu na entrada na unidade de saúde foi Marcos Antônio da Silva, de 54 anos. Diabético, ele buscava pela terceira vez, desde novembro, apresentar um hemograma ao médico. “Eu nunca recebi atendimento nenhum aqui. Jamais um médico me atendeu. Sempre que busco atendimento, sou remarcado para o mês seguinte. O mais absurdo é um médico ir embora e deixar os pacientes aqui e o que ficou simplesmente se negar a atender, e afirmar na presença de todos os cidadão, que pagam seus impostos e portanto têm direito a um atendimento de qualidade, que não iria nos atender”, revelou Marcos, citando como responsável pelo comentário, o médico Oscar Lustosa, que trabalha no local há mais de 5 anos e é vinculado a Secretaria Municipal de Saúde (SMS).

No momento em que a reportagem chegou a unidade de saúde, o médico Oscar Lustosa estava em atendimento e não quis dar entrevista.

A diretora do Distrito Sanitário III, responsável pela área, Kaligia Deininger, conversou com outra médica que garantiu atender Marcos Antônio ainda na manhã de ontem. Segundo ela, cada médico é responsável por atender a população de uma determinada área, pré-definida e que por isso, os pacientes que seriam de responsabilidade do médico cubano não receberam atendimento por parte de Oscar Lustosa ou de outros profissionais.

“Essa USF possui quatro equipes e de fato existe a resistência por parte deles de atender pacientes que são de responsabilidade de outro profissional. No entanto, costumamos conversar com eles e garantir o atendimento, até porque o Sistema Único de Saúde (SUS) é universal e garantido a todos, sejam brasileiros ou não. Vou conversar com o médico para melhorarmos o acolhimento dos pacientes e reagendar os pacientes para o dia mais próximo de modo que sejam minimizados os prejuízos”, afirmou Kaligia Deininger.

CONSELHO NÃO PODE AGIR

O presidente do Conselho Regional de Medicina na Paraíba, (CRM-PB), João Medeiros, esclareceu que como os profissionais contratados pelo Programa Mais Médicos não são registrados junto ao órgão, não há gerência com relação a eles, ou seja, nenhuma medida pode ser adotada pelo Conselho como ocorre com os demais profissionais.

“Se isso acontecesse com um médico registrado nós teríamos como instaurar uma sindicância, adverti-lo e mesmo o suspender de suas atividades. No entanto, orientamos que os pacientes apresentem denúncia junto ao CRM para que possamos entrar com uma ação junto ao Ministério Público Federal (MPF) para que alguma sanção seja adotada”, disse João Medeiros.

Ainda segundo o presidente do CRM, nenhum médico pode simplesmente abandonar o trabalho, ainda que sua remuneração esteja atrasada. Nos casos em que isso ocorre, o profissional deve informar ao Conselho e a diretoria da unidade é estipular um prazo para que o pagamento seja feito, que no geral é de 30 dias. “Abandonar o pacientes a própria sorte não é admitido de forma alguma”, disse.

15 comentários:

Heltron Xavier disse...

Assim a Petralhada pira....

Airton Jr. disse...

kkkkkk, o governo já começou a dar calote nos "intercambistas" também??

Isso os médicos brasileiros conhecem de carteirinha!!!

O máximo que vai ocorrer é: ou pagarem ou mandarem o "colega" de volta para a ilha.

Heltron Xavier disse...

http://m.jornaldaparaiba.com.br/m/noticia/119367_mais-medicos--cubano-nao-atende-pacientes/

Fabiano Neto disse...

O Ministério da Saúde tirou, com o aval do CFM, da autarquia a responsabilidade por estes "intercambistas".

No entanto, em entrevista à Revista Exame, publicada dia 07/01/13, o Ministério da Saúde disse o seguinte:

"A legislação prevista para os médicos estrangeiros do programa Mais Médicos é a mesma aplicada aos demais médicos que trabalham no Brasil. Eles estão sujeitos à fiscalização do Conselho Regional de Medicina (CRM), que têm a competência de fiscalizar e de apurar eventuais erros, assim como são apuradas as denúncias contra qualquer profissional de medicina que atue no país."

http://exame.abril.com.br/brasil/noticias/site-denuncia-supostos-erros-de-estrangeiros-do-mais-medicos?page=1

Leo Farias disse...

Escrevi sobre essa hipótese em outubro/2013

http://www.leonardofarias.jur.adv.br/o-registro-profissional-do-medico-realizado-pelo-ministerio-da-saude--medicos-que-nao-exercem-medicina

aldofranklin disse...

Se orientem antes de acusar o Trabalhador Cubano! Veja embaixo, ele NÃO recebeu o repasse de Cuba! Já é pouquinho, menos de 15% do que os irmãos Castro já receberam, será que nem um lanche no Mc Donalds o Ser humano cubano pode? Chupar uma Casquinha, pode?
Ele também é filho de Deus, né não Padilha?

ZULMINHA disse...

O segundo médico, o tal de Oscar, não tem ética nenhuma. Por que não recordaram com ele o Juramento de Hipócrates? Será que ele fez\ esse juramento só de boca pra fora? Se foi, então não deveria estar atuando na profissão. A maioria dos médicos brasileiros nos envergonham. Ele deveria "dar um tapa de luvas" no cubano e atender aos pacientes. Esses dois parecem não serem filhos de Deus.

Heltron Xavier disse...

Que violência ..... A Sra podia ser agente penitenciária lá no MA, tão precisando de gente assim por lá

Francisco Cardoso disse...

Zulminha, boa sorte com os cubanos, viu? Ah, cancela seu plano de saúde pq só tem médico brasileiro neles.

Marcelo Rasche disse...

Não invoque um juramento que não é seu.

A Sra. Não tem autoridade moral para isso.

aldofranklin disse...

Zulminha minha querida, juramento de Hipocrates não é Voto de Pobreza!
Nem relógio trabalha de graça viu?!
E quando chega o Boleto na casa do medico, a conta de luz, de telefone, quando vai no posto de gasolina, no supermercado, ninguém, absolutamente ninguém dá isenção de pagamento pra essa espécie de trabalhador chamada MEDICO!
Então querida, vamos parar de hipocrisia, de mi mi mi, de choramigar com chapéu alheio né?! Todo trabalhador precisa receber pra pagar suas contas, viver com dignidade né verdade?!
Vc por exemplo, trabalha em que? É grátis seu trabalho? Se liga né!

Francisco Cardoso disse...

Esses imbecis petistas acham que o Juramento de Hipócrates é o mesmo de São Francisco de Assis, são uns lesados mesmo.

Elvis Lorenzin disse...

Os CRMs devem fiscalizar médicos. Os profissionais cubanos não são reconhecidos como médicos, pelos CRMs, e, portanto, não cabe a fiscalização por esse órgão. O Padilha faz um comentário cínico ao dizer que a responsabilidade é dos CRMs. Se só por ter o apelido de "médico" alguém devesse ser fiscalizado pelos CRMs, quem trabalha com medicina chinesa, medicina esotérica, florais de Bach, deveriam sê-lo também.

Climerio Avelino disse...

Nesta USF não exite médico cubano. São três médicos brasileiros e um médico português. Somente este faz parte do programa mais médico.

Pedro disse...

Uhn... do código de ética médica, capítulo II, direitos dos médicos:
"V - Suspender suas atividades, individualmente ou coletivamente, quando a instituição pública ou privada para a qual trabalhe não oferecer condições adequadas para o exercício profissional ou não o remunerar digna e justamente, ressalvadas as situações de urgência e emergência, devendo comunicar imediatamente sua decisão ao Conselho Regional de Medicina."
Assim, a única infração do colega cubano, a partir das informações apresentadas, com base no código de ética aprovado pelo CFM seria não ter informado o CRM, afinal, ele atendia num PSF (e não em PS onde seriam atendidas emergências ou urgências).