domingo, 10 de março de 2013

SIASS - DESCULPA PARA APERTAR O SERVIDOR REVESTIDA COM EMBALAGEM DE SAÚDE ?

Opinião de leitor do BLOG após ler o Manual de Operações do SIASS para o Servidor, disponível aqui.

"Esta monografia deles tem o foco de tratar o servidor como possível fraudador, obrigando-o ao constrangimento de ter que passar sob o crivo de uma enorme equipe multidisciplinar, cujo objetivo principal é o de dissuadí-lo de afastar-se do trabalho, já que terá que dar muitas explicações para muita gente. O início do trabalho já justifica a abordagem de que foi observado um sem número de aposentadorias precoces no serviço público.Ora, e no RGPS não estão nem aí, o tratamento é anti-isonômico?
Para não ficar feio a perseguição usam um discurso de proteger a saúde do trabalhador, mas a finalidade única é a de não deixa-lo afastar-se do trabalho, custe o que custar.
Ora, um servidor público não precisa ser tutelado por uma equipe, que o encaminhará para o tratamento mais adequado no SUS.O objetivo disto é controlar os passos do servidor quando ele ficar doente para evitar que, repito, se afaste do trabalho, sem a monitoração com um GPS de tudo o que está fazendo na rede do SUS, inclusive agilizando atendimento se for o caso, PARA QUE VOLTE MAIS RÁPIDO AO TRABALHO.
Ora, por quê não fazem isto no RGPS, porque não tutelam quem realmente precisa de tutela, que são os mais pobres e desinformados, os sem planos de saúde que ficam onerando o INSS porque o SUS não funciona e ninguém tá nem aí.Vamos fazer o SUS funcionar e tutelar a todos com rigor também, temos que ter acesso ao prontuário eletrônico do segurado enquanto paciente do SUS nos computadores do INSS em todas as perícias."
Nota do BLOG: Concordo plenamente.

Um comentário:

Herbert disse...

O servidor público é tratado como um fraldador convicto e não como um potencial fraudador. Se aplicados os mesmos critérios no RGPS, as entidades sindicais e partidárias logo reclamam de discriminação e desconfiança, alegando tratamento desumano.