domingo, 10 de março de 2013

O SÉRGIO QUE VEM PARA A DIRSAT É O SÉRGIO DO SIASS "NA TEORIA" OU O SÉRGIO DO SIASS "NA PRÁTICA"?

Este blog tem a curiosidade em saber qual Sérgio Carneiro se apresentará à perícia médica a partir da próxima semana, quando ele retornará ao INSS após 6 longos anos de afastamento para servir ao MPOG. Será o Sérgio do SIASS que lemos no papel? Ou o do SIASS que vemos na prática?

Na prática, o SIASS é assim: Perita Médica da região SR-I adoece de patologia do grupo "C" e se afasta rapidamente para já fazer a cirurgia. Na véspera da cirurgia ela faz a perícia no SIASS e recebe apenas 60 dias de afastamento. Chocada, ouve da "perícia em saúde" que "tem médico que quer trabalhar mesmo em quimioterapia". Colegas revoltados ameaçam processar o SIASS por assédio moral mas a colega adoecida diz que não quer fazer nada, vai apenas pedir as prorrogações e comparecer quando solicitada.


Na prática, o SIASS é assim: Perita Médica, de outra SR, adoece também de patologia do grupo "C" e se afasta rapidamente para operar e se tratar. Na perícia inicial, recebe inacreditáveis 90 dias com a recomendação de que "se piorar" é para pedir prorrogação. Durante a QT ela é obrigada a comparecer novamente e descobre que um dos peritos do SIASS é o mesmo que atua no Estado e que ele estava em conflito de horário. Colega se assusta e passa a ser grosseiro com a colega adoentada. No terceiro retorno a "perícia em saúde" tenta mudar na marra o CID para evitar o enquadramento em 2 anos, mas recuam após ameaças de processos cíveis, éticos e penais. Ou seja, tudo que uma perícia em saúde pode fazer de bom para o servidor.

Na prática, o SIASS é assim: Chefe de um dos núcleos pioneiros do SIASS no Brasil, que lá se encastelou após perder o poder no SST que comandava com mãos de ferro, adota discurso da multidisciplinaridade e da saúde coletiva. Quando era SST, uma perita sob sua chefia foi agredida no rosto de forma violenta por segurado do INSS. Ao falar com a SST que não iria trabalhar no dia seguinte pois o olho estava inchado, ouviu da chefe que era para botar óculos escuros e fazer perícias. A perita-mestra do SIASS, ex-SST, está candidata a uma das chapas da ANMP atualmente, onde pelo visto conseguirá um convênio com a Ray Ban para fornecer óculos escuros de graça para os peritos.

Na prática, o SIASS é assim: Até hoje não foi feito um único periódico ou demissional nos servidores. Perito da SR-I um dia subitamente saiu da APS, foi no SST, pediu demissão, não foi avaliado por nenhum médico, saiu da gerência, foi a um grande viaduto da cidade onde residia e se jogou, cometendo suicídio. Um mero exame demissional poderia ter eventualmente detectado alguma coisa. Mas não existe avaliação regular de saúde do trabalhador público.

Na teoria, o SIASS é lindo e é o futuro da sáude do trabalhador. Na prática, é um bando de teoria furada ocupando papel, não funciona e só serve para controle de quadros e afastamentos. Tanto que a justificativa inicial do SIASS em seu manual não é a ausência do governo nesse campo e sim os gastos com afastamentos e aposentadorias.

Então, qual será o Sérgio que encontraremos? O da teoria ou o da prática?

5 comentários:

aldofranklin disse...

Fanfarrão!!!
Nao faz nada! Cade os Periódicos dos Servidores? So enganando, so enrolando, so conversa mole!
"Eu quero Tchun eu quero tchá"...

ccesar disse...

DEVEREMOS ENCAMINHAR AQUELES SEGURADOS, DO RGPS, COM RESOLUTIVIDADE ENROLADA PELO SUS, E QUE NÃO CONSEGUIMOS DCB, AO SIASS, COM A RECOMENDAÇÃO DE QUE PROVIDENCIE A MESMA.

Heltron Xavier disse...

Penso que os medicos também parecem ser mais duros com os seus no quesito incapacidade. É impressionante o requinte de maldade ou mesmo crueldade com que os peritos são periciados por peritos. Já vi de tudo. Vi perito de 53 anos subir no SST chorando por ser ameaçado e agredido por segurado para ser periciado por patologia mental e ser chamado de "frouxo, nervoso e escandaloso" na minha frente. Vi muitos que fazem perícias no colegas humilharem os seus. Um colega aqui amputado de perna foi humilhado por outro que falou abertamente que não tinha qualquer problema e deu parecer indeferido para "portador de deficiência" e horário especial. Absolutamente tudo para prejudicar ao ponto de nos peritos nos sentirmos constrangidos e envergonhados de sermos avaliados por problemas graves na maioria das vezes. Enquanto um trabalhador do RGPS acha 4 meses muito pouco para patologias de humor e ansiedade, vi vários casos em um servidor ficar mais 30 dias ser taxado como fraudador e fanfarrão.

Esse SIASS até agora é um barco de outro e granito porém furado e afundando. Tenho 8 anos de INSS e nunca realizei nenhum periódico e fiquei doente varias vezes.

Chega Teoria Dr Carneiro

Paulo Taveira disse...

Heltron os colegas ao serem periciados pelo colega subordinado ao mesmo chefe que ele, seja o chefe gerente ou chefede sst, tem que lembrar aos colegas além da questão legal de assédio e etc o código de ética médica!O CEM proíbe isto com clareza!

Herbert disse...

Que nada, Helron. É cretinice mesmo. Faça o que eu falo mas não faça o que eu faço. Vários pesos e várias medicadas. Mas enquanto a classe ficar de acordinhos, vai tomar um grande ferro mesmo.