quarta-feira, 6 de fevereiro de 2013

RESUMO DA CONVERSA DE ONTEM

20h - Conversas em andamento mas sem prazos definidos. O projeto não foi enterrado mas está em discussões novamente no INSS, no MPOG e MPS. O sindicato empreenderá todos os esforços para esse projeto sair o mais rápido possível. Após a pressão de ontem, reapresentamos o projeto de 20 e 40h para rediscussão por entendermos que contempla todos os anseios dos médicos, do INSS e dos colegas que querem se dedicar à gestão da casa. Assim que tivermos novidades informaremos.

Credenciamento - Somos visceralmente contra isso e representaremos judicialmente contra o INSS se isso for feito. Existe uma polêmica decisão judicial cheia de falhas e pedimos ao INSS para também tentar embargar e suspender essa decisão. Aguardamos a posição da PFE já que praz vence dia 08/02;

Carreira, Gestão e Fluxos periciais - Tudo será rediscutido em parceria com o Sindicato, para melhorarmos o desmepenho, o respeito e o direito em nosso ambiente de trabalho.

MCC 02 - Será revisto para deixar bem claro que não cabe ao perito entregar CRER.

PR - Somos contra o PR, muito mais ainda PR feito pelo mesmo médico. INSS vai estudar proposta de extinguir o PR. Recurso é na via recursal, não na porta da APS.

Minha impressão: Apesar de achar improvável HOJE que as 20h saiam rápido, nunca se sabe. Ficaremos alertas e vigilantes e cobrando isso do governo. Teremos novos encontros em breve e caso haja algum desdobramento desses eventos serão devidamente informados.

3 comentários:

Eduardo Henrique Almeida disse...

Já que o Francisco publicou suas impressões, permito-me fazes as minhas, mesmo não tendo ido a Brasília.
20 HORAS: Sonho de uma noite de verão. O Governo só valoriza carreiras fiscais e jurídicas. PT
CREDENCIAMENTO: O governo diz que não substituirá os peritos por credenciados. Exatamente. Há grande pressão interna pró-credenciamento. Muitas partem daqueles que viram a vaca no brejo com lama até a sineta. São os que o Chico chama "operadores do caos"; quanto mais caos melhor.
FIM do PR: Medida saneadora da redundância recursal; correção das aberrações históricas que traria racionalidade e colocaria o INSS nos padrões de todo o serviço público, por isso NÃO acontecerá.

Dr. Luiz Sette disse...

Parabéns pelo trabalho. Infelizmente, esta bi-representação é um fator de grave enfraquecimento da categoria como um todo, independente de quem apóia quem, quem simpatiza com quem. Oxalá isto mude e que sejamos representados por um sindicato forte e coeso e associados à outra entidade para fins científicos, culturais, prestação de serviços, convênios de interesse da categoria e outras atividades associativas de interesse geral.

aldofranklin disse...

Que bi representação?????
É so uma representação!!!! Sindicato!
A outra é so pra foto e anda de mãos dadas com o Governo! Ate parece "um casal de namorados"...