domingo, 27 de janeiro de 2013

EDITORIAL PERITO.MED: LIMINAR DO DESEMBARGADOR GAÚCHO MOSTRA PRECONCEITO CONTRA MÉDICOS E DESCONHECIMENTO DA HISTÓRIA PERICIAL RECENTE

A decisão do desembargador gaúcho decidindo pela terceirização de uma carreira pública é absurda, lamentável e demonstra preconceito contra o médico perito do INSS, desconhecimento da dinâmica pericial  e da história recente e profundo desprezo pela qualidade do ato médico prestado ao cidadão.

Imaginem os senhores um STF, cujos Ministros são nomeados pelo executivo, soltando normas e súmulas vinculantes determinando a feitura de 24 processos judiciais por dia por Juiz. Imaginem os juízes protestando e reivindicando o seu direito de trabalhar com qualidade e respeito em face da importância única de seu trabalho. Imaginem os chefes dos Juízes retaliando-os com medidas punitivas e imaginem agora esses juízes se reunindo para defender sua profissão e seu trabalho e criando um movimento pela excelência judiciária e depois imaginem o governo retaliando com congelamento salarial e assédio institucional. Agora imaginem os juízes se exonerando dos cargos e diante da fila gigantesca de processos, decide-se terceirizar a atividade judicial e o governo passa a contratar advogados para decidir processos em seus escritórios de advocacia como se juízes fossem, sem nenhum tipo de fiscalização?

Parece absurdo não? Troque a palavra Juiz pela palavra perito médico e é exatamente isso o que está acontecendo neste momento.

O preconceito do desembargador com os médicos ao taxar a categoria de protecionista e corporativista como se de propósito não quiséssemos trabalhar feito escravos para suprir as faltas governamentais não é exclusivo dele e parte dessa culpa é da nossa categoria médica que se omitiu durante décadas e aceitou fazer um trabalho sujo e porco em troca de regalias fúteis do governo.

Agora pagamos o preço do erro dos colegas que nos antecederam e o governo cinicamente aproveitará mais essa chance para esfolar e demolir o movimento médico sabendo que estará criando um novo monstro. Só que dessa vez os peritos não estarão lá para serem assassinados como em 2006 e 2007.

Dessa vez vai explodir de vez. O governo já sabe o que resultou a terceirização da década passada. Talvez o desembargador não saiba, mas em breve irá saber pelo volume cada vez maior de processos que repousará em sua mesa.

6 comentários:

Fernando disse...

Do ponto de vista jurídico e moral, foi acertada a decisão do TRF.
Apenas os insultos não podemos aceitar. Agora, deixar a população sofrer com a incompetência do INSS, da ANMP e da morosidade do legislativo, é fazer os justos pagarem pelos pecadores! É um absurdo o que fazem com os segurados que esperam dois meses para ter o que comer!

Heltron Xavier disse...

GG deve estar preparando uma manifestação nacional em protesto....

Brincadeirinha, deve estar escolhendo a banda e as bebidas pra festinha privada.

Vandeilton disse...

Este desembargador nunca foi juiz.
É procurador de carreira, mestre em direito e professor universitário, sem qualquer experiência em magistratura e na postulação em juízo.
.
Iniciou sua carreira como procurador concursado da prefeitura de Porto Alegre, no mandato de Tarso Genro, de quem se tornou muito próximo. A partir daí, largou a procuradoria e passou a exercer consecutivas funções/cargos de confiança no executivo, tornando-se o famoso "advogado de carteirinha".
.
Através de indicações políticas no meio petista, alcançou cargos de grande envergadura, como consultor jurídico do Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome e atuou na Subchefia de Assuntos Jurídicos da Casa Civil e na Secretaria de Relações Institucionais da Presidência da República.
.
Outro cargo digno de nota é o de secretário da Reforma do Judiciário do Ministério da Justiça. Que raios de cargo é este? como uma secretaria do ministério da justiça (poder executivo) pode reformar o judiciário? e a independência entre os poderes, como fica?
.
Pois é ... o desembargador em questão foi procurador concursado por 11 anos. Após isto foi um cargo de confiança após o outro. Tornou-se um daqueles teóricos que faz sua ascensão através de cargos de confiança seguidos, conseguidos pela amizade com políticos.
.
Magistratura? mais de 10 anos de advocacia? defesa de clientes no tribunal? nada disto foi necessário para ele chegar a desembargador.
.
É um Dias Toffoli 2 ... e não me surpreenderei quando ele chegar ao STF.

aldofranklin disse...

O preconceito contra medicos é Geral, em todo lugar, de todo mundo!
A profissão ta muito desprezada!

A decisão deveria ser condenar os Gwstores por improbidade administrativa! Tem quantos anos que sabem dessa situação e nada fazem?

Paulo Taveira disse...

Ele não teria sido reprovado em um vestibular para medicina? O viés antimédico é tal que talvez isto possa ter se dado!

MAURICIO disse...

Deveria se dar por ImPTedido para julgar.

Mas o PToffoli também não se deu por impedido para julgar os clientes de sua namorada e os seus EX-(cof cof) -Chefes no Mensalão ..... então .....

Que fase ....