segunda-feira, 26 de agosto de 2013

EDITORIAL: A VINDA DOS CUBANOS JÁ ESTAVA PREVISTA DESDE 2011

Toda essa panaceia sobre o Mais Médicos é uma bomba de fumaça para esconder um objetivo traçado desde a posse de Alexandre Padilha como Ministro da Saúde em 2011: Trazer os médicos cubanos e os brasileiros lá formados (todos por indicação partidária) para trabalharem no Brasil e aqui dominarem os postos públicos de saúde com viés eleitoral. Esse é um projeto antigo de "socializar" a saúde pública traçado desde os tempos em que os atuais secretários e o ministro militavam na DENEM.
 
Ainda em abril de 2011, no início de seu mandato, Padilha fez um grande evento chamado de "Seminário Nacional sobre Escassez, Provimento e Fixação de Profissionais em Áreas Remotas e de Maior Vulnerabilidade" que estabeleceu as diretrizes que iriam nortear as futuras condutas do MS, dentre elas o PROVAB e o Mais Médicos.
 
Clique aqui para ver o relatório síntese, publicado em 2012, e aqui para ver que o evento contou até mesmo com "live in" pela internet.
 
Ainda em 2011 um seminário do Pró_Saúde fundamentou as matizes ideológicas que norteariam o processo de dominação do SUS por "socialistas", aqui está o relatório.
 
Em 2012 foi o início da implementação do projeto, com o mapeamento das necessidades locais sob ponto de vista governamental e experimentando a resistência da classe médica com bombas de fumaça. A primeira delas foi o Provab, iniciado no fim de 2011 (veja aqui) pretendia atrair médicos para o interior oferecendo bolsas de baixo valor (para vínculo exclusivo) e uma proposta de bônus nas provas de residência médica.
 
Obviamente não funcionou, até porque muitos municípios e o próprio governo falharam em honrar com os compromissos assumidos e também porque São Paulo conseguiu na justiça impedir que os bônus de pontuação de residência fossem usados em seus hospitais. Estudos mostravam que o bônus faria um candidato saltar até 690 posições à frente na classificação final de Clínica Médica da USP e outro estudo mostrou que 90% dos postulantes do provab se inscreveram para residência médica em dermatologia, endocrinologia, ortopedia, cirurgia plástica e oftalmologia. Não preciso falar mais nada.
 
Apesar disso o provab continuou para manter a imagem de que o Ministério estava se "esforçando" em povoar o interior do Brasil com médicos. Enquanto isso o verdadeiro objetivo era traçado: viabilizar a vinda dos companheiros petistas da ELAM e dos cubanos amigos para doutrinar o eleitorado brasileiro e "tomar posse" do SUS.
 
Acertos começaram a ser feitos com Cuba e desde meados de 2012 brasileiros já estavam sendo enviados a Cuba para começar a treinar as equipes. Muito antes do Ministro do exterior, Antônio Patriota (de patriota só o nome) "vazar" a vinda de 6.000 médicos cubanos para o Brasil, em maio/13, já estavam definidas as equipes e datas de chegada.
 
Em abril de 2013 o Jornal espanhol ABC já entrevistava uma brasileira que estava lá ensinando Português básico aos médicos cubanos (link).
 
Todos os cubanos que aqui desembarcarão já tiveram aulas de saúde pública brasileira, geografia e noções básicas de convívio regionalizadas. Desde 2012 cada médico cubano já sabe para onde vai, quantos habitantes existem, quem é o líder local, como é o posto, etc etc.  As chamadas 3 semanas de ensino são mera ficção para enganar a população, será apenas um período adaptativo.
 
Não se sabe se Patriota vazou sem querer ou não, mas a celeuma foi grande demais e o governo fingiu recuar, apenas para baixar a fervura. O fato é que o Mais Médicos seria apenas a vinda dos cubanos e estrangeiros selecionados, mas com a reação local o governo mais uma vez fez um simulacro e inventou essa questão de chamar os médicos brasileiros primeiro e fez de tudo para inviabilizar esses brasileiros de efetivarem sua inscrição, inclusive obrigando pessoas que haviam escolhido a Amazônia a irem para São Bernardo do Campo, conforme denúncia protocolada pelo CFM.
 
Por fim o simulacro cumpriu seu papel e rapidamente Padilha disse que "o Mais Médicos não deu certo e que era imperioso a vinda dos cubanos". 24h depois já se sabiam o número, as datas de chegada, a formação de cada um e, surpresa, todos falando um portunhol razoável.
 
O que acabamos de ler não é coisa de gente despreparada, nem feita no improviso, foi um plano profissional executado com sucesso até o presente e que já antecipou vários ataques que viriam a sofrer.
 
O plano é dominar o SUS e através do SUS dominar a classe médica. Temos que saber onde estamos pisando para saber o que fazer diante desse cenário, onde o SUS ainda é uma ficção no papel mas é usado para justificar a presença de milhares de pelegos e agentes políticos do governo dominando posições e doutrinando populações carentes.

3 comentários:

Jose Luiz Pinheiro Lima disse...

Sócrates tinha razão, é inviável ser médico no Brasil.

aldofranklin disse...

Mais de 70% do atendimento a População depende do SUS!
Agora vc imagine uma Sociedade que nao teve qualquer avanço na Educacao na ultima década, ser atendida por agentes políticos infiltrados pelo Governo e preparado em Cuba com base numa ideologia de alienação?
Tudo é planejado! A politica anti-medico do Governo tem por objetivo massacrar a classe, seja a que trabalha em Convênio, nessa os servidores "nao SUS"! Por fim o "unico medico que servirá é o do SUS" controlado pelo Governo, com políticas pseudosocialistas e com intuito de angariar VOTOS e se perpetuar no Poder! No final todos seremos pobres e nivelados por baixo, esse é o futuro da Sociedade Brasileira!
Veja que não é o medico cubano que escolheu vir trabalhar aqui! É UM CONVÊNIO entre o "Governo Braileiro com o Governo Fidel" com os irmãos Fidel recebendo o $$$ e pagando quanto quer aos Cubanos! A patota que Governa CUBA fica so na vida boa e o restante do POVO é massacrado! Esse é o futuro do Brasil! O PT no poder "ad eternum" e o povo so fumando cachimbo!
E entendam uma coisa, o Zé povinho é corrupto e so vota em troca de favor! Ja tem as bol$as, agora a "pseudosaude", a maioria é pobre e nao tem essa vontade toda de trabalhar, então meus queridos ja sabem o final da história hein...
VC AINDA ACREDITA NO BRASIL?

Alexander Kutassy disse...

Não se surpreendam, pois pelo andar da carruagem prevejo o seguinte cenário: os médicos(?)cubanos (ou agentes petistas) que atenderem pelo "mais médicos" no SUS passarão a ser autorizados a encaminhar os pacientes aos administrativos do INSS, já carimbados com o 'status' de perícia médica desta forma inclusa e realizada nas "consultas" pela nova classe de "peritos", determinando a concessão de benefício. Finalmente, ao gosto do PT, as perícias passarão a ser as verdadeiras "bolsas-doença" humanizadas que sonham fazer com as suadas contribuições do inocente povo brasileiro; coisa que não entra na cabeça destes atuais degenerados, cruéis e desumanos peritos da autarquia previdenciária.