segunda-feira, 20 de agosto de 2012

VOTE NA ENQUETE DOS 15%

Perito.Med está fazendo uma enquete independente para saber o grau de aceitação da proposta do governo  feita para uma das entidades que representam a perícia, que consiste em conceder 15% de reajuste divididos em 3 anos.

Esta enquete não é da ANMP e nem do Sindicato. Antes de votarem, por favor se informem neste blog sobre o que significa a proposta.

O link da votação é:

 http://www.enquetes.com.br/popenquete.asp?id=1039140


6 comentários:

aldofranklin disse...

NAo repõe nem a Inflação dos vencimentos congelados desde 2008...
Qualquer idiota sabe que o "não aceita" a proposta de 15% em 03 anos vai ganhar...

E.G. disse...

Se ela mesmo já assinou 7% pro salário mínimo em 2013. É berrante a balela que é o discurso desse governo.

Eduardo Henrique Almeida disse...

O governo terá a perícia que merece.

Regi disse...

Colegas, não ac eitem de maneira alguma ! Isso é o congelamento do salário por 3 anos (2015 = após as eleiçoes de 2014); e não se esqueçam da ultima tratativa da ANMP (fracasso total nestes mesmos moldes de 3 anos) - Lembrem-se que o Sr, Gabas e o MPOG já determinaram(não pediram opinião aos peritos ou mesmo foi feita contraproposta pelos peritos,vimos apenas o "acadelamento"da ANMP)que toda a demanda deverá ser atendida,caso ocorra redução da jornada para 30 h = agenda maior e + processos para justificar.

Greve Já! somos médicos, aguentamos a briga com outros trabalhos enquanto perdurar a greve até que sejamos contemplados com o respeito que merecemos !

Querem abrir a porteira, bI para todo mundo e dane-se !

Regi disse...

UOL Notícias:

20/08/201222h18
PRF adere à greve por melhores salários e condições de trabalho
Comente


Comunicar Imprimir

São Paulo, 20 ago (EFE).- A Polícia Rodoviária Federal entrou em greve nesta segunda-feira em vários estados do Brasil e engrossou a lista de órgãos da administração pública paralisados para obter melhorias salariais e de condições trabalhistas.

A Federação Nacional da Polícia Rodoviária Federal (FenaPRF) decidiu por unanimidade neste fim de semana a adesão paulatina por estados e sindicatos à greve a partir de hoje.

Segundo um comunicado, até o próximo dia 24, um dia depois da data na qual está prevista uma reunião com representantes do Ministério do Planejamento, 21 dos 24 sindicatos da FenaPRF estarão em greve.

O corpo policial reivindica um reajuste salarial, pagamentos adicionais por turnos noturnos e insalubridade e uma reestruturação do plano de carreira.

Entre os estados que começaram as mobilizações já nesta segunda estão Alagoas, Bahia, Minas Gerais, Santa Catarina, Pernambuco, Mato Grosso do Sul e Paraíba.

De acordo com a lei, os grevistas devem notificar a seus superiores sua intenção de aderir à mobilização e publicar um relatório na imprensa com antecipação, motivo pelo qual os estados de São Paulo e Rio Grande do Norte entrarão em greve no próximo dia 24.

O corpo policial deve manter serviços mínimos, nos quais atenderão os casos de emergência como acidentes.

A PRF se soma assim a diversos setores como professores universitários, Polícia Federal, funcionários do Arquivo Nacional, Receita Federal e uma dúzia de ministérios que desde maio foram se incorporando à greve.

A Confederação dos Trabalhadores no Serviço Público Federal situa em 30 as categorias de servidores públicos que aderiram aos protestos.

O Governo tem até o dia 31 deste mês para enviar ao Congresso seu orçamento para 2013, no qual deverá incluir sua previsão de despesas com os salários dos funcionários públicos.

Regi disse...

Portal Notícias:

Servidores criticam proposta salarial, mas adiam greve
20 de agosto de 2012 • 22h10 • atualizado às 22h15
A União das Carreiras de Estado (UCE), que representa 22 categorias de servidores, considerou insuficiente a proposta do governo de conceder aumento total de 15,8%, parcelados em três anos, e marcou para quinta-feira uma assembleia geral para discutir a possibilidade de realizar greve a partir desta segunda-feira, como as do Banco Central (BC), do Tesouro e da Controladoria-Geral da União (CGU), que integram a UCE, adiaram suas paralisações.
A proposta de cerca de 5% anuais, até 2015, é insuficiente por não repor perdas inflacionárias. "Se o pessoal (governo) tem dificuldade, por conta da crise, de repor as perdas em 2013, recupera em 2014. Engessar o movimento por três anos vai dificultar demais", afirmou Belsito, que participa da mesa de negociação da UCE.
O presidente da Unacom-Sindical, Rudinei Marques, que representa os servidores do Tesouro e da CGU, disse que há uma tendência pela rejeição da proposta. "Se tivéssemos um percentual de, digamos, 10%, ainda ficaríamos em dúvida. Mas 5% é inaceitável", afirmou.
Se houver uma flexibilização, será para carreiras com salários mais defasados acabando com algumas gratificações e engordando o vencimento básico. Na aposentadorias do servidor, que, ao ficar inativo, não recebe os valores das gratificações, apenas o vencimento básico.
Rodada final
Representantes da UCE reuniram-se no sábado com o secretário de Relações do Trabalho do Ministério do Planejamento, Sérgio Mendonça, e ouviram na ocasião a proposta de 15,8%. O governo planeja encerrar nesta semana a rodada de negociações.
Entre as 22 carreiras de servidores representadas pela UCE estão as do Banco Central, da Comissão de Valores Mobiliários (CVM), da Receita Federal, do Ministério do Planejamento, do Tesouro Nacional, do Itamaraty, da Polícia Federal e da Superintendência de Seguros Privados (Susep), entre outros. Até agora, a greve de servidores atingiu as universidades federais, o Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra), o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), entre outras carreiras.
O movimento grevista
Iniciados em julho,pelo menos 25 categorias estão em greve, tendo o aumento salarial como uma das principais reinvindicações. De acordo com a Confederação Nacional dos Trabalhadores no Serviço Público Federal (Condsef), o movimento atinge 28 órgãos, com 370 mil servidores sem trabalhar.
Estão em greve servidores da Polícia Federal, Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra), da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), do Arquivo Nacional, da Receita Federal, dos ministérios da Saúde, do Planejamento, do Meio Ambiente e da Justiça, entre outros. O Sindicato Nacional dos Servidores das Agências Nacionais de Regulação (Sinagências) informou que dez agências reguladoras aderiram ao movimento.

O Ministério do Planejamento declarou que está analisando qual o "espaço orçamentário" para negociar com as categorias. O governo tem até o dia 31 de agosto para enviar o projeto de lei orçamentária ao Congresso Nacional. O texto deve conter a previsão de gastos para 2013.

No dia 25 de julho, a presidente Dilma Rousseff assinou decreto para permitir a continuidade dos serviços e parcerias com Estados e municípios para substituir os funcionários parados com intuito de enfraquecer os atos grevistas.
-------x------x-------x-----x------
EM 2014 O PT DA DILMA E DO LULA TERÃO A RESPOSTA NAS URNAS!

COLEGAS SERVIDORES DE TODAS AS CLASSES, REUNAM SEUS AMIGOS,PARENTES/FAMILIARES,CONHECIDOS,PACIENTES E SUBALTERNOS - FAÇAMOS O NOSSO "DEVER DE CASA"E GUARDEMOS AS "CARTAS"PARA AS ELEIÇÕES DE 2014 E JÁ PARA AS MUNICIPAIS DESTE ANO! ELES VÃO SABER COM QUEM ESTÃO LIDANDO! NÃO ACEITEM MIGALHAS AGORA NEM PROXIMO AS ELEIÇÕES.