quinta-feira, 5 de junho de 2014

PROJETO NAZI-FASCISTA DO DEPUTADO VICENTINHO QUER PROIBIR IMPORTAÇÃO DE LIVROS NO BRASIL.

Projeto obscurantista de caráter nazi-fascista do líder do PT na câmara dos deputados, deputado Vicentinho (PT-SP), pretende proibir a importação de livros por parte de entidades públicas, sob o risível pretexto de fomentar a indústria nacional.

Isso mesmo, ele quer **PROIBIR** a importação de livros estrangeiros por parte do governo. Esse foi um dos primeiros passos dados pelo Partido Nazista na Alemanha quando assumiu o poder no início da década de 30, seguido de outros bem piores. Não duvido que em breve estejamos propondo neste país a QUEIMA de livros como foi rotina no III Reich.

Na foto acima, o deputado Vicentinho caracterizado como um fascista para deixar de forma bem clara a todos o que significa o seu projeto de lei.

Tal qual seu congênere alemão (Nazista é corruptela de NAZI, que por sua vez é uma abreviação de Nationalsozialistische Deutsche Arbeiterpartei - NSDAP ou Partido Nacional Socialista dos Trabalhadores Alemães), parece que o Partido dos Trabalhadores brasileiro está a cada dia mais ávido em ter total domínio sobre o modo de vida, o estilo de vida, o pensar, viver e respirar dos habitantes desta terra tupiniquim. O próximo passo será, talvez, selecionar quem mereça viver ou morrer nessa pátria?

É pra ter medo de um projeto desses mesmo. O que um cavalo como o autor dessa insanidade desconhece é que, se aprovado, os principais prejudicados em primeira mão serão os estudantes de cotas e pobres das universidades públicas tão estimado por eles, em especial dos cursos técnicos e científicos, como medicina e engenharia, que são totalmente dependentes da literatura externa uma vez que aqui dentro não se produz nada similar. Sem livros estrangeiros nas bibliotecas públicas, só lhes restarão ver os colegas que podem comprar saírem na frente.

Além disso será o fim das universidades, da inovação, tecnologia e vamos ladeira abaixo com Embrapa e outras empresas públicas que dependem da literatura estrangeira.

Abaixo a proposta insana, que espero que seja vetada por ofício pela mesa diretora por sua inconstitucionalidade. O texto obscurantista está abaixo:


Um comentário:

Clínica médica Marcelo Rasche disse...

Desde o tempo da faculdade, se eu comprasse o original em inglês, me custava 1/3 do preço. Como livro não paga imposto, posso comprar tranqüilamente do exterior, sem risco de ficar retido na receita federal.

O político que sonhou essa lei só pode estar querendo sacanear os estudantes.