sexta-feira, 8 de julho de 2011

ROTINA DO ABSURDO - UM DIA DE PERITO

"Desculpe-me o desabafo, hoje não foi um dia bom na Perícia: logo de manhã soube que um colega da minha gerência levou uma "surra" (empurrado e chutado como um cachorro vadio) na calçada de um hospital onde foi realizar uma perícia hospitalar, ao que tudo indica por um familiar de uma segurada; ao chegar na agência onde fui trabalhar (não é minha lotação) encontro papéis em cima da mesa, pensando que me diziam respeito, li-os, eram a descrição do salário de um colega em licença médica e a informação de que seriam descontados R$ 24,00 por 1 hora não compensada, achei humilhante e uma exposição desnecessária (detalhe: o colega quando em atividade, toda semana sai da sua APS de lotação, atende em outra e abre mão da diária) e por fim solicitei ao gerente que por gentileza bloqueiasse o meu último horário já que 30 minutos antes da minha saida chegou uma perícia judicial e eu ainda tinha uma perícia domiciliar em uma outra cidade ( 30 Km em média de distância) para realizar, mas "não foi possível", resultado: mais uma vez fiquei sem almoço.Tenho consciência que não trabalho para o INSS e sim para o povo, ainda que esse mesmo "povo" as vezes queira demonizar o perito, não entendendo que aquele mesmo segurado que entra quase desmaiando na agência por causa de um cisto renal (achado ultrassonográfico), vai pegar a moto e virar tranquilamente a esquina. Enquanto isso, só há sorrisos no site da ANMP..."

P.A. - Perito Médico - Região IV

15 comentários:

aldofranklin disse...

Hoje durante o atendimento, senti-me ameaçado por um segurado, sabia que se negasse, iria apanhar...Mas não tive dúvida, transcrevi o laudo do assistente, transcrevi a sintomatologia do assistente e deu tudo certo. Voltei pra casa tranquilo e o segurado saiu alegre e no SIMA, consta as informações do assistente, inclusive CRM do mesmo! Desculpem-me os colegas, mas é assim que procedo apos já ter levado cadeirada nos braços. Recomendo o procedimento aos colegas. Chega de se expor e de apanhar!

aldofranklin disse...

Não sou eu que vou salvar o Brasil! Ninguem está preocupado se apanho ou não, então aquele botão do Fxxx-se esta ligado.

Francisco Cardoso disse...

Na boa, perdeu o almoço por que quis. Enquanto médico continuar se submetendo a administrativo recalcado, é isso o que vai acontecer. Conduta correta seria informar ao chefete para desmaecsr pois nao daria tempo e bater o almoço comer tranquilo e se nao desse tempo cancelar a judicial ou hospitalar. O colega que foi descontado o foi pois nao cobrava as diárias, mas ele tem direito de cobrar agora, basta lembrar os dias e protocolar. O que apanhou infelizmente sofreu mais, porém bo, federal, afastamento e queixa crime contra o agressor ajudam a inibir atitudes posteriores. Na minha APS, nenhum segurado ousa gritar contra médico, pois sabem que serão presos. Nao tem jeito, quem muito se abaixa... O médico precisa aprender que ele tem a faca e o queijo n mão, basta saber cortar.

Eduardo Henrique Almeida disse...

Chutar cachorro vadio é crime.

Heltron Israel disse...

Mas prova que ele incomoda e está vivo. Ninguém chuta morto.

Heltron Israel disse...

Francisco,
Não entendo que seja tão matemática assim. Acho que as pessoas reagem e respondem de forma diferentes sem representar "fraqueza" de espírito.Primeiro porque o conhecimento se contrói com estudo, debate e experiencia. Hoje, sinto-me extremamente seguro nesse sentido, mas nem sempre foi assim. O primeiro ano que atendi no INSS atendi em condições tão desumanas que nem tenho coragem de dizer. Nada tinha me ensinado nem no INSS e nem na faculdade embora sentisse que estava errado. O contato com outros colegas e experiencia que só o tem faz possibilitou uma auto-reflexão e uma mudança de conduta radical. Uma das primeiras coisas que se precisa é o apoio social e conhecimento. E isso temos obrigação de fornecê-la.

Heltron Israel disse...

O Episódio é chocante e lamentável. O blog está solidário com o colega e repudia mais uma vez a completa insegurança que os Peritos do INSS estão expostos.

Francisco Cardoso disse...

Nao deixo de me solidarizar e dar todo o suporte que puder dar, mas o colega precisa ler isso, precisa ler que se ele nao se impor, vão continuar pisando nele, e somente ele pode individualmente evitar esse tipo escárnio, dando um belo dum esporro nesse chefete e ajudando o colega a se conscientizar de seus direitos. É duro, mas alguém precisa falar isso... O médico nao podeve nao deve se submeter a devaneios de administrativos.

Quanto ao Aldo, discordo dele. Situação de violência, pede licença um instante, sem confrontar, chama a policia e pronto. Nao é pelo INSS, é por vc mesmo e sua auto estima.

Heltron Israel disse...

Concordo,

Eu jamais mudaria a minha convicção por ameaça nenhum embora saiba que a prática é relativamente comum, mas as pessoas são diferentes e entendo que sempre existe alguém a enfrentar maior risco que outro. Existe doido até para pular de avião sem paraquedas. Acho que a coragem de alguns não pode justificar e nem normatizar a conduta tampouco o medo de outros. Ou seja, é preciso um conjunto de medidas de segurança que equilibre90% dos peritos e os façam sentir melhores e não que se instigue a tornar mais forte quem nunca poderá sê-lo.

aldofranklin disse...

Companheiros, já levei cadeirada...Tenho filho pra criar...Não arrisco mais minha vida...Outro dia o segurado levou foi um porrete pra bater no perito...Isso é vida?...Se eu me sentir ameaçado, vou fazer o "macete do médico assistente" sim!...Sabe quando vão acordar? Com esse modelo econômico? Com a Sociedade desta forma? Com essa valorização dos médicos? A mudança tem que partir dos médicos, mas no entanto são desunidos demais, a grande parte visa seu interesse pessoal, veja a diretoria da ANMP, com "defunto" votando...Quem está nos cargos de chefia ou direção, quando tão na boa, tão pouco se f. pro testante!

Herbert disse...

O Francisco e o Heltron estão certos, cada um em seu depoimento e modo de pensar. Eu sou um misto dos dois, pois sofri as duas vivências. Até o dia que que quase infartei e acordei para a vida e o quanto é preciosa.Afirmo com todas as letras, que somos odiados e perseguidos pelo INSS em peso. Só a nossa união, trabalho correto, seguimento das leis, poderá nos salvar. Pois quem está dentro das regras, pode cair de pau em cima do assediar e agressor.Respeito a todos e exijo respeito. Até procurador do INSS, agora da AGU, nos odeia. Até gerente de GEX tem a coragem de dizer: "cobramos mais de quem faz mais, pois de quem não faz não adianta cobrar". Administrativo psicopata que tentar mexer com médico, desde quero médico esteja certo,deve responder por isso na justiça. Quanto a médicos cheios de conchavo. acordinhos e errados, esses eu quero meso é que se danem.

PERITOS, VALORIZEM-SE ANTES QUE SEJA TARDE. CHEGA. CHEGAMOS AO FUNDO DO POÇO (SALÁRIO CONFISCADO (GDAMP CONGELADA), FALTA DE CONDIÇÕES DE TRABALHO, AGRESSÃO DENTRO E FORA DO TRABALHO, COAÇÃO, HUMILHAÇÃO, ASSÉDIO). CHEGAAAAAAAAAAAAAA

Marcelo Rasche disse...

Deixar de lado o seu almoço, isso não se faz. É um absurdo isso, que só se justificaria ao atender um paciente complicado com risco de morte, não atividades eletivas como perícia.

Acho que você deve rever conceitos em sua vida

Luciana Coiro disse...

Aldo Franklin: espero que na tua APS nunca ocorra uma operação da força tarefa previdenciária por crime contra a previdência...

Com esta conduta de "dar para todo mundo", a fim de evitar cadeiradas, infelizmente não estás exercendo a função pericial e isto seria alvo de investigação penal caso tua região venha a ser investigada.Resumindo: evitar cadeiradas não seria aceito como explicação para concessão de benefícios de maneira indevida.

Com todo respeito, Luciana Coiro

hulk disse...

FALA COM OS ILLUMINATIS

Patrícia disse...

O melhor instrumento de dominação é o ideológico, sem dúvidas.Transitar de uma Medicina assistencialista : o paciente sempre é o coitado , o hipossuficiente e o Dr. precisa fazer tudo ( abrir mão de seu sono, sua comida, seu salário , sua família ) em prol dessa vítima da sociedade e da natureza; para uma Medicina em que o profissional "também é gente" é muito difícil.Nos meios previdenciários em que já circulei, o segurado está em busca de seus direitos ( concordo e não há nada mais digno), ele é sofredor , mora longe, está doente,é pobre,não pode esperar!Tem razão em ser agressivo com um Dr. tão privilegiado , ganha bem, frequenta os melhores lugares, tem os melhores carros e é tão arrogante que "corta " o benefício dessa pobre pessoa.Eu sou consciente de todos os meus passos e sei que o que me inspira é o respeito ao dinheiro público .Outro dia,um colega, acho que despeitado com minhas posições, me soltou 2 pérolas: " pode botar esse pacientes psiquiátricos de longa data para fora Drª ,que eu coloco tudo para dentro";" estou tão feliz que a atual chapa da ANMP tenha vencido, os outros eram muito barulhentos, gostam de confusão".Achei tão pobre de espírito a provocação que nem respondi nada, acho que o colega já está meio delirante, acha que é "do alto clero".Sou favorável a mudanças que não nos deixe tão à mercê da inveja e dos traços psicopatas de algumas pessoas que nos cercam ( sem paranóia, tenhamos consciência de que cada agressão ao perito felicita algumas pessoas: "-Bem feito").Não me considero pessimista, pelo contrário, vejo nesse blog que a "peritada " tem conteúdo e capacidade.Vejo que o próprio usuário está muito sofrido com este clima de terror, ele também é penalizado pelas fraudes e por aqueles que se apropriam de um direito que não pertecem a esses.
"Quem sabe faz a hora, não espera acontecer".