sábado, 30 de abril de 2011

NÃO LARGA O OSSO

E ele não larga o osso. Todos estavam ávidos para ouvirem as palavras do Novo Presidente, o subjudice, no MegaCongresso, mas que Decepcão - para alguns outros tantos não. É que o quase Ex-Presidente da Associação está em todas as cenas do congresso. Ainda na Abertura, é ele quem rouba - no bom sentido desta vez - e faz a cena. Pois é. Fotos dele estão ao dispor de todos. Já do Novo Presidente, com algum esforco se consegue ver  após uma pequena procura - talvez para não gastar a imagem. O quase Ex parece não dar qualquer brecha para que o seu sucessor prove uma lasquinha da OsteoIguaria. .
E tem mais. Além de não passar o Osso, toma o dos outros. Disse também na nota oficial da abertura que o projeto da "auditoria de atestados", elaborado pelo Ex-Presidente Fundador exilado, teria sido de sua autoria em 2007. É um profissional. Aguardemos. Em breve dirá que foi as custas do seu trabalho que a categoria passará ao status de auditores e que o "seu" modelo deu certo - aquele mesmo que chamara de "Temeridade". Talvez até cole. Acreditaram nas vitórias da Greve de na recente IN 53 também.
É uma pena. O Novo Presidente, o Subjudice, até tentou mandar para a carreira algumas palavras desesperanca no comunicado sobre a abertura do congresso. Claro que no roda-pé para não ofuscar o brilho do "Great Bonekeeper". Infelizmente suas foram Censuradas com poucos minutos - o vício é mesmo difícil de perder. Acreditamos que tenha sido devido ao seu senso de realidade no conteúdo - ainda que não seja total.
É isso. Ao que tudo indica aquela história de que o Quase Ex ficaria longe é pura balela. A julgar pelo Congresso, ele nunca esteve tão presente. Por fim, temos um novo presidente subjudice que não pode (ou não quer) soltar a voz e um ex que não quer larga o osso.

Um comentário:

Herbert disse...

Eu já imaginava isso. O cara é um ... E vai continuar mandando e desmandando na associação. Azar o dos seus Associados. Coisa de louco. Enquanto não derem um "chega pra lá" nesse megalomaníaco, nada vai para frente...se é que ainda existe alguma esperança.