sábado, 24 de novembro de 2012

Sobre o escândalo da AGU

Segundo na hierarquia da AGU já tinha perdido cargo no fim de 2009

Publicação: 24/11/2012 07:35 Atualização:

"Ainda em 2003, o TCU responsabilizou 13 ex-dirigentes do INSS — entre eles, Weber — por irregularidades em um convênio assinado pelo órgão com o Centro Educacional de Tecnologia em Administração (Cetead), da Bahia, entre 1998 e 2000. Após deixar a AGU, Weber assumiu a Procuradoria-Geral da Universidade de Brasília, nomeado pelo então ministro-chefe da Casa Civil, José Dirceu."


4 comentários:

Heltron Xavier disse...

Teria sido este convênio o criador do SABI?

aldofranklin disse...

E por falar nisso, foi sem licitação hein?!...
Edição 1642 da Istoé, de 2001:
Pressionado pelo presidente Fernando Henrique Cardoso, a primeira canetada do novo ministro da Previdência, deputado Roberto Brant (PFL-MG), foi dedicada a demitir um carlista da equipe deixada por seu antecessor, Waldeck Ornélas. Na quarta-feira 14, um dia depois de assumir o ministério, Brant exonerou o baiano Crésio de Matos Rolim, que ocupava a presidência do Instituto Nacional de Previdência Social (INSS). Mas Brant — um amigo do senador Antônio Carlos Magalhães (PFL-BA) que agora deve fidelidade ao presidente — ainda terá muito trabalho para desmontar a estrutura baiana herdada de Ornélas. O ex-ministro gostava de tocar o Ministério cercado de amigos. Um deles é Jack Oliveira Cavalcanti Jr., outro integrante do grupo carlista e dono da Unitech, uma das mais prósperas empresas de informática da Bahia, especializada em criar softwares e sistemas de informatização integrados. A empresa, que há anos presta serviços à prefeitura e ao governo baiano, entrou no mercado federal pelas mãos de Ornélas, sem passar por licitações, apesar de operar em um mercado concorridíssimo.

Leopoldo Silva

Amigo de ACM, Roberto Brant resistiu, mas acabou demitindo aliados do senador
O esquema que permitiu à Unitech ficar fora da disputa com outras empresas de informática passa pelo Centro Educacional de Tecnologia em Administração (Cetead), uma fundação sem fins lucrativos formada por professores de administração da Universidade Federal da Bahia (UFBA). Nos últimos três anos, a Unitech recebeu mais de R$ 3 milhões por conta da execução de dois projetos encomendados pelo INSS. Um deles, o Sistema de Administração de Benefícios por Incapacidade (Sabi), tem o propósito de reduzir as filas no atendimento de licenciados e aposentados por incapacidade física, que consomem 40% do trabalho nos postos do INSS. O outro pretende melhorar o sistema de processamento da arrecadação das contribuições previdenciárias. Os projetos incluem o desenvolvimento e implantação de programas de computador mais ágeis e eficientes nos cerca de mil postos do INSS espalhados pelo País. Junto com outras duas empresas baianas e mais três de outros Estados, a Unitech foi contratada pelo Cetead para ajudar na execução dos dois projetos, preenchendo lacunas que os professores da UFBA não conseguem suprir. Como o centro não tem propósitos comerciais e conta com “notória especialização” na prestação de serviços no ramo é, por lei, dispensado de licitação.

aldofranklin disse...

Hum..mó bolada de dinheiro...facim ficar rico...
E o SABI é lixo hein...não tem um dia inteiro que funcione sem dá uma travadinha, um erro!
Inclusive o INSS deveria lançar a promoção: Use o SABI por um dia, se ele não apresentar erro você ganha um Honda Civic zero Km! Ai é covardia, o INSS não ia dar carro pra ninguem!

Francisco Cardoso disse...

Não foi esse convenio nao, mas deve ser da mesma "Linhagem".