quarta-feira, 28 de novembro de 2012

A GUERRA DAS 20H COMEÇOU. BATALHA DE CANOAS.

Na recente reunião dos dirigentes do MPS com os gerentes da Região Sul, foi deflagrada a primeira batalha ou ofensiva de administrativos contra as 20h dos médicos.

Durante sua fala, o Ministro Garibaldi foi interrompido por um gerente de APS que gritou :"Ministro, trate dos administrativos como vai tratar os peritos. Vai diminuir a carga deles para 20h sem redução e queremos isso também". 

Em seguida esse chefete disparou a falar mal dos peritos médicos com adjetivos bastante pesados, obviamente generalizando situações e não dando nome aos bois. Em sua fala, disse que os médicos que tem duplo emprego público estariam "ilegais".

O Ministro Garibaldi então respondeu: "Pela própria peculiaridade da profissão de médico, não podemos comparar o cargo de médico com o de administrativo."

O Diretor da DGP, José Nunes, contra-argumentou a fala do chefete do Sul e defendeu bastante a perícia médica, inclusive lembrando que a Constituição garante a prerrogativa de 2 vínculos ao médico. E emendou: "Os médicos tem direito constitucional ao segundo vínculo, diferente do senhor que só pode ter o que tem". E disse ainda: "Além disso, o mercado lá fora paga muito mais ao médico do que nós".

Após as intervenções, o chefete silenciou e a reunião prosseguiu até o fim.

Gerentes de APS que não concordam com essa postura dos colegas e que querem apenas resolver o problema da falta de médicos e contam com essas 20h para se livrarem desse abacaxi das filas ficaram revoltados com a postura do chefete que peitou o Ministro. "É muito recalque! Logo ele que depende 100% dos peritos por causa das judiciais" - Disse um dos gerentes a este blog.

Parabéns ao Ministro Garibaldi e ao Diretor Nunes pela pronta intervenção. Mas que se preparem, pois isso foi só uma amostra.

5 comentários:

Herbert disse...

Parabéns mesmo ao Ministro Garilbaldi e ou Diretor José Nunes. Muitos ainda vão querer ter sem ter feito por onde. Acham que cargo político dá direito a tudo.

aldofranklin disse...

Não querendo menosprezar mas o Garganta que esbravejou faz o que um medico faz?! É capaz de abrir uma barriga numa Apendicite e operar, depois de alguns dias a pessoa continuar viva?...
Tem gente q não se enxerga...
Já o Ministro e o Diretor sabem que não há outra saída pra preservar a Autarquia, tendo em vista que o Mercado realmente oferece propostas mais interessantes e é justamente por conta disto que o INSS fez 03 concursos e os mesmos fracassaram na tentativa de repor a evasão dos Peritos! Na batida que está o Exonerometro, sem medidas de gestão, o INSS vai virar uma zona! E ta uma "batida gostosa", todo dia tem movimento...

Eduardo Henrique Almeida disse...

Temos, pela ordem:
1- Fato político: Gov Geraldo Alkimin cria carreira de médico com ótimo salário;
2- Fato administrativo: esvaziômetro;
3- Fato social: filas quilométricas;
4- Fato econômico: Quem liga para custos previdenciários? Risca esse. São só alguns bilhões de reais...

Vandeilton disse...

Fato político: já cairam muitos ministros da previdência e presidentes do INSS sem conseguir resolver o "problema dos peritos". Uma hora algum deles tem que resolver, senão já sabe que irá cair também.

Vandeilton disse...

Sobre esta isonomia que os administrativos querem, sinceramente, se eles tivessem conseguido as 20 h e nós não, também iríamos querer isonomia.
.
Acho que se eles ganharem as 20 h, não nos afeta em nada, então deixem eles tentarem ... cada categoria tem o direito de lutar pelo o que acham ser melhor para eles.
.
Tudo bem que o chefete na reunião partiu para o ataque à nossa classe para conseguir a isonomia, mas isto foi ele ... não todos.
.
Acho que o ataque aos peritos tem que ser combatido, mas a luta dos administrativos pelas 20 h é legítima, assim como a nossa também o é.
.
Então, eles que ganhem o que conseguirem, e nós também, sem maus julgamentos de ambas partes.