CUBANADAS NA SAÚDE DO BRASIL

CUBANADAS NA SAÚDE DO BRASIL
Página Especial - Confira os Principais destaques da Atuação dos Médicos Cubanos no Território do Brasil

sexta-feira, 13 de maio de 2011

FRAUDE NO SEGURO-DESEMPREGO

Trabalhadores fraudam o seguro-desemprego em Mato Grosso do Sul



Com uma microcâmera, o produtor de reportagem conversou com pessoas na fila. Um pedreiro preferiu a fila do Ministério do Trabalho a trabalhar.


Más intenções na fila do seguro-desemprego: as pessoas madrugaram na calçada para dar entrada no benefício. Com uma microcâmera, o produtor de reportagem da TV Globo em Mato Grosso do Sul conversou com as pessoas na fila. Um pedreiro preferiu a fila do Ministério do Trabalho a ser encaminhado ao mercado, como fazem as agencias estaduais, como a Fundação Social do Trabalho (Funsat).

Produtor: Por que lá na Funsat ninguém quer ir?
Pedreiro: Porque lá eles dão emprego.
Produtor: Como?
Pedreiro: Dão emprego.
Produtor: E aqui só recebe o seguro?
Pedreiro: É.

O montador de móveis fez pesquisa para saber onde poderia requerer o benefício sem ter de aceitar um novo emprego.

Produtor: Mas me disseram que na Funtrab (Fundação do Trabalho) é menos fila?
Montador de móveis: Lá é, mas lá encaminha direto para o emprego, se tiver vaga.
Produtor: Mas não vai trabalhar mais?
Montador de móveis: Vou trabalhar por fora, cinco meses por fora aí ganhando o seguro.

O trabalhador recebe duas vezes: o seguro do governo e o salário do novo patrão, que aceitou o funcionário sem assinar carteira e recolher todos os encargos. O programa do seguro-desemprego prevê que quando o trabalhador dá entrada no pedido é preciso fazer um cruzamento de dados para ver se no banco de vagas existe uma vaga disponível para aquele trabalhador. Só que, na prática, não é o que acontece nas superintendências do Ministério do Trabalho.

“Os sistemas existem. O que falta é, efetivamente, a sua implementação e convertem isso em resultado prático como os outros órgãos estão fazendo”, explica o superintendente do Ministério do Trabalho Anízio Pereira Tiago.

Hoje tem 23 mil pessoas recebendo o seguro-desemprego e quatro mil vagas disponíveis no estado. “O certo é trabalhar, batalhar e conquistar tudo novamente”, afirma o trabalhador de serviços gerais, José Carlo Ribeiro Da Cruz.


http://g1.globo.com/bom-dia-brasil/noticia/2011/05/trabalhadores-fraudam-o-seguro-desemprego-em-mato-grosso-do-sul.html

Nenhum comentário: