terça-feira, 26 de maio de 2015

SÉRGIO CARNEIRO DIZ QUE O CFM RECONHECE HÁBITO DE ANALISAR DOCUMENTOS SEM NECESSIDADE DE VER O SEGURADO E ELISETE BERCHIOL DEPOSITA SUAS ESPERANÇAS NO "PP FANTASMA" E MEDIDAS PALIATIVAS

"A Presidente informou que será implementado dois projetos pilotos para tentar diminuir o tempo de espera pericial. O primeiro refere-se à Perícia Hospitalar, que será iniciado em Recife/PE. Neste caso, serão analisados os documentos fornecidos pelo hospital, sem a necessidade de ver o segurado, diminuindo assim o custo financeiro e oferecendo agilidade ao processo. Acrescentou que referido procedimento iria diminuir em torno de 100 mil perícias/ano e, sendo verificado o êxito do projeto, a medida será ampliada para outras agências com maior brevidade, até porque não haveria necessidade de mudança no Sistema. Dr. Sérgio Carneiro, Diretor da Saúde do Trabalhador, complementou dizendo que o INSS não estaria inovando, inclusive porque o Conselho Federal de Medicina já reconhece esse ato como “Perícia Indireta”."

"A Dra. Elisete Berchiol retomou a palavra e afirmou que o processo de mudança, ainda que pareça pequeno, é fundamental, pois o intuito maior seria não onerar os cidadãos. Informou que o outro projeto piloto, que refere-se ao ao pedido de prorrogação do benefício previdenciário (PP), terá início em abril e abrangerá 4 agências (três no Rio de Janeiro e uma em Aracaju). Discorreu que haverá ainda, outras medidas de gestão como: reorganização da lotação dos médicos, credenciamento de peritos (Gerências de Sinop/MT, Cuiabá/MT, Joinville/SC, Maringá/PR, Teresina/PI e Porto Velho/RO), mutirões e chamamento de peritos aposentados. Acrescentou que a mudança cultural é muito difícil, mas vê um empenho coletivo na construção de um panorama melhor."

Reunião do GT Previdência - PFDC - Março 2015 (CLICK)

5 comentários:

H disse...

Pelo visto a presidente e o Dr SST vão ter muito trabalho. A primeira vai ter que estudar medicina e prestar concurso para perito, para poder dar conta de tantos, 100 mil perícias hospitalares fantasmas e ilegais, pois os peritos concursados não farão uma loucura ilegal dessas. O segundo, o SST, pode dar uma mãozinha, mas antes tem que assinar a ordem e logo depois dar umas voltinhas para prestar esclarecimento ao CFM, pois tem gente louca para que ele dê o motivo...rs...

E.G. disse...

Incrível como Brasilia está cheia de cegos, surdos e burros.

Hafiz Ben David disse...

O CFM reconhece a perícia indireta...mas não como regra.Dr. SST fez quantas perícias no SABI? Haha!!!
Como eu digo: só sossega com o CRM suspenso/cassado!

Cavalcante disse...

O Diretor de Saúde do Trabalhador esquece-se que o mesmo CFM, citado por ele, obriga, em sua Resolução 2007/2013 que Diretores Técnicos (Supervisor, Coordenador, Chefe, Responsável)por serviços médicos especializados devem ter titulação na especialidade médica afim do serviço que dirige.
No caso do INSS, por se tratar de serviço voltado essencialmente à atividade médico pericial, de acordo com o conteúdo da Resolução citada, o Ilustre Diretor deveria possuir titulação registrada no CRM na especialidade Medicina Legal e Perícia Médica.

Hafiz Ben David disse...

Perfeito! Ao consultar o portal do cfm, e buscar pelo nome do doutor SST, não se constata nenhum RQE!
Mesmo alargando a interpretação e, considerando o cargo como de Diretor Técnico, não deveria estar ocupando o cargo atual!