sexta-feira, 13 de janeiro de 2012

DFTV 1a Edição - Alexandre Garcia Critica o INSS

População enfrenta filas no posto do INSS em Taguatinga
MAIS INFORMAÇÕES


http://g1.globo.com/videos/distrito-federal/t/dftv-1-edicao/v/populacao-enfrenta-filas-no-posto-do-inss-em-taguatinga/1766985/

12 comentários:

Heltron Israel disse...

É dececpcionante lembrar que o Perito.med festejou a nomeação de Dr. Mauro Luciano para a Presidencia do INSS. Seus resultados estão até mesmo piores que o Valdir Simao.

Servidores doentes, agressões, filas interminaveis, mesmos sistemas, mesmo sofrimento. Um presidente de promessas e raros resultados. O INSS cresceu apenas passivamente em arrecadação pela política de geração de empregos. A perícia medica continua estagnada como se 2011 sequer tivesse existido...

aldofranklin disse...

Sinceramente em termos de atitude revertida em resultados, quando comparamos a gestão do atual com o anterior, sentimos saudades!
Chegou e assumiu com muita pirotecnia, falando bonito e difícil mas os resultados práticos nAo surgiram! Vários adiamentos, varias promessas nAo cumpridas, varias demonstrações de ineficiência! Embora jovem, nAo cumpre o que promete e o que era pra ser uma vitrine do ponto de vista olhando o futuro político, mostru-se total decepção! NAo esta conseguindo nem reter os profissionais da casa, varias exonerações ocorreram no período, movidas pelas agressões freqüentes, ambiente altamente insalubre e vencimentos muito aquém da responsabilidade! E digo mais, acredito que o INSS só tomara o verdadeiro rumo combatendo os problemas de frente, com atitudes paltadas na coerência e no saber principalmente no entendimento do trabalho daqueles que embora sejam 10% da casa, respondem por cerca de 70% dos atendimentos prestados pela previdencia social no âmbito nacional! Se raciocinarmos sobre isso, chegaremos a conclusão que somente alguém com o expertize destas atividades poderá nortear a previdencia rumo ao status de primeiro mundo!

Heltron Israel disse...

A principal questão centraliza-se na total inabilidade administrativa que vai desde o mau gerenciamento até a rigidez excessiva.

Por exemplo, hoje o SABI, programa sine qua non, passou 2h e 30m fora do Ar na minha APS. Termino o meu turno matutino as 11h regularmente. Acontece que as 10:40h retorna o SABI a normalidade e os 7 segurados agendados no horário interrompido querem ser atendidos de qualquer jeito. O perito não ganha hora extra e nem existe perito sem "fazer" nada "teoricamente" para ajudar no imprevisto. O que fazer?

Obviamente que o "bom senso", a "boa vontade" e o "espirito de grupo" poderiam contar e o perito cogitar um "sacrifício" para compensar noutro horário. Mas aí se lembra que o governo em nada lhe apoia e é extremamente rígido, por que deveria ele ser flexível?

A politica de pressionar peritos por toda a sociedade, assim como a médicos em geral, retorna de maneira muito mas devastadora para ela mesma.

R disse...

Esse Alexandre Garcia adora malhar os peritos! Ja nao e a primeira vez que ele fala mal.
Tb nao fico alem do meu horario porque nao recebo hora extra e somos tratados com desrespeito pelo inss!

Heltron Israel disse...

Mas Aldo eu cansei de falar.
Para reverter o dano moral histórico do INSS só existe a saída da valorização do ato médico pericial. Até é tudo perfumaria...

Tentativas raivosas de evitar o inevitavel...
O MPS deveria ter, a exemplo da Dataprev, ter outra autarquia direcionada para o ato médico pericial, para aperfeicoá-lo e promovê-lo com a seriedade que merece. Para tornar a avaliação pericial mais justa sem distinção entre o publico e o privado e mostrar claramente que a perícia medica é apenas um componente da analise do requerimento.

aldofranklin disse...

Heltron, se vc reparar, querem estabelecer o Fordismo frente ao trabalho pericial!
É obvio que isto não se revertera em melhores resultados face que é pratica já condenada pela OIT! Os trabalhadores precisam ser tratados como seres humanos, que tem limites, e o primordial é ter consciência de que o atendimento com qualidade requer tempo, que se fosse instituir Certificação para os atendimentos medico-periciais, muita coisa precisaria mudar!

aldofranklin disse...

Querem instituir o que na Previdencia?
- balanced score card?
- 5S, 6S, 7S?
- Toiotismo?
...
Querem fazer gestão de projetos?
Com o Project? Com Dynamics?
...
Acham que medico é ignorante?
Dos meus colegas o que tem menor tempo de estudo tem 9 anos...
...
Repare que para tratar de assuntos do interesse do perito, quando tem as reuniões, eles nao sao chamados...

Vandeilton disse...

Eu concordo quase totalmente com o jornalista Alexandre Garcia.
1) o que está ocorrendo realmente é um desrespeito com a população;
2) realmente nosso patrão é a população, e os gestores são colocados lá pelo patrão, o povo, através do voto;
3) realmente o INSS só faz o que tem que ser feito após denúncias. Aliás, todo o governo, desde a Dilma até as prefeituras, só fazem o que têm que ser feito depois de denúncias (ou alguém viu a Dilma demitir alguém após investigar e descobrir falcatruas do mesmo, sem denúncia prévia da imprensa?);
4) realmente é má gestão não realocar peritos "que estão sobrando" (cerca de 50% dos peritos não estão atendendo diretamente os segurados) para as APSs menos favorecidas;

Agora ... colocar o povo como vítima e coitadinho é f...
Se o povo é patrão, e foi ele que colocou os gestores como seus "gerentes", é dever dele, do patrão/povo, fiscalizar seus gerentes.
Os erros, as falcatruas e as deficiências de rendimento dos empregados devem ser cobrados e punidos (vide eleições) pelo patrão. Se o patrão não o faz ... só lamento, é o primeiro que merece sofrer.
.
Aí eu pergunto: o "patrão" está fiscalizando seus gerentes? o "patrão" está valorizando e tratando humanamente seus empregados? o "patrão" está demitindo (via eleições) os maus gerentes? NÃO, o "patrão" em questão é daqueles que gritam EU TENHO DIREITOS, mas na hora de punir, não pensa duas vezes em dar um "voto de confiança" nos piores crápulas, só porque eles sorriem bem e falam bonito.
.
Em suma: o "patrão" e os gestores aqui criticados são farinhas do mesmo saco.
.
O merecimento é mútuo.

aldofranklin disse...

É tudo povo e o "povo tem o governo que merece"...

Heltron Israel disse...

Exatamente meu caro. Para mim o Ponto X é que o problema não atinge as autoridades. No caso a criação da perícia medica da união mudaria muito. Todos deveriam ser periciados na nova autarquia e submetidos aos mesmos padrões.

aldofranklin disse...

Vc tem noção do quanto o Estado gasta com peritos judiciais? Com perícia chegando a custar mais de R$ 900 pilas? E o povo nao é besta e já percebeu que a via judicial é mais fácil do que encarar o perito previdenciário tendo em vista que aquele é complacente pois quer garantir clientela onde quanto mais perícia mais "dindin" no bolso! Tem perito que tira mais de R$ 50 mil por mês nesse "ciclo viciado" além do que muitos benefícios sao concedidos por esta via ferindo a legislação e sob a tutela do "beneficio social" desvirtuando os preceitos que regem o INSS que antes de qualquer coisa é a Seguradora do Trabalhador! A consequência de tudo e deficit! Não há formula magica, a nao ser que haja o enfrentamento do problema com propriedade de conhecimento da realidade e conhecendo os atores de todo o processo, o que necessariamente passa por valorização do trabalho pericial e enquanto isso nao acontece, vemos apenas medidas paliativas e muita arbitrariedade além de ingestão tomada por aqueles que se dizem gestores do INSS e da seguradora do trabalhador brasileiro!

Vandeilton disse...

Estes dias avaliei um segurado em BI por força de medida judicial.
.
O mesmo tinha sido mantido por mim em BI em 2009, e teve seu BI encerrado por outro perito.
.
Não pediu PR, não entrou com recurso ... nada. Entrou direto na justiça.
.
Tanto nos laudos das minhas perícias quanto na do perito que cessou seu BI estavam descritos os atestados e quem eram os médicos que atendiam o segurado.
.
Qual foi minha surpresa ao ver no processo do segurado a informação de que o perito judicial foi exatamente um de seus médicos assistentes!
.
Aí me perguntei: o que os procuradores estavam vendo que não detectaram isto?
.
Para não detectarem, duas possibilidades existiam: não estavam dando a mínima para isto (e para a lei, consequentemente) ou não leram nossos laudos (o que também indica que não estavam dando a mínima para o caso).