sexta-feira, 27 de abril de 2012

O problema estaria no Pós-Perícia

Presidente da ANMP diz que é preciso humanizar sistema para conceder benefício da Previdência

O presidente da Associação Nacional dos Médicos Peritos da Previdência Social, Geilson Gomes de Oliveira informou, nesta quinta-feira (26), durante audiência pública na Comissão de Direitos Humanos e Legislação Participativa (CDH), que o problema da definição do tempo de recuperação da capacidade funcional por evidências não está na concessão de benefício, mas na hora de devolver o trabalhador ao mercado de trabalho. Em sua opinião, deve-se humanizar o sistema e respeitar o segurado.

- O sistema como está não agrada aos médicos, a sociedade nem aos trabalhadores. Esse novo modelo pode ser bom para gestão, mas carece de informação. Que tipo de evidências são essas? – questionou o presidente da ANMP.

Segundo Geilson, se o sistema não se preocupar com o pós-pericia e o pós-alta e continuar devolvendo o trabalhador ao mercado sem oferecer condições seguras o modelo permanecerá “doente”.

6 comentários:

Eduardo Henrique Almeida disse...

Putz

aldofranklin disse...

Em certos momentos da vida, é melhor ficar calado que...

aldofranklin disse...

Vocês já esqueceram da audiência publica pela "Humanizacao da Pericia" promovida pela CUT, com participação do Dep Vicentinho e com Participação do DR Geilson, representando a ANMP, ficou com cara de Abestalhado e se comportou que nem um Mané, ocorrida em setembro do ano passado?!

Francisco Cardoso disse...

Calado o Geílson é um poeta.

E.G. disse...

Dalí só sai bobagem, esperavam o que ? Ele esqueceu o haldol semanal.

Eduardo Henrique Almeida disse...

Mais que no pós-perícia, a preocupação seria com o pós-presidência. Faz sentido, caro H.