quarta-feira, 4 de abril de 2012

ALTA PROGRAMADA COM NOVOS PARÂMETROS

INSS propõs referenciais para novos limites, segundo ele, baseado em evidências. Os novos limites são sugeridos por um grupo de trabalho e está aberto a sugestões fundamentadas da população. Pode-se acessar a lista completa no endereço http://www.previdencia.gov.br/arquivos/office/4_120404-104514-005.pdf.

Coletamos algumas situações propostas, a título meramente ilustrativo:

- Úlcera duodenal hemorrágica: 15 dias.
- Transtorno de pânico [ansiedade paroxística episódica]: 30 dias
- Lumbago com ciática: 45 dias
- Síndrome do manguito rotador: 15 dias
- Fratura de fêmur: 120 dias
- Transtorno afetivo bipolar: 60 dias
- Fobias sociais: 30 dias
- Transtorno misto ansioso e depressivo: 30 dias
- Epilepsia: 60 dias
- Síndrome do túnel do carpo: 15 dias

Se a perícia cumprir rigidamente essas diretrizes vai ter muito segurado revoltado, pois a indústria do auxílio-doença como modus vivendi vai sofrer abalo sísmico.

11 comentários:

Herbert disse...

Que nada caro Eduardo. Isso é apenas para os médicos assistentes se esbaldarem e "fazerem a sua parte". Percebeu que o mais longo benefício que eles vão poder "dar" é de 120 dias (no projeto genial)?. O Pedido de Prorrogação (PP), parte crítica, é onde a coisa vai pegar. Todo mundo solicitando PP e o perito médico oficial sofrendo pressão, ameaças e xingamentos.

Herbert disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Herbert disse...

E a Previdência sangra;
O contribuinte paga por tudo;
Os votos, ficam garantidos;
O idoso que contribuiu por mais de 30 anos, fica com aposentaria mínima e sempre perdendo da inflação maquiada, mas vê o que depositou compulsoriamente sendo "dividido" em nome da justiça social (que deveria ser feita com impostos e não com dinheiro do trabalhador);
E a idade mínima para se aposentar se eleva, até o segundo anterior ao da morte?
E as viúvas perdem suas pensões sob justificativa de que nesse pais, com 45 anos, encontram mercado garantido para o trabalho, mas ninguém diz o que vão fazer com os muitos anos (quem sabe dezenas) nos quais o falecido teve sua contribuição compulsória cobrada antes mesmo dele ver a cor do dinheiro de seu salário?...
E aí vai...
projetos "brilhantes" não faltam...todos usando justificativas "justas" mas pelas metades, estatísticas de países desenvolvidos aplicadas a contribuintes compulsórios de quarto mundo...e aí vai...

aldofranklin disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
aldofranklin disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
aldofranklin disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Heltron Israel disse...

Se pegar o tempo proposto e multiplicar por 4, ainda assim haverá choro e ranger de dentes. Alias a Previdencia Social do pais do Futebol e da Malandragem é a mais generosa do mundo diferentemente do que as hordas sindicalistas tentam mostrar. O INSS tem mais do que o dobro dos segurados em auxilio-doença, pensões integrais, mais da metade dos "encostados" recebem mais afastados que trabalhando. Os prazos periciais são infinitos. Querem levar todos a previdência no grito.

Se a tabela proposta for cumprida será 99% de indeferido.

aldofranklin disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
silente disse...

Gostaria de saber qual a porcentagem desses doentes que se recuperam o suficiente para trabalhar dentro desses períodos propostos. Porque o que volta para nós para PP em tese é só o que "complica" ou "cronifica"...

Francisco Cardoso disse...

Silente, pergunte para o INSS pois essa nem nós sabemos... Vai ser a farra do PP.

Rodrigo Santiago disse...

A incapacidade foi para as cucuias.

Qual o melhor nome para isto então: bolsa doença, bolsa CID, bolCID?

Quero saber se vai valer também para o setor público da mesma forma porque eu quero o meu tempo de repouso de doença 60 dias por ano todos os anos.

Quem é que não tem alguma doença que atire a primeira pedra.

A minha doença mais evidente é o estresse crônico contra políticos canalhas.Tem algum tratamento ou CID para isto ou é LI?