quarta-feira, 29 de abril de 2015

CAMPANHA DE DILMA EM 2014 PAGOU R$ 23 MILHÕES A UMA GRÁFICA FANTASMA EM SÃO PAULO - EIS O PROBLEMA DA "PERÍCIA SEM PERITO".

Ministro Gabas afirma que dá para fazer perícia sem perícia e que basta o papel (documento) para liberar dinheiro do INSS a segurados que alegam incapacidade. Eis um caso que está explodindo agora e que mostra porque essa tática de abrir mão do trabalho pericial pode dar problemas no futuro:

A campanha de Dilma Roussef pagou 23 milhões de reais para uma gráfica fantasma. Conforme as notas abaixo, o tesoureiro da campanha, o atual Ministro da SECOM Edinho Silva, pagou várias notas à Gráfica VTPB, cujo endereço na Junta Comercial de SP pertence a um pequeno prédio fechado há anos na Zona Norte da capital paulistana:

Imagem 1: Notas e Transferências da Campanha de Dilma à VTPB feitas pelo Ministro Edinho: 

 Imagem 2: CNPJ da VTPB com o endereço atual e a foto dessa segunda-feita 27/04 da fachada do local - prédio pequeno e fechado, jamais funcionou ali uma gráfica.

 Imagem 3 - Dados públicos da prestação de contas da Campanha de Dilma


A ficha cadastral da VTPB - Serviços Gráficos, é muito interessante. Ela nasce em 2008 como "Comércio Varejista de Jornais e Revistas" (vulgo Banca de Jornal) em um endereço na Avenida Ipiranga 1071/206, São Paulo - SP. Os titulares da empresa eram Beckembauer Rivelino de Alencar Braga (domiciliado em Campo Belo, Minas Gerais), e Muller de Alencar Castro Braga (domiciliado em São Paulo, Capital, na rua Dona Ana Barros, 320, Bloco A, apto. 73, Jardim Sônia). Em 4 de junho de 2009, Muller retirou-se da sociedade e entrou no seu lugar Wilker Correa Almeida -- que, atenção, forneceu o mesmíssimo endereço de domicílio de Muller. 

Pouco antes do início da segunda campanha de Dilma Rousseff, em 25 de julho de 2014, houve uma alteração da atividade econômica da empresa. No objeto social, a VTPB passou a incluir "Sede para impressão de material para uso publicitário, edição integrada à impressão de cadastros, listas e outros produtos gráficos." O nome popular disso é material de campanha eleitoral. A sede foi mudada para a rua Atílio Piffer, 29, Casa Verde, São Paulo. Endereço mais adequado para uma gráfica do que a Avenida Ipiranga.


Imagem 4 - Certidão da JUCESP da VTPB Serviços Gráficos

Um detalhe: Os irmãos Beckenbauer Rivelino e Muller Alencar são também irmãos do jornalista do SBT e do UOL Kennedy Alencar, que opera o Blog do Kennedy Alencar, francamente pró-petista.

Ai vem algo mais estranho: O endereço que consta na certidão acima de Beckenbauer Rivelino, irmão de Kennedy Alencar, RUA CRISTIANO PEREIRA, 500, JARDIM BRASIL, CAMPO BELO - MG, é um terreno baldio segundo o Google Street View em 2014.

O endereço paulistano atribuido a Muller Alencar e depois a Wilker Correa não existe, é inexistente. Segundo os Correios e o Google, a Rua Dona Ana de Barros, Vila Sônia, SP, não existe. É o endereço que consta como sendo do atual sócio da VTPB, Wilker Correa Andrade na JUCESP. O que existe é a Rua Ana de Barros, Jardim Santa Inês, Zona Norte de SP, CEP 02423-020

Wilker Correa Almeida, que na JUCESP aparece como sócio da gráfica fantasma e residente em endereço fantasma de SP, segundo a Telelistas.net possui endereço e telefone em Campo Belo-MG, cidade do outro sócio, o irmão do Kennedy Alencar, que deu endereço de um terreno baldio como residência. Rua Prudente de Morais, 395. Centro - Campo Belo - MG.

Imagem 5 - Endereços dos proprietários da Gráfica são inexistentes segundo Google

Bom, para finalizar, não apenas os donos e a gráfica possuem endereços fantasmas, mas o que foi pago aparentemente também são papéis fantasmas.
Imagem 6 - Nota Fiscal Eletrônica emitida pela VTPB:

Esta imagem é importantíssima. Observem os detalhes. Trata-se da Nota Fiscal da gráfica VTPB, informando o valor de R$ 667.812,50, cobrados por um total de 10 milhões 685 mil impressos, denominados "Santinho Dilma Modelo Card".
Observem o endereço de entrega: Avenida Copacabana, 1205, Apto 503, Tristeza, Porto Alegre, RS.Até aí, tudo bem, não e mesmo? Tudo certinho, regular, fechadinho. A gráfica imprimiu e entregou, lá no Rio Grande do Sul, em endereço existente.

Imagem 7 - Recibo de entrega do material, assinado em São Paulo, de material supostamente entregue em Porto Alegre-RS.

Observem a imagem acima. O recebimento do material foi dado em São Paulo, mesmo que a entrega tenha sido feita em Porto Alegre. É apenas um detalhe. Mas é um detalhe. O mais importante está abaixo, nas imagens seguintes.


Imagem 8 - Modelo da encomenda feita:

Lembram que o material impresso foi entregue em Porto Alegre e o recebimento foi dado em São Paulo? A imagem acima mostra o modelo de "santinho" que foi enviado para o Rio Grande do Sul. É "santinho" da campanha de Fernando Pimentel, candidato petista em Minas Gerais. A campanha presidencial de Dilma Rousseff enviou os "santinhos" mineiros para Porto Alegre. Isso que é logística! Então a campanha pagou 22 milhões a uma gráfica em São Paulo para entregar em Porto Alegre um material de campanha de Minas Gerais....


Imagem 9 - Endereço de entrega em Porto Alegre extraído da Nota Fiscal:

Agora voltemos ao endereço de entrega. Olhem bem este endereço. Ele é a prova contundente de que existe algo de muito estranho no ar. Que endereço será este? Um diretório? Um comitê de campanha? Uma central de logística? Que apartamento é este, no quinto andar, que recebeu milhões e milhões de santinhos das campanhas petistas de todos os estados, mas que fica no Rio Grande do Sul? Revelamos abaixo.


Imagem 10 - Declaração de bens da candidata Dilma Rousseff:

O apartamento onde foram entregues dezenas de milhões de "santinhos" para os candidatos do PT de todo o Brasil pertence à candidata Dilma Rousseff, conforme Declaração de Bens que apresentou ao Tribunal Superior Eleitoral no registro da sua candidatura. 

Considerando o custo de produção de uma revista como Veja, segundo dados do O Antagonista, o dinheiro pago a esta gráfica fantasma daria para pagar 2 meses inteiros de produção da Revista semanal da Abril, com tiragem semanal de 1 milhão de cópias.

Ou seja, esse apartamento deve ter recebido cerca de 30 toneladas de papel se essas notas não forem frias. Só que depoimentos de vizinhos dizem que nunca chegou lá nada que pareça com isso, e se chegasse o prédio desabaria pelo peso do estoque.

Temos assim que os peritos do TSE validaram a campanha de Dilma Rousseff baseado em notas fiscais emitidas por uma gráfica que não existe no endereço informado, cujos donos são irmãos de um influente jornalista brasileiro e que deram endereços errados à JUCESP, cuja atividade empresarial de banca de jornais mudou para gráfica no meio da campanha eleitoral e sem expertise alguma abocanhou 23 milhões de reais do PT, com materiais de campanhas de todo o Brasil entregues por esta gráfica num único endereço, localizado no extremo Sul do país, sendo este local da entrega de dezenas de milhões de impressos um apartamento de propriedade da Presidente da República, então candidata à reeleição. Só que nenhum vizinho viu nada disso chegar lá. Este blog não sabe se isto é legal ou ilegal. Mas que é muito estranho, ah isso é! Todo o material postado aqui está disponível neste link do Tribunal Superior Eleitoral.

Isso só foi aprovado pois os peritos do TCU não fizeram seu dever de casa. O que o Ministro Gabas propõe é que os peritos do INSS passem a fazer o mesmo: Chancelar papéis sem checar a veracidade. Só que nesse caso o custo será altíssimo, na casa dos bilhões de reais, direto do Tesouro Nacional.

Com créditos aos sites: O Antagonista,  Blog do coronel e Reacionaria. A descoberta dos endereços inexistentes dos donos da gráfica pertence ao Perito.med

6 comentários:

Patrícia Lima disse...

Vergonhoso!!!
As agências da Previdência Social do RJ estão realmente utilizando esse método de perícia automática? Não seria contra lei?

MAURICIO disse...

Só discordo em um ponto. Assim como será com o benefício sem perícia esta eleição também custou muuuuuito caro.

MAURICIO disse...

Só discordo em um ponto. Assim como será com o benefício sem perícia esta eleição também custou muuuuuito caro.

Rogerio Ferreira Da Silva disse...

Essa matéria deveria estar na Veja.

Rogerio Ferreira Da Silva disse...

Essa matéria deveria estar na Veja

Regi disse...

Não entendo, a Pericia Médica não é Carreira de Estado Sr.Jarbas ? para que tanta participação nas reuniões da FONACATE?