sábado, 24 de abril de 2010

O problema das comunidades terapêuticas para dependentes químicos

Acredito que todos os peritos lidam, em maior ou menor escala, com dependentes químicos que se internam em comunidades ditas “terapêuticas” para tentar se livrar da dependência.
Há uma vertente pericial que considera o seguinte:
- as fazendas terapêuticas constituem um tipo de laborterapia/terapia ocupacional
- a necessidade de afastamento do trabalho em dependência química se justifica quando há quadro tóxico, risco evidente, necessidade de tratamento das manifestações clínicas decorrentes do uso abusivo e continuado da droga e na interveniência de manifestações mentais que impeçam o trabalho.

As Diretrizes de Psiquiatria do INSS, publicada em 2008, sugerem afastamento até a cessação da síndrome de abstinência, entre 30 a 60 dias.
Eu acredito que devem existir basicamente dois tipos de comunidades terapêuticas: as que fazem um trabalho sério e honesto e outras que se transformaram num negócio apenas para ganhar dinheiro.
Muitas apresentam programas específicos, à semelhança dos Doze Passos dos AA, mas o que nos interessa como peritos, é que eles pregam que tais programas devem ser cumpridos dentro da comunidade, ou seja, "internados". Dai, justificam a necessidade de beneficio.
Não conheço trabalhos científicos que comprovam a validade de permanência longa nessas instituições no tratamento e prevenção das recaídas. 

Um outro uso comum de tais instituições é como albergue de viciados que nao gozam mais da atenção de familiares, não tem para onde ir, não tem dinheiro nem perspectivas. Já pude constatar também que não raramente as comunidades hospedam pessoas que respondem a processos judiciais, a maioria roubo ou furto, e até mesmo pessoas procuradas, especialmente devedores de pensão alimentar.
Outra variável que reputo importante é a quase absoluta ausência da mão do Estado na questão dos dependentes químicos, portanto o espaço foi e tem sido ocupado pela iniciativa privada.
Surge, então, a necessidade do beneficio para, em primeira instância, pagar as mensalidades que as "fazendas" cobram, as vezes, nada módicas. 

Temos, então, uma situação complexa, com muitas variáveis interdependentes, e para tornar as coisas ainda mais difíceis, o perito tem que lidar com o próprio preconceito que tais requerentes podem despertar. Nem sempre é fácil ver tais pacientes com total isenção, na dependência de todo um background cultural, filosófico, religioso, presença de casos na família do medico, etc. É muito difícil se libertar da imagem do dependente químico como alguém com comportamento marginal, caráter fraco, má índole , e passar a vê-lo com uma pessoa doente. 

Dizer que o crack é o maior flagelo da humanidade no campo da dependência química tornou-se um truísmo. Veio para ficar, crescer e prosperar cada vez mais.
E agora? Como nós peritos devemos lidar com esta situação? Devemos ser técnicos? Sendo técnicos, nao estaríamos sendo pouco holísticos, parciais, e quiçá, injustos? Sendo holísticos, abertos a uma analise global, não estaremos saindo fora dos princípios legais que definem a incapacidade laboral , ingressando em seara alheia, e conseqüentemente, fazendo concessões indevidas? 

Convidei todos para o debate no Forum da ANMP e surgiram comentários bastante interessantes, mas poucos responderam com objetividade sobre conduta pessoal. Dos que se manifestaram, houve concordância de que uma permanência de 30 a 60 dias seria suficiente para os efeitos de desintoxicação e tratamento da abstinência. Houve também a postagem sobre regulamentação destes estabelecimentos pela ANVISA (http://e-legis.anvisa.gov.br/leisref/public/showAct.php?id=1188&word
), fato que muitos provavelmente desconhecem e um parecer do CREMESC, aliás pedido por um colega da APS em que eu trabalho. Um colega comentou que muitos peritos consideram o prazo de permanência como “vencido” no Pedido de Prorrogação e encerram o benefício, “esquecendo” de fazer uma avaliação psiquiátrica do caso. Resolví trazer o debate para este espaço para que os colegas opinem e comentem suas condutas frente a estas situações.

9 comentários:

Adrianus disse...

Isso é uma verdadeira praga! O problema reside na proliferação das pseudoclínicas e falsas "comunidades terapêuticas" para tratamento de suspostos dependentes químicos. Uma das regionais da PF em São Paulo está trabalhando em investigações acerca de algumas dessas "instituições" no interior...

Luciana Coiro disse...

Prezado Sette:

penso que o problema que colocaste seria muito mais da seara de órgãos fiscalizadores de estabelecimentos de saúde. Se todas as clínicas fossem "de verdade" e prestassem tratamento adequado a perícia não teria grandes dificuldades na avaliação.

Tempos atrás um colega fez busca na Biblioteca Cochrane para verificar os níveis de evidência científica nos textos acadêmicos sobre este tipo de tratamento para dependentes. Em locais sérios, o tratamento com internações em clínicas deste tipo mostra melhoras significativas. Porém, não é qualquer clínica !

Para funcionar é claro que há uma série de preceitos terapêuticos a obedecer.

Não é pegar um "sítio" ou uma "chácara",pagar um médico para ir uma vez por semana lá e botar os drogaditos a plantar em uma horta...

Att, Luciana Coiro

Paula e Oziel disse...

Prezado Doutor,
Acredito que dois meses é suficiente sim para controlar a sindrome de abstinência,
Mas sendo a dependência química "uma doença crônica, progressiva e incurável...", acredito que para o tratamento deva ter uma abordagem para o tratamento comporta-mental do adicto,
Tenho vivido uma experiência de 13anos na área de tratamento e não é apenas dois meses que impossibilita o individuo de fazer uso de SPA,
Um conjunto de fatores (SOCIAL, BIOLÓGICO, PSICOLÓGICO e ESPIRITUAL) que se faz necessário para o individuo deixar de fazer o uso e continuar abstêmio,
Quanto aos locais de tratamento em específico às Comunidades Terapêuticas, enalteço os trabalhos honesto e sinceros que tem assumido o papel que é do ESTADO em dar condição segundo nossa CARTA MAGNA, de beneficiar a Dignidade da pessoa humana, promover a saúde e outros...
Mas acredito que um dia isto vai mudar...
Pr. Oziel Pompilho
Presidente da Comunidade Terapêutica Casa do Oleiro
www.casaoleiro.org

Edson disse...

Bom Dia a todos!
presado senhores e senhoras, eu adicto em recuperação hoje atualmente afastado de minhas funções e sendo asegurado pelo inss venho por meio desse blog dar minha opnião como dependente quimico, usei todos os tipos de drogas desde os 17 anos e hoje aos 43 me encontro em situação dificil, pois estou com algumas sequelas devido ao abuso de drogas,algumas delas são: perda da minha memoria recente , doença diverticular,fortes dores de cabeça transtorno compulsivo obsessivo,depressão e outras que não vem ao caso agora, e descobri recentemente que a adicção não é somente uma doença devido as drogas e sim uma doença de comportamento nascemos com essa pré disposição!, ou ao longo da vida nos deparamos com dificuldades das quais não sabemos lidar pois no meu caso desde a pré adolescência tenho desvio de comportamento,sou ancioso tenho trantornos de personalidades e hoje me encontro em tratamento no caps (saude mental)passo todos os dias 3 horas em grupos para dependentes quimicos, num programa que se chama (prodeq)e a noite frequento o Narcoticos anonimos um dos programas que esta me ajudando e muito. Bom o caso é o seguinte quem sou eu um simples drogadicto para estar aqui questionando com doutores o que o perito deve fazer ou não para reconhecer a necessidade de estar afastando um adicto de suas funções, é lógico que vocês nunca usaram drogas e não sabe quais os efeitos que elas causam em um ser humano, se por ventura um filho de vocês estiver usando crack,cocaina,maconha,cola de sapateiro,alcool etc...tenha paciencia e bem vindo ao mundo real.O mundo do qual vcs não fazem idéia de como é na verdade, quem sabe como co-dependentes vcs tem uma postura melhor ao julgar um adicto. me desculpe se estou sendo ironico ou até mesmo saindo do foco do assunto mas minha memória não ajuda muito, como disse antes minha memória recente esta afetada,no começo desse comentario estava tendo uma idéia e agora não me lembro mais... faz parte dessa maldita doença. enfim, minha opnião como dependente quimico é que essa tal doença reconhecida pela organização mundial de saude,é incuravel,não se sabe a cura. progressiva,ouseja não para,a menos que vc entre num tratamento e tenha muita força de vontade eu pelo menos faz 10 meses e alguns dias que estou limpo(sem uso)fatal, ou seja mata se não for estacionada num determinado momento. como disse um amigo aqui nesse topco é uma praga que existe na sociedade e precisa ser detida de alguma forma, mas esperar que o governo de essa tal carta MAGNA, de beneficiar a Dignidade da pessoa humana, promover a saúde e outros...
é acreditar em papai noel(risos).Senhores peritos por favor tenha paciencia com um adicto pois como o amigo disse acima( Um conjunto de fatores (SOCIAL, BIOLÓGICO, PSICOLÓGICO e ESPIRITUAL) que se faz necessário para o individuo deixar de fazer o uso e continuar abstêmio. deve se levar em consideração.e antes que eu me esqueça ja fazem dois anos que estou afastado com o seguinte cids(f19.7,f60.3 e outras patologias que não me recordo agora o cids.sou motorista de transporte coletico,não consigo fazer a portaria 12,que é um documento que é obrigatório para tranportar pessoas no transito em coletivos,e estou resando para que um perito na proxima pericia me de pelo menos uma readapitação profissional.fico por aqui e tenha um bom dia a todos, só por hoje eu não uso drogas.

dada disse...

o q posso dizer, para contribuir de alguma forma, é q estive por 6 meses em uma destas fazendas, cujo tempo de permanência seria de 9 meses. este empo dividido em 3 meses para desintoxicação, 3 meses para a conscientização, aprendizado e prevenção à recaída e, os 3 últimos meses de ressocialização com o interno saindo e voltando à fazenda esporadicamente com acompanhamento e supervisão. pessoalmente achei um método eficaz. tem todo o trabalho trabalho braçal sim. mas o isolamento e o convívio diário com outros internos nos dá a real dimensão do nosso problema e um auto enfrentamento q la fora não conseguiríamos. o tempo q alguns propagam de 30 a 60 dias, ao meu ver é minúsculo dado a gravidade do problema. qdo saí permaneci 4 anos em abstinência do uso de álcool. mesmo recaindo, hj utilizo todo aprendizado q la adquiri para, principalmente, a redução de danos. levo uma vida normal,razoável dentro dos padrões ditos normais. qto à eficiência dos tratamentos, vai muito mais do empenho de quem se interna do q dos técnicos envolvidos. por isso acredito q a internação voluntária traz um resultado satisfatório, já q o dependente inicia o tratamento positivamente! sei q há mtas fazendas e clínicas preocupadas somente no ganho financeiro. mas sei tbém q a melhor saída para a dependência é a internação prolongada com o dependente longe do mundo e das contingências q facilitam o uso da sua droga predileta! concordo q uma maior fiscalização sim seria o mais correto, com o poder público realmente empenhado em se comprometer. pois há de fato, o risco de q em mtas destas fazendas pessoas estarem sendo tratadas de forma desumana em mãos de pessoas incompetentes, não importando o nível da clínica ou da fazenda.

dada disse...

correções: tempo; tem todo o trabalho braçal sim... obrigada!

Anônimo disse...

A CLINICA EL SHADAI DE BRAGANÇA PAULISTA, MUDOU DE NOME PARA CLINICA LIONS, SÃO PESSOAS SEM ESCRÚPULOS QUE SE ESCONDEM ATRAZ DE UM NOME EVANGELICO, MAS SÃO FORA DA LEI TANTO DE HOMENS COMO DAS LEIS DIVINAS, O QUE EU QUERO É APENAS JUSTIÇA E QUE ESTAS COISAS NÃO ACONTEÇAM MAIS, SEGUNDO ESTATISTICA 80% DESTAS COMUNIDADES PARA DEPENDENTES QUIMICOS TORTURAM SEUS INTERNOS,NO BRASIL CHEGA A SER UM BOM NEGOCIO,QUE FAZ SEUS PROPRIETARIOS MILIONARIOS EM POUCO TEMPO, MAS A QUE PREÇO, O PREÇO DE MUITAS VIDAS QUE AO INVÉS DE RECUPERAREM QUANDONÃO MORREM ENTRAM NA MAIS PROFUNDA DE PRESSÃO,
TIROU FORA DO AR SEU SITE, DEPOIS DE MUITAS DENÚNCIAS DE MAUS TRATOS, TORTURA E ATÉ MORTES DE INTERNOS JUSTIFICADA POR ELES COMO SUICIDIO.
POR FAVOR SE VOCE SOUBER DE ALGUMA COISA NÃO SÓ DESTA CLINICA, DENÚNCIEM PARA A POLICIA, OBRIGADO.


Vejam também os videos denuncia se o link não funcionar copie e cole no navegador:
http://youtu.be/81NgEuw7srk
http://aceveda.com.br/blog/?p=31825
http://www.youtube.com/watch?v=uaEr34RZSNo
http://www.diariosp.com.br/_conteudo/2011/03/41556-clinica+para+recuperacao+de+dependentes+quimicos+tortura+seus+internos.html
http://wn.com/mbmodabeleza
http://carlosb.no.comunidades.net/
* julguei interessante pois sei que a maioria das clinicas denunciadas continuam a trabalhar normalmente, uma maneira é mudar de nome, outra usada é ter uma sede ( casarão bonito com piscina,cpo de futebol) e várias clinicas clandestinas no periodo da visita os internos são trazidos para a sede e depois levados de volta, sei tambem que boa parte dos pacientes são oriundos de estados vizinhos: MT,MS,MG,BH,RJ,DF,GO,PR



INTERNAÇÃO PARA DEPENDENTE QUIMICOS - LEMBRE-SE QUE 80% DAS CLINICAS E COMUNIDADES TORTURAM OS INTERNOS, APARENCIA, SÃO CASARÕES BONITOS COM PISCINA, CAMPO DE FUTEBOL, JARDINS BEM CUIDADOS, MAS NADA DISSO O INTERNO USUFRUI, E SIM É COLOCADO NUMA DAS MUITAS CLINICAS CLANDENTINAS QUE O PROPRIETARIO POSSUI, ESSA CASA BONITA, VAMOS CHAMAR DE SEDE, E AS CLANDESTINAS DE BARRACÕES, ENTÃO NO PERIODO DAS VISITASOS INTERNOS SAEM DOS BARRACÕES E VÃO PARA A SEDE RECEBER AS VISITAS E DEPOIS VOLTAM PARA OS BARRACÕES.
INTERNOS SÃO NOMEADOS COMO MONITORES COM CARTA BRANCA PARA SUBJULGAR QUALQUER INTERNO QUE SE OPONHA AS LEIS FACISTAS DA CLINICA, ESPANCAM, MINISTRAM SESSÕES DECHOQUE ELETRICO, DÃO CASTIGO EM CARCERE PRIVADO, HUMILHAM SERES HUMANOS, E AINDA OS MONITORES POR SEUS TRABALHOS RECEBEM RECOMPENSA PODEM CONSUMIR DROGAS LIVREMENETE NAS DEPENDENCIAS DA CLINICA ELSHADAI, FALEI DE TORTURA , AGORA TAMBÉM TEM MORTES VÁRIAS MORTES FORAM ATRIBUIDAS A CLINICA ELSHADAI, MAS ELA DIZ QUE FORAM SUICIDIO, SEGUNDO PESSOAS NOS DISSERAM ELES TRATAM OS INTERNOS COMO LIXO HUMANO, MATARAM SERES HUMANOS E OS COLOCARAM NA CENA DE UM SUPOSTO SUICIDIO.
eSSA CLINICA ELSHADAI (LIONS) DE FARISEUS QUE SE ESCONDEM ATRAZ DE UM NOME BIBLICO, PARA COMETERTODA SORTE DE ATROCIDADES, ESTA É ACLINICA ELSHADAI DE BRAGANÇA pAULISTA , COMO TAMTAS OUTRAS PELO BRASIL, QUE CONTINUARÃO MATANDO, DESTRUINDO VIDAS, MENTINDO, ENGANANDO A ANVISA, E FAZENDO O QUE QUEREM., DESCULPEINCOMODAR VOCES COM MINHAS LAMURIAS.OBRIGADO.

Anônimo disse...

A JUSTIÇA É DIFERENTE PARA DIFERENTES PESSOAS, O MEU FILHO TAMBEM UM BRASILEIRO, FOI SEVERAMENTE TORTURADO NA CLINICA LIONS ( ELSHADAI) QUE JA VEM SENDO DENUNCIADA POR TORTURAS, MORTES E SUICIDAM INTERNOS, MEU FILHO ESTA MAU, PROBLEMAS PSIQUIATRICOS, PSICOLOGICOS, TRAUMAS, DEPRESSÃO, CHORA FACIL., MAL SAI DA CAMA, NEM SAI DE CASA, E AI JA CANSEI DE DENUNCIAR E RECORRER AOS ORGÃOS DO GOVERNO, EU ME SINTO UM JOÃO BOBO, ME MANDAM PARA ANVISA, A ANVISA PROS DIREITOS HUMANOS, OS DIREITOS HUMANOS PRA SECRETARIA DA SAUDE MENTAL E ASSIM VAI E NÃO ACONTECE NADA, EU NÃO TENHO DINHEIRO PARA O TRATAMENTO DO MEU FILHO, A CLINICA ELSHADAI ASSASSINA MUDOU DE NOME PARA LIONS E CONTINUA A FUNCIONAR NORMALMENTE,O DONO DESSA CLINICA O CARRASCO DA CLINICA ELSHADAI GUSTAVO RODRIGUES LIMA CRT 46284, AGORA TEM UM MONTE DE CLINICAS INCLUSIVE A NEW DAY EM BRAGANÇA PAULISTA, EMAIL DO CARRASCO: gustavo_calcados@hotmail.com
Telefone do carrasco: 11 77054144, JUSTIÇA SÓ A DIVINA.

Anônimo disse...

CLINICA ELSHADAI EU ESTIVE LA E VI COLEGA MEU LEVANDO CHOQUE A NOITE INTEIRA TRISTEZA FELISMENTE CONSEGUI ESCAPAR GUSTAVO R.LIMA CRT46284 E DOUTORA ITA OS DONOS DE LA SO QUEREM O DINHEIRO DA FAMILIA A PSCICOLOGA ATE TENTAVA NOS AJUDAR MAS NÃO PODEIA FAZER NADA TAMBEM ATE QUE ALGUEM CHEGASSE A ESSE PONTO ELES DOPAM AOS INTERNOS A COMIDA É POUCA EM RELAÇÃO AO QUE CADA INTERNO PAGA CHEGAMOS ATE A FICAR COM FOME
É VERDADE EU ESTAVA LA NESTA EPOCA E LEMBRO QUANDO A SENHORA FOI LA SEU FILHO ACHO QUE É PATRIQUE ENTREOUTROS TAMBEM SOFRERAM OS MESMOS TRATAMENTOS E OLHA QUE EXISTIAM TRATAMENTOS PIORES ELES ESCONDEM OS MENORES DE IDADE E OS MAIS VELHOS QUASE TODOS OS INTERNOS SÃO MESICADOS A REMÉDIOS PARA DORMIR